domingo, 3 de maio de 2015

Astro City - Vol. 01 - Vida na Cidade Grande


Desde há muito tempo busco informações e material sobre uma série chamada "Astro City". Duas coisas me chamaram atenção quando comecei a ouvir falar desse Universo ficcional. A 1ª delas, e mais óbvia, foi a arte impecável, realística e perfeita de Alex Ross nas capas. A 2ª, e mais pessoal, foi a percepção que a série me passou de que faria uma representação perfeita e definitiva do Universo dos Super-heróis em seu cerne. Não há como negar que todos os amantes de quadrinhos comungam de uma empatia à determinados valores, ideais e fantasias sobre como é, ou deveria ser, o Mundo dos Super-heróis. Por mais que a Era Moderna dos Quadrinhos tenha desconstruído os heróis em suas angústias, medos e neuroses (tornando-os com isso mais sombrios), esse ideal sutil e profundo não foi destruído. Mas permaneceu latente. Assim, Kurt Busiek (o aclamado roteirista de Marvels) conseguiu, após toda desconstrução que foi feita no passado, reconstruir o Universo Super-heroístico de maneira ímpar e primorosa. Após anos com material esparso sendo lançado aqui e acolá no Brasil, temos agora uma iniciativa da Editora Panini que, se realmente seguir em frente, nos brindará com uma das mais incríveis e perfeitas visões do Mundo dos Super-heróis, permitindo-nos entender porque gostamos tanto desses fantásticos e coloridos seres.


Kurt Busiek, ao lado dos desenhistas Alex Ross (arte conceitual e capas) e Brent Anderson (arte interna), construiram um Universo habitado por incríveis super seres. Todos, aliás, personagens que emulam os mais conhecidos heróis, equipes e vilões da Marvel e da DC. Porém, essa imitação não é nada escondida, pelo contrário, Busiek faz questão de mostrar que esse personagem ou aquele é sua versão de outro bem conhecido (Ex. Superman, Quarteto Fantástico, Vingadores, Batman, Capitão América...). Isso porque o foco não é exatamente as aventuras desenvolvidas por esses personagens, mas sim a forma que, com o tempo, esses heróis, vilões, pessoas comuns e a realidade ao redor se moldaram de maneira a conviver com tais elementos fantásticos. Assim, tudo se transforma em um grande ensaio sobre a adaptação de um Mundo que agora vive sob interferência contínua destes seres. Tudo desenvolvido no Microcosmo de "Astro City", uma cidade em que a maioria dos heróis vive. O Vol. 01 da Panini traz o início dessa obra-prima com seus 06 primeiros capítulos. A história inicial (Em Sonhos) traz como personagem principal "O Samaritano", o super ser da capa acima e que na verdade seria nosso Superman.


"Em Sonhos" é uma história incrível pois, apesar de batalhas e intervenções grandiosas do personagem, o foco não é esse, mas sim a "rotina" de um Semi-Deus preso à impossível missão de salvar a todos, porém limitado pelo tempo, horas, minutos e segundos. Outro personagem que nos é apresentado é o "Agente de Prata", simulacro do Capitão América, que estrela a 2ª história: "A Notícia". Desenvolver toda uma mitologia de uma vez foi tarefa hercúlea para Kurt Busiek, se pensarmos que a Marvel e a DC tiveram décadas para fazê-lo. Mas em Astro City o autor constrói um passado sólido e cheio de mistérios, bem como uma realidade crível.


Um dos personagens mais estranhos é o "Caixa de Surpresas" (acima). Herói que estrela a 3ª história do encadernado: "Ver é Saber". Uma micro-trama envolvendo um ladrão barato que descobre um incrível segredo do Caixa de Surpresas. Você poderá ver que Busiek não tenta chocar ninguém, não tenta trazer violência como chamariz e não faz de situações polêmicas envolvendo os personagens seu Modos Operandi. Tal qual Mark Waid (um dos meus roteiristas preferidos), Busiek simplesmente pega os elementos essenciais dos Super-heróis e os trabalha de perto.



Mas foi com a hsitória "Proteção" (capa acima) que percebi onde Busiek queria chegar e me deparei com seu olhar sensível e profundo. Uma história que teria como personagem principal a heroína Vitória Alada (nossa Mulher-Maravilha), mas que coloca em foco Marta, uma Eleanor Rigby dos tempos modernos que se vê pequena, sem importância e medíocre em sua vida comum.


A penúltima história do encadernado "Reconhecimento" traz Bambambão, uma mistura de herói fanfarrão, ao melhor estilo de Errol Flynn, com um vigilante urbano. Qualquer semelhança com o Homem Aranha não é mera coincidência. É nessa história que Busiek aponta para um futuro complexo para série, ao abordar uma possível ameaça alienígena ao Mundo de Astro City.


"Jantar às Oito" (capa acima) fecha com "chave de ouro" esse 1º encadernado da Panini, trazendo um encontro perfeito entre dois dos maiores heróis de Astro City, "O Samaritano" e "Vitória Alada". Os diálogos entre os dois são afiados e perfeitos, o leitor é presenteado com uma conversa incrível entre dois seres poderosíssimos, além do interesse amoroso subliminar entre os dois pairando no ar e o mais importante, a fragilidade interna dos dois sendo apresentada, mostrando que no fundo não é a Marta (nossa Eleanor Rigby da 4ª história "Proteção") que é talvez a pessoa mais frágil do Mundo.

Bom amigos... Astro City é uma obra-prima bem vinda ao mercado Brasileiro que expõe o potencial das HQs para contar boas histórias se utilizando desses arquétipos que tanto gostamos, nossos queridos Super-heróis! Espero poder em breve trazer aqui uma outra matéria com o volume 02. Que venham os próximos encadernados!!

6 comentários:

  1. Olá, Marcelo!
    Que beleza de texto que você escreveu, meu Amigo! Meus parabéns.

    Como bem sabes, comprei o primeiro número de Astro City, por indicação sua, mas ainda não comecei a ler. Dei apenas uma folheada e gostei bastante da arte, tanto a de Alex Ross quanto a de Brent Anderson.
    Depois de ler tudo que você escreveu aqui, fiquei com mais vontade ainda de começar a ler logo.

    Obrigado por sempre indicar coisas boas!

    Forte Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Moisa...

      Legal ver seu comentário por aqui! o/

      Valeu!

      Confesso que depois de vermos a arte de Alex Ross a gente fica um pouco triste ao ver que a arte interna não é dele. Porém, ela não ruim mesmo.

      E depois de um tempo a gente se envolve tanto na história que não percebe mais essa diferença.

      Depois quero saber sua opinião sobre cada uma das 06 histórias!

      Abc!

      Marcelo.

      Excluir
  2. blz marcelo?

    belo texto
    vou comprar com certeza esta HQ assim que aparecer por aqui (santa rita do sapucaí - MG
    a distribuição é muito aleatória, HQs com potencial demoram muito pra chegar e o contrario acontece com muita HQ duvidosa/porcaria que chega rapidinho.

    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gustavo!!

      Blz, amigo!!

      Valeu pela presença e comentário!!

      Puxa... Isso realmente é uma triste realidade, ou seja, temos as bancas inundadas de um monte de HQs ruins e às vezes as boas ficam sem uma distribuição muito adequada.

      Espero que você consiga adquiri-la sim e depois que você ler você traga aqui sua opinião sobre ela.

      Grande abraço, Gustavo!

      Marcelo.

      Excluir
  3. Olá Marcelo!
    Sempre comprei tudo que saiu de Astro City, porque também a considero uma obra-prima.
    Vou me juntar ao pessoal que mora fora do eixo Rio-SP e torcer para que chegue logo à minha cidade, pois até agora nada!
    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcelo...

      Que legal que você também é fã da série. Eu sempre me interessei por ela, sobretudo em função da arte conceitual da série que, no meu modo de ver, capta precisamente o ideal super-heróico da Era de Prata com algumas pitadas da Era de Ouro.

      Minha torcida é para que a Eaglemoss lance até o fim.

      Grande Abraço!

      Marcelo.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados