domingo, 25 de fevereiro de 2018

Miniatura Marvel Série Especial Nº 13 - Ronan

Miniatura Marvel Especial Nº 13 - Ronan

Conhecido pelo grande público apenas recentemente por ocasião de sua participação no filme Guardiões da Galáxia- Vol. 01, Ronan - O Acusador possui na verdade uma grande e longa carreira na galeria Marvel. De personalidade complexa, visto hora como vilão, hora como libertador e até mesmo herói, Ronan construiu sua reputação ficcional ao longo de mais de 50 anos. Sua 1ª aparaição data de Agosto de 1967 na Revista Fantastic Four Nº 65. Criado por Stan Lee e Jack Kirby (nossos Lenon & McCartney dos Quadrinhos), o personagem foi gerado em meio a fase mais profícua da dupla de gênios, ou seja, em meio ao tsunami criativo que foi a Era de Prata dos Quadrinhos na Marvel. Embora conhecido em sua superficialidade vilanesca no filme de James Gunn, Ronan é bem mais que um Guerreiro qualquer, é um ser que sintetiza o orgulho, o belicismo e o senso conquistador e patriótico da raça da qual faz parte, os Krees.

Miniatura Marvel Especial Nº 13 - Ronan

Ronan aparece muito bem na Coleção de Miniaturas Marvel da Eaglemoss dentro de seu Segmento Especial. Caso observemos de perto o conceito que envolve sua indumentaria e aspecto físico, verificaremos que sua concepção mistura os conceitos de "monge", "legislador/doutrinador" e "carrasco", ou seja, personagens que habitam nosso imaginário coletivo como sendo a síntese do detentor da sabedoria e leis antigas (monge), do juiz (legislador) e do executor (carrasco). Lee e Kirby conseguiram destilar estes conceitos ao conceberem um personagem que, com seu capuz, túnica e machado, puxa facilmente estes arquétipos do recôndito de nossa mente. E eis aí o porque os dois (Lee e Kirby) realmente merecem o reconhecimento eterno dos fãs de quadrinhos (sem brigas sobre quem é maior que quem). O acréscimo de alguns detalhes, tais como, braceletes e botas estilo "espacial", bem como uma face branca completam o visual para evocar a origem alienígena de Ronan. E é este conjunto de detalhes conceituais que fazem dele um excelente personagem já em seu nascedouro.

Miniatura Marvel Especial Nº 13 - Ronan

A pintura da peça está muito bem delimitada, além disso o dourado que envolve pernas e braços está numa tonalidade que lembra "metal", dando credibilidade à estatueta. A morfologia muscular está excelente em minha opinião. O artista da peça preocupou-se em definir de forma adequada os principais grupos musculares do corpo. Observamos isso ao inspecionarmos os membros inferiores com seu quadríceps, membros superiores com o bíceps e deltoide e o tronco com a definição do ventre muscular dos abdominais. O colete que recobre o tronco de Ronan possui estranhos grifos nas regiões anterior e posterior que lembram em muito, as antigas linhas egípcias, o que acrescenta um ar milenar ao conceito. É impossível não associar estes detalhes à influencia que muitos artistas tiveram, no final da década de 60, de obras como o livro Eram os Deuses Astronautas de Erich von Däniken e de filmes como 2001 - Uma Odisseia no Espaço de Arthur C.Clarke/Stanley Kubrick.

Miniatura Marvel Especial Nº 13 - Ronan

Ronan nasceu nasceu no Planeta Hala, localizado dentro da Galáxia Satélite conhecida por todos  aqui na Terra como Nuvem de Magalhães. Hala é o lar da conquistadora, imponente e belicosa raça Kree. Os Krees chegaram a visitar nosso Planeta quando o homem ainda estava em seus estágios evolucionários iniciais, há centenas de milhares de anos. Na época, os alienígenas Krees separaram um ramo de nossa raça para realização de experimentos genéticos e, desta cepa humana, nasceram o Inumanos. Caso você seja minimamente versado em quadrinhos, também se lembrará de outro Kree famoso, o soldado Kree que ficou conhecido como Capitão Mar-Vell. Ronan vinha de uma família da aristocracia Kree de pele azul, e por isso não tardou a integrar a Tropa dos Acusadores Públicos, uma força tarefa responsável em manter a lei no Planeta Hala e dentro da circunscrição do Império Galáctico Kree. Ronan ascendeu rapidamente na hierarquia da Tropa passando a ser o 3º na representatividade do povo Kree, estando abaixo apenas do Ministro Imperial e da Inteligência Suprema, este último um ser tecno-orgânico que congrega a junção de todas as mentes de grandes e ilustres membros da raça Kree já mortos.

Miniatura Marvel Especial Nº 13 - Ronan

A 1ª incursão de Ronan ao nosso Planeta ocorreu há muito tempo quando cientistas desavisados ativaram um Sentinela Kree adormecido no Ártico. O Sentinela Kree-459 tinha como função monitorar a atividade dos seres humanos e reporta-la ao Império. Ao ser despertado, o Robô entrou em modo de defesa colocando a vida dos cientistas em risco. A situação foi resolvida pelo Quarteto Fantástico, que conseguiu sobrepujar o robô. Ronan foi enviado a Terra para confrontar aqueles que haviam danificado a propriedade Kree. Assim, disposto a julgar e condenar o Quarteto, Ronan foi também confrontado e sobrepujado pelos heróis, o que despertou no Acusador um rancor e um desprezo pelo nosso Mundo, que além de tudo já possuía energia atômica. O próximo contato de Ronan com a Terra envolveu os Vingadores, que tentaram proteger-nos de um plano de Ronan de expor todos os seres humanos à uma névoa que acionava determinados genes primitivos adormecidos dentro de nós, forçando-nos a involuir à homens primitivos. O desfecho deste arco desenbocou no que ficou conhecido como A Guerra Kree-Skrull, uma Guerra que envolveu os Krees e seus eternos inimigos, os Skrulls. A partir desta guerra, a Terra passaria a ser vista como estratégica tanto pelos Krees quanto pelos Skrulls, tendo os Vingadores como os únicos defensores capazes de fazer frente à dominação alienígena.

Miniatura Marvel Especial Nº 13 - Ronan

Ronan chegou a destronar a Inteligência Suprema Kree assumindo papel de grande monarca de seu povo. No entanto, seu reinado não foi duradouro ao ser envolvido em vários acontecimentos de ordem galáctica, dentre eles a onda de Aniquilação (um tsunami destrutivo emanado a partir da Zona Negativa tendo o Aniquilador como protagonista) e a Invasão Shiar sobre o Império Kree. Eventos como esses forçaram Ronan a ter que pensar além de seus sonhos de poder pessoal para tentar salvar seu povo. Isso fez com que ele ganhasse a simpatia não apenas dos Krees, mas também de outros povos do Universo. Talvez o evento mais emblemático dentro desta nova concepção de Ronan tenha sido a aliança que ele fez com Raio Negro (soberano dos Inumanos). Aliança que foi selada com seu casamento com Cristalys, irmã de Medusa, a esposa de Raio Negro. O casamento selou a união das casas reais, transformando Ronan e Raio Negro em parentes.

Miniatura Marvel Especial Nº 13 - Ronan

Ronan já se envolveu em batalhas com os principais heróis do Universo Espacial da Marvel, dentre eles Nova, Surfista Prateado, Senhor das Estrelas, Adam Warlock e Gamora, dentre outros. Sua trajetória pavimentou um sólido caminho mitológico para si, e sua personalidade rígida transita entre o que é certo para seu povo e sua imagem pessoal de soberano. As decisões dos roteiristas em fazê-lo repensar suas ações deixaram-no mais interessante ainda enquanto personagem, e espero que no futuro ele possa ser aproveitado cada vez mais.

Miniatura Marvel Especial Nº 13 - Ronan

Evoluindo de um alienígena inicialmente ensandecido em suas primeiras histórias, para um monarca sábio e habilidoso, Ronan é muito mais do que sua participação em Guardiões da Galáxia apresentou. Para aqueles que o conheceram apenas pelo filme, seria interessante aprofundar-se em sua complexa personalidade, pois ela sintetiza muito bem a ambiguidade de nossos tempos.

 Bom amigos... É isso aí. Um forte abraço à todos!!

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Guerras Secretas - 1984

Releitura da Capa do Nº 01 de Guerras Secretas por Alex Ross

Todo leitor possui algumas lacunas em seu currículo em função de questões alheias à sua vontade. Correria, oportunidade, finanças... Enfim, situações que de alguma forma privaram o fã de ler determinada obra. Eu tenho algumas destas lacunas em meu currículo de leitor. Uma delas eu acabei de preencher ao ler a lendária história Guerras Secretas de 1984, a chamada Marvel Super Heroes Secret Wars original! A história foi um marco na história das Histórias em Quadrinhos de Super-heróis por alguns motivos, dentre eles o crossover entre grupos que até então haviam se encontrado esporadicamente e as consequências da saga que realmente mudaram rumos e estabeleceram novas perspectivas na vida de vários personagens. Mas talvez o mais importante tenha sido uma narrativa que mesmo após mais de 30, mantem seu frescor. Guerras Secretas I, como também ficou conhecida, foi publicada originalmente nos EUA de Maio de 1984 à Abril de 1985 em 12 números e foi criação do Editor Chefe da Marvel na época Jim Shooter com desenhos de Mike Zeck.

A Guerra Secreta dos Super-heróis Marvel Nº 01 - Maio/1984

A condição sobre a qual a Saga foi concebida é de conhecimento de muitos, ou seja, a fabricante de brinquedos Matel encomendou uma saga que pudesse servir de base para um lançamento de bonecos de heróis Marvel. O nome Guerra Secreta surgiu a partir de uma pesquisa que a fabricante fez que mostrou que as palavras "guerra" e "secreto" eram conceitos muito populares entre o público infanto-juvenil na época. Nesta matéria, no entanto eu gostaria de me fixar em elementos que na minha opinião fizeram da Saga uma obra realmente boa.

A Guerra Secreta dos Super-heróis Marvel Nº 02 - Junho/1984

A premissa da Saga envolve um ser extremamente poderoso (O Beyonder), capaz de destruir galáxias inteiras e moldar o tempo e o espaço. Este ser, por um determinado motivo até hoje incerto passou a ter acesso à nossa dimensão. Sua curiosidade então recaiu sobre os seres humanos na Terra e, após sondar os seres mais poderosos do nosso planeta, resolveu escolher aqueles com corações e mentes interessantes de serem estudadas. Com isso transporta um conjunto de heróis e vilões para o extremo do Cosmo para um Planeta formado por uma colcha de retalhos (fragmentos) de outros planetas. Ali, heróis e vilões deveriam se enfrentar e assim, o vitorioso, receberia a realização de seus desejos. Beyonder no fundo estava interessado na dinâmica entre os personagens, nas estratégias pessoais de resposta à seu estranho torneio. Mais do que gerar uma luta, logo se percebe que o grande objetivo é se estudar a psiquê humana. E aqui já temos a 1ª grande sacada da história: o embate maior se dá através dos relacionamentos, alianças, traições e reviravoltas que Shooter soube aproveitar bem.

Composição dos Time dos Heróis escolhidos pelo Beyonder

A escolha dos personagens para integrar os times de heróis e vilões obviamente se deu mais em função da facilidade da fabricação dos bonecos para venda, do que por motivos dramáticos em favor da trama. No entanto, no time dos heróis temos representados os principais eixos criativos da Marvel da época: Quarteto Fantástico, Vingadores, X-Men, Homem Aranha e Hulk Detalhe interessante foi Magneto ter sido alocado junto aos heróis. Explicações são dadas a este fato ao longo da história com base nas motivações internas de Magneto junto aos Mutantes. Do outro lado, no time dos vilões temos representantes pesos pesados como Dr. Destino, Kang (muito apagado na história aliás), Dr. Octopus, Lagarto, Ultron, Encantor, Homem-Molecular entre outros. Talvez a escolha mais acertada para dar maior dimensão à história foi trazer ninguém menos que Galactus - O Devorador de Mundos.

Composição dos Time dos Vilões escolhidos pelo Beyonder

Temos que lembrar que a história foi concebida em uma década em que os personagens não eram desenvolvidos na profundidade que são hoje. Isso, no entanto não deixa a história menos envolvente e interessante. Há uma tensão entre eles, inclusive sexual, que transborda nos quadros. Por exemplo, esta tensão sexual pode ser vista fortemente entre o Homem-Molecular e Vulcana (uma mulher sem poderes que é transformada pelo Dr. Destino, ao longo da história, em alguém muito poderosa), entre o Homem-Aboservente e Titânia (outra experiência de Destino em cima de uma mulher comum), e até entre (pasmem) Magneto e a Vespa. É interessante notar que os personagens são simples em suas construções, no entanto são extremamente interessantes de serem observados em função da forma com que foram escritos. Há alguns clichês que acabam sendo até interessantes se analisados sob uma perspectiva histórica.

A Guerra Secreta dos Super-heróis Marvel Nº 03 - Julho/1984

A tensão está presente também entre as equipes (Quarteto Fantástico, X-Men e Vingadores) e é o 2º ponto de destaque da obra. Personagens sempre vistos como relativamente passivos (caso do Prof. Xavier por exemplo) saem de sua postura tradicional e partem para um enfretamento ao entenderem o que está em jogo. Acredito que a Marvel foi feliz em mostrar este embate entre equipes na época, pena que demoraria tanto tempo para retomar este conceito em suas publicações. Somente em Guerra Civil de Mark Millar em 2006 é que teríamos esta premissa elevada e aproveitada em seu máximo novamente. Guerras Secretas trouxe mudanças importantes que reverberam até hoje na Marvel, por exemplo: foi no Planeta criado pelo Beyonder que o Homem-Aranha descobre uma máquina que faz trajes resistentes. Infelizmente ele não encontra a máquina correta no laboratório e usa um outro dispositivo que materializa seu famoso traje escuro, que passa a ser sua indumentária a partir dali. Depois viríamos a descobrir que este traje na verdade era o parasita chamado Venom.

A Guerra Secreta dos Super-heróis Marvel Nº 04 - Agosto/1984

Outra grande mudança foi o fato do Coisa escolher ficar no Mundo Bélico do Beyonder para refletir sobre sua condição de "monstro" na Terra. Estranhamente, Ben Grimm conseguia controlar sua transformação no Coisa no planeta do Beyonder. Esta habilidade impacta profundamente o herói, que decide permanecer naquele local para pensar a respeito. Isto desencadearia um período de histórias do Quarteto Fantástico tendo a Mulher-Hulk em substituição ao nosso querido Coisa. Tais mudanças foram ousadas e podemos coloca-las como o 3º ponto de destaque da obra, ou seja, a coragem de terem alterado pontos importantes na vida dos personagens.

A Guerra Secreta dos Super-heróis Marvel Nº 05 - Setembro/1984

Não posso deixar de citar como outro ponto de destaque, e aqui vai nosso 4º ponto, a participação de Galactus. Jim Shooter soube entender o personagem Devorador de Mundos como ele realmente é, ou seja, um ser muito acima dos seres humanos. Com isso Shooter tomou a sábia decisão de não inserir Galactus nas estratégias menores dos heróis e vilões durante a Saga, deixando-o como uma ameaça sombria e enigmática pairando sobre tudo e todos. O primeiro embate entre Galactus e Beyonder no início da história já serviu para mostrar o quanto o Beyonder era superior à um dos seres mais poderosos do Universo. Isto serviu para dar a dimensão de quem era este estranho ser de outra dimensão. Aliás, em nenhum momento o Beyonder se materializa ou é apresentado fisicamente, o que permite ao leitor especular sobre a verdadeira identidade dele, podendo até em alguns momentos associa-lo com Deus.

A Guerra Secreta dos Super-heróis Marvel Nº 06 - Outubro/1984

Muitos talvez não saibam sobre a história de Guerras Secretas I aqui no Brasil, mas a publicação desta saga aqui foi algo que realmente vale mencionar. A Editora Abril, detentora dos direitos da Marvel em nosso país na época, estava com a publicação das revistas Marvel com uma diferença de cerca de 04 anos em relação ao que saía nos EUA. A Saga foi publicada aqui apenas em 1986, só que nesta época estavam saindo histórias aqui do início dos anos 80. Para equalizar o lançamento da saga com a chegada da linha de brinquedos da Matel pela Guliver, a Editora precisou reescrever muitos diálogos entre os personagens, já que muitas coisas dentro de Guerras Secretas eram inéditas em relação às histórias que estavam saindo aqui. Personagens precisaram ser suprimidos da história, caso de Vampira e Capitã Marvel, que na versão Brasileira não apareciam. Até mesmo o final foi reescrito para que tudo se encaixasse ao momento no qual os personagens viviam por aqui. Esta saga "abrasileirada" é hoje considerada um item de colecionador, já que é única no mundo.

A Guerra Secreta dos Super-heróis Marvel Nº 07 - Novembro/1984

No Brasil, a editora Panini lançaria a Saga original na integra em alguns momentos específicos no últimos anos: em 2007 em edição encadernada, em 2016 dentro da Coleção Histórica Marvel (em 04 volumes) e novamente em 2016 em um volume de luxo com capa dura com todo o arco original. A Editora Salvat também lançou a série em 2015 duas edições (Parte 01 e 2) capa dura dentro da Coleção Oficial de Graphic Novels da Marvel.

A Guerra Secreta dos Super-heróis Marvel Nº 08 - Dezembro/1984

A Guerra Secreta dos Super-heróis Marvel Nº 09 - Janeiro/1985

A Guerra Secreta dos Super-heróis Marvel Nº 10 - Fevereiro/1985

A Guerra Secreta dos Super-heróis Marvel Nº 11 - Março/1985

A Guerra Secreta dos Super-heróis Marvel Nº 12 - Abril/1985

É isso aí amigos... Uma série a ser lembrada, lida e reconhecida como um exemplo de que histórias boas não necessariamente necessitam de expedientes chocantes, violentos em demasia ou mesmo polêmicos para serem boas.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...