sexta-feira, 4 de outubro de 2019

Miniatura Marvel Série Especial Nº 16 - Colossus


Piotr (Peter) Nikolaievitch Rasputin teria sido apenas um fazendeiro em sua pacata vila siberiana na Rússia caso não tivesse nascido com um gene mutante. Sua vida foi marcada por tragédias, mas também por histórias que provaram que, apesar de seus incríveis poderes, o que o torna um mutante extremamente querido e conhecido é mesmo seu incrível coração e capacidade de colocar o bem estar dos outros acima do seu. Hoje conheceremos a incrível miniatura do Mutante Colossus dentro da Coleção de Miniaturas Marvel Eaglemoss, além de passearmos pela vida daquele que foi um dos integrantes mais emblemáticos dentro da 2ª formação da Equipe X-Men.

Miniatura Marvel Especial Nº 16 - Colossus

A robusta miniatura do herói mutante aparece dentro da coleção em seu Segmento Especial (personagens de grande estatura ou em duplas). Colossus vem retratado em seu uniforme original que pouco mudou, aliás, ao longo das décadas. Um uniforme que deixa bem evidente seu poder, ou seja, a possibilidade de transformar seu corpo em aço orgânico. Literalmente o Homem de Aço da Marvel. A peça traz Colossus em uma postura de alerta, como se estivesse esperando a vinda de algum bólido ou ataque inimigo. Isso pode ser atestado pelo punho esquerdo fechado como se já preparado para liberar um potente cruzado de esquerda. A posição do personagem sobre a plataforma nos dá também uma sensação de movimento, já que o pé esquerdo não está tocando o chão totalmente, ou seja, uma postura na qual ele está claramente em movimento (sem um "pé de apoio" fixo).

Miniatura Marvel Especial Nº 16 - Colossus

Gostei muito da modelagem e pintura da blindagem. O cor prata está bem destacada e a linhas horizontais que compõem o corpo nos faz associar claramente a pele do personagem com o aço. A musculatura está muito bem definida e todo o conjunto muscular da região anterior e posterior da coxa, tórax, braços e antebraços salta aos olhos. Destaco também os pilares musculares da região do pescoço anterior e posterior, parecendo modeladas como se fossem verdadeiras colunas de aço. O rosto aparece também muito bem definido, podendo-se identificar claramente a expressão dura do personagem neste momento, confirmando seu envolvimento em alguma batalha. Braceletes, botas, shorts, armadura peitoral e dorsal estão bem pintadas, com o tom de vermelho e amarelo-alaranjado do uniforme original. A letra "X" na fivela do cinto destaca-se por ser feita em dourado. Colossus em sua forma humana tradicional possui cerca de 1,95 metro, contraponto os 2,26 metro em sua forma blindada. Esta estatura o posiciona de forma justa dentro do panteão de pesos pesados da Marvel.

Miniatura Marvel Especial Nº 16 - Colossus

Colossus apareceu pela primeira vez em um dos momentos mágicos dos quadrinhos, aquele momento em que artistas se unem para criar algo espetacular e que consegue sintonizar exatamente a demanda do público. No início dos anos 70 a equipe mutante X-Men, criada por  Stan Lee e Jack Kirby, vinha dando sinais de desgaste (lê-se "baixas vendas"). A missão de reestruturar a equipe foi dada a dois grandes artistas do quadrinhos, Len Wein (sim, esse mesmo, o co-criador de Wolverine na Marvel e do Monstro do Pântano na DC) e Dave Cockrum, desenhista prolífico e grande nome da indústria. Colossus estreou ao lado dos outros personagens que compunham a nova Equipe de X-Men recrutada pelo Prof. Charles Xavier para salvar a 1ª Equipe, prisioneira na época de uma Ilha Viva (Krakoa). Em sua angústia o Prof. X usou o supercomputador Cérebro para localizar Novos Mutantes ao redor do Planeta para lhes oferecer a oportunidade de desenvolverem seus poderes, encontrar um lar e, comporem uma Nova Equipe que salvasse seus antigos pupilos prisioneiros.

Miniatura Marvel Especial Nº 16 - Colossus

Foi neste contexto que Peter N. Rasputin entrou para a história das HQs ao aparecer pela primeira vez nas páginas de Giant-Size X-Men #1 de maio de 1975. Colossus foi contatado pelo Prof. X e, ainda jovem e com seus poderes recém descobertos, tomou a difícil decisão de ir para o Ocidente rumo a um destino ainda incerto. A equipe montada pelo Prof. era inspiradora e talvez tenha feito tanto sucesso por sintetizar um anseio da época, o de se romper a barreira do nacionalismo panfletário norte-americano que muitas vezes havia imperado em muitas HQs. Xavier recrutou um Russo (Colossus) Canadense (Wolverine), uma Queniana (Tempestade), um Alemão (Noturno), um Irlandês (Banshee), um Japonês (Solaris) e (pasmem) um Nativo Norte-Americano (Pássaro Trovejante). A equipe representava simplesmente toda representatividade e diversidade que se queria, e os poderes de cada personagem não eram a principal atração, mas sim as dificuldades inerentes à transculturalidade ali encontrada. Foi realmente um deleite poder ver os heróis terem que transcender barreiras culturais e étnicas para ficarem juntos. Cada um com costumes e formas diferentes de ver a vida e o mundo. Colossus trazia para o grupo a estranheza de uma cultura vista por muitos ocidentais como diferente e repulsiva, já que os anos 70 vivia (como nunca) a polaridade entre Ocidente (EUA) e Oriente (URSS).

Miniatura Marvel Especial Nº 16 - Colossus

A escolha de dar à Colossus uma personalidade amável, ordeira e sensível foi uma opção corajosa e extremamente contraventora se pensarmos que em 1975 ainda reinava a estranheza pela cultura Russa e o belicismo entre EUA e URSS, ou seja, artistas americanos estavam de forma sútil dizendo que os Russos não eram os inimigos maus e sem coração que por décadas muitos americanos haviam pré-concebido. Peter Rasputin era filho de Nikolai e Alexandra e tinha como irmãos Mikhail e a Ilyana Nikolievna. Ilyana era talvez a luz dos olhos de Peter, e foi justamente a pequenina irmã que iria despertar o gene mutante de Colossus. Em uma das cenas mais emblemáticas dos quadrinhos para mim, o momento exato em que Peter se descobre como um mutante ocorreu em um belo dia em uma época em que o mundo, para Peter, se restringia à fazenda. Ilyana estava brincando com sua boneca na região mais baixa de um vale, e um imenso trator estava no alto do monte. Por alguma armadilha do destino, alguém não havia deixado a máquina engatada o que fez com que, gradativamente a imensa massa de ferro começasse a descer o vale ganhando força e velocidade em direção à pequenina Ilyana. Peter conseguiu ver a tragédia que iria acontecer, sua irmã seria esmagada pelo trator.

Miniatura Marvel Especial Nº 16 - Colossus

O leitor logo percebe que Peter não conseguirá chegar a tempo e, durante sua corrida, a descrição dos autores é fenomenal: "... e, sem hesitação, Peter Rasputin está correndo, as pernas latejando, o coração acelerado... ...o próprio ar ao redor crepitando com a energia de seu esforço... energia liberada de maneira espetacular". No momento final, quando o trator está sobre Ilyana, Peter literalmente já não é mais um simples humano, simplesmente o trator é reduzido à uma sucata ao encontrar um colosso em seu caminho, um colosso de puro aço. Foi algum tempo depois desta cena que o jovem recebe a visita do Prof. X. A vida de Peter ao lado dos X-Men foi de muito aprendizado e laços de amizade. O jovem Russo aproximou-se muito de 3 outros mutantes que, por compartilharem nacionalidades estranhas à norte-americana tinham muito o que dividir, eram eles: Tempestade, Noturno e Wolverine. Mas talvez a relação mais profunda que Peter gerou, foi com a jovem Kitty Pride, a mutante Lince Negra. Kitty entrou para os X-Men durante uma das fases de ouro do grupo, época em que a equipe mutante era desenhada pelo lendário John Byrne. Kitty era o protótipo da adolescente que todo cara iria querer ter como namorada. Ousada e ao mesmo tímida, com uma beleza prestes a florescer, engenhosa e inteligente. Kitty logo de cara se apaixonou por Colossus, o gigante russo sensível e com um enorme coração.

Miniatura Marvel Especial Nº 16 - Colossus

O relacionamento entre Peter e Kitty sofreria trágicas idas e vindas, e eu como leitor adolescente nos anos 80 sempre quis vê-los juntos, como se fosse a projeção de meus romances adolescentes na época. Infelizmente tive que esperar cerca de 30 anos para ver Colossus e Kitty Pride/Lince Negra estarem diante de um altar para se casarem, mas infelizmente acho que vou ter que esperar outros 30 pelo que pude entender da história, ou seja, os dois acabaram não se casando. Aqui está uma dupla de heróis que eu realmente gostaria de ver juntos, não só pelo fato ser legal em si e guardar incríveis possibilidades dramáticas (o dia a dia de um casal mutante marido-e-mulher), mas porque este enlace traz consigo lembranças de minha adolescência. Particularmente eu sempre quis ver Colossus melhor desenvolvido dentro do Universo Marvel. Quando percebi que ele poderia estar presente nos filmes dos X-Men da Fox, ele era um dos personagens que gostaria muito de ver crescer na franquia. Mas infelizmente isso não aconteceu. As poucas aparições de Peter Rasputin na franquia dos X-Men foram pífias, e sua contribuição nos filmes do Deapool foram mais como alívio cômico do que como possibilidade dramática.

Miniatura Marvel Especial Nº 16 - Colossus

Uma das melhores caracterizações do personagem em minha opinião foi o Colossus retratado na HQ Terra X.  A história narra um futuro totalmente distopico do Universo Marvel sob a perspectiva do Vigia e Homem-Máquina. Um futuro que abriga os heróis Marvel bem mais velhos, onde a anarquia tomou conta sem qualquer possibilidade de intervenção dos heróis. Um mundo onde a sociedade saiu dos trilhos. Nesse Universo (conhecido como Universo X) Colossus se refugia na Rússia e torna-se seu governante, um verdadeiro Czar que tenta proteger seu povo da hostilidade que agora reina no mundo. Adicionalmente a isto, neste Universo, a Rússia e seus férteis territórios se torna o celeiro alimentar do mundo. Assim, Colossus possui uma posição de destaque como líder mundial. Vale a pena conferir sua caracterização e história. Terra X está entre minhas HQs favoritas.

Bem amigos... Este é Colossus, um personagem que, tenho certeza, é considerado por muitos como um membro eterno dos X-Men e com um grande potencial. Um grande abraço à todos!!

3 comentários:

  1. Prezado Marcelo, bom dia, mais um texto excelente de apresentação de um personagem icônico da Marvel, mas fiquei com uma dúvida, se a minha desgastada memória pela idade e cervejas que bebi não estiver me traindo, acho que a Ororo era Queniana e não da África do Sul.

    Um forte abraço, João Luiz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado amigo João!!

      Excelente observação!! Foi um erro mesmo! Já corrigi! Agradeço muito a presença e participação, sobretudo para melhorar a acurácia das informações!

      Valeu mesmo amigo!!

      "...se a minha desgastada memória pela idade e cervejas que bebi não estiver me traindo..." kkkkkk Entendo perfeitamente !! rs rs rs

      Abração!

      Marcelo

      Excluir
  2. Valeu Marcelo, era só um detalhe mas a qualidade dos seus textos é tão boa que optei por levantar a questão. Sou seu leitor e admirador.

    Um forte abraço, João Luiz

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados