domingo, 17 de maio de 2015

Miniatura Marvel Nº 46 - Capitão Marvel - Genis-Vell

Miniatura Marvel Nº 46 - Capitão Marvel - Genis-Vell

Olá amigos... Ao longo dessa última semana ainda vimos o efeito negativo das ações da Eaglemoss Collection Brasil se propagar. Atualmente esse impacto negativo vem tomando outras conotações que, ao meu ver, será o legado de toda essa polêmica, ou seja, mais do que o problema com "resina" o que ficará para todos serão as ações inadequadas que a empresa tomou em seu relacionamento com os fãs, a saber: 1) - O lançamento de peças com uma determinada descrição e o envio da mesma peça em outro material ao comprador; 2) - Após a resposta negativa do mercado diante desta conduta a alteração da descrição de metal para resina no site; 3) - A colagem de adesivos nos fascículos que acompanham as peças ocultando o local onde estava escrito "esculpido em metal"; 4) - Uma política de pouca transparência e incapacidade de sintonizar com o gosto dos colecionadores. Não consigo ver outra razão para isso a não ser uma gerência completamente sem sintonia com seu público consumidor e que, infelizmente (ao que tudo indica), tem um "olhar" único e exclusivo para questões mercadológicas, desconsiderando o aspecto emocional que envolve esse tipo de ramo de negócio. Colecionismo é um ramo que envolve "paixão" e qualquer empresa desse ramo que não entender isso, e que não programar suas ações dentro dessa lógica estará fadada ao não crescimento. 

Miniatura Marvel Nº 46 - Capitão Marvel - Genis-Vell

Felizmente, as peças em si não tem nada a ver com toda essa trapalhada. Nesse sentido falaremos hoje da peça de Nº 46: Capitão Marvel (Genis-Vell). Analisando em primeiro lugar a peça podemos comentar alguns aspectos. A modelagem da anatomia, proporção e características antropométricas da estátua estão condizentes com o personagem nos quadrinhos. Além desses aspectos, acredito que a pintura da peça também está boa. O uniforme do personagem mistura o que parece uma "placa peitoral" vermelha com um tecido interessante que recobre o restante do corpo. Esse tecido escuro emula o aspecto de profundidade cósmica a que o personagem está ligado. Com a consciência expandida pela Inteligência Suprema Kree, Genis-Vell ganhou o que é conhecido na Casa das Ideias como "Consciência Cósmica". Um profundo e consistente senso do cosmo como um todo.

Miniatura Marvel Nº 46 - Capitão Marvel - Genis-Vell

A textura do restante do uniforme do "herói" provém desta consciência expandida do personagem, sua dádiva e sua ruína como veremos abaixo. A postura em que Genis-Vell se encontra é interessante ao colocar em primeiro plano o elemento mais importante na mitologia dos "Capitães Marvel": os braceletes cósmicos. Sendo assim, não há contradição ou mesmo mal estar com esse aspecto da peça. Um dos pontos negativos, no entanto fica por conta de uma questão recorrente ao longo da coleção, a modelagem do rosto do personagem. Como vimos em outras peças analisadas aqui, personagens com a face desnuda possuem uma modelagem mais sofrível, que em geral os afasta de suas feições conhecidas nos quadrinhos. No caso deste Capitão Marvel podemos dizer que esse problema não chega a incomodar já que, em função de suas feições azuis, a perfeita definição do rosto não é tão necessária.

Miniatura Marvel Nº 46 - Capitão Marvel - Genis-Vell

Muitos colecionadores ficaram em dúvida quanto à identidade deste personagem que pouco lembra o Capitão Marvel mais conhecido na mitologia Marvel, um guerreiro Kree de cabelos loiros chamado Mar-Vell e que morreu de câncer em uma das mais tocantes histórias da Marvel publicada em 1982. Na verdade, Genis-Vell é filho de Mar-Vell e, em função de suas histórias serem pouco conhecidas, temos então as dúvidas e confusões. Antes de comentar sobre o histórico de Genis-Vell, gostaria de trazer uma importante informação sobre esse conhecido nome: "Capitão Marvel". O Capitão Marvel Original é, na verdade, o personagem conhecido atualmente como "Shazam!" e possui como alter-ego o jovem Billy Batson. O Capitão Marvel Original ou Shazam! (como a DC quer que o chamemos atualmente), foi criado durante a Era de Ouro dos Quadrinhos (1938-1956) para rivalizar com outro personagem da época o "Superman". Com essa criação iniciava-se então um grande embate judicial por plágio entre a DC Comics (National Comics na época) e a Fawcett Comics (criadora do Shazam!). Com o abandono do processo pela Fawcet Comics anos depois, o personagem e seu nome (Capitão Marvel) caíram no limbo editorial, abrindo caminho para que, em 1967, a Marvel Comics criasse o seu Capitão Marvel, pai então de Genis-Vell.

Miniatura Marvel Nº 46 - Capitão Marvel - Genis-Vell

Após a morte de Mar-Vell, sua esposa Elysius de Titã, se utilizou do material genético do falecido marido para conceber uma criança, a que dá o nome de Genis-Vell. Envelhecendo artificialmente o filho para que não se tornasse uma presa fácil pelos inimigos de seu pai, Genis-Vell torna-se o herói conhecido como LEGADO, vivendo durante um tempo como aliado do Surfista Prateado. No entanto, em pouco tempo Genis-Vell reivindicaria o nome deixado por seu pai, Capitão Marvel. Assumir tal nome e legado, acabou por despertar a Consciência Cósmica latente dentro de Genis, algo como que uma herança genética de seu pai, conferindo portanto a ele um novo papel dentro do universo Marvel.

Miniatura Marvel Nº 46 - Capitão Marvel - Genis-Vell
O senso de Onisciência advindo da sua nova consciência ampliada, conduziu lentamente Genis-Vell à loucura, tornando-o alguém instável e perigoso. Inicialmente esse estado foi contornado pela sua mãe (Elysius), sua irmã Phyla e pelo antigo parceiro de seu pai, Rick Jones. Durante essa fase de restauração e estabilidade Genis-Vell integrou a equipe de anti-heróis conhecida como Thunderbolts. Foi durante essa fase nos Thunderbolts que Genis-Vell mudou seu codinome de Capitão Marvel para Pulsar. O destino de Genis-Vell, no entanto parecia não concordar com sua existência.

Miniatura Marvel Nº 46 - Capitão Marvel - Genis-Vell

Assim, a tragédia voltou à vida do personagem. Ainda no Thunderbolts Genis-Vell voltou a sofrer (após um combate com o Homem-Púrpura (inimigo do Demolidor)) a triste instabilidade mental à que fora vítima antes. Como numa analogia de um doente mental que luta para se manter firme ao tecido da realidade sem sucesso, Genis-Vell tentava manter o equilíbrio entre sua quase onisciência e sua vida de ser vivo único. No entanto, a dádiva da Consciência Cósmica passou a colocar em risco a vida em todo o Universo e Genis-Vell foi assassinado pelo Barão Zemo, líder dos Thunderbolts na época. Isso ocorreu em 2005. 

Genis-Vell é uma metáfora sobre a beleza, pequenez e finitude de nossa existência. Uma história, ao mesmo tempo rica em elementos existenciais (advindas da dádiva da consciência cósmica) e triste, face à tragédia proveniente da incompatibilidade de um ser vivo carregar tamanho senso de existência.

Miniatura Marvel Nº 46 - Capitão Marvel - Genis-Vell

Bom amigos... É isso aí. Continuarei a publicar as matérias sobre as peças da coleção entendendo que, acima dos passos errados da empresa, está a satisfação de falar sobre os personagens e miniaturas. Isso, no entanto não nos exime da responsabilidade de apontar para a Eaglemoss suas falhas, sempre no sentido de melhora-la. Espero que a empresa entenda o potencial que tem nas mãos e como poderá, caso mantenha esse tipo de relacionamento com seus consumidores, perdê-los. Que a empresa se lembre que, como qualquer relacionamento, as ações cumprem uma via de "mão dupla". Assim, espero que a Eaglemoss lembre-se do potencial que possui (conforme listado abaixo) e não o coloque a perder.

1 - Um mercado ávido e continental em suas mãos.

2 - Uma carteira de clientes devotos.

3 - Um produto que, para muitos só vale se for completo, ou seja, se forem compradas todas (ou a maioria) das peças.

Abraço à todos...

10 comentários:

  1. EI Marcelo!

    Cara, essa miniatura me surpreendeu positivamente. Admito que conheço muito pouco do personagem, mas como estou fazendo toda a coleção nenhuma fica de fora.
    Me interessei pelo personagem, e até agora, das 48 regulares que possuo, esta é sem dúvidas uma das mais bonitas.
    A pintura "galática" confere toda uma beleza única a peça.

    Abraços,

    Gabriel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí Gabriel! Que legal cara!

      É bom quando uma miniatura que nem estávamos esperando nos surpreende assim. Tive várias experiências como essa também. Ex.: Homem-Areia, Motoqueiro Fantasma, Kraven...

      Genis-Vell é um personagem obscuro mesmo. Não alcançou a dimensão de seu pai: Mar-Vell.

      Agora... A pintura galáctica ficou show mesmo, pois conseguiu passar a existência de uma profundidade no personagem, explicado pela Consciência Cósmica dentro dele.

      Valeu amigo!!

      Marcelo.

      Excluir
  2. Bom dia Marcelo, aqui é o João, leitor assíduo do seu Blog mas que comenta muito pouco (este é apenas o segundo comentário que faço).

    Como sou um leitor das atingas, desde a década de 70, eu tenho uma admiração muito maior pelo Capitão Marvel tradicional, o Mar-Vell, e não obstante esta peça estar muito legal, em se tratando de coleção, eu preferia mil vezes que a ordem fosse invertida e que agora tivesse sido lançada a peça do Mar-Vell (prevista pra ser a número 164 da coleção) do que esta do Gengis-Vell.

    O motivo é obvio, com tantos problemas que a Eaglemoss está apresentando na distribuição das peças, principalmente a polêmica da resina x metal, eu não sei se a coleção aqui no Brasil seguirá até o final. A minha torcida é de que os atuais problemas não interrompam a oferta das peças aqui no nosso País.

    Um grande abraço e mais uma vez parabéns pelo Blog, seus cometários são sempre muito informativos e muitíssimo bem escritos, tanto na forma quanto no conteúdo, indo além do básico e superficial que vemos em outros sites e blogs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá João! Poxa... Valeu então pela presença constante, embora não percebida... rs rs

      Fico muito contente em saber que gosta aqui do meu Blog. Valeu mesmo!

      Concordo plenamente com você. Nada contra ao Genis-Vell, mas ficamos como que com um anti-clímax, já que o pai dele é que marcou profundamente a história da Marvel. Há muito tempo importei o Mar-Vell pois não queria deixa-lo de fora da coleção, dada sua importância na vida de todos nós.

      Sobre a questão da polêmica da Eaglemoss, senti uma ligeira melhora na relação com os fãs através da página no Facebook, pois passaram a responder os comentários dos fãs um pouco mais. Além disso, a empresa comentou, em resposta à um colecionador, que a Coleção estaria garantida até o Nº 120 por enquanto. Para aqueles que estavam com medo dela parar no 100 (conforme havia sido divulgado antes) já ganhamos mais um folegozinho. rs rs rs

      Vamos torcer para que vá além do 120!!

      Novamente obrigado pelo comentário, sobretudo por essa última parte. Para mim meu maior estímulo é poder trocar essas "figurinhas" aqui com vcs!!

      Valeu mesmo!

      Marcelo.

      Excluir
  3. Olá Marcelo, não sei se você já tem, mas o Galactus está em pré-venda. Não aparece direto no site, mas o pessoal postou o link na página do Face da Eaglemoss.

    Abs., Carlos - São Paulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa!!! Blz Carlos!!

      Cara... Eu vi sim!! O Galactus é o Santo Graal da coleção e ainda não o tenho! Fiz meu pedido já! Valeu por avisar.

      Acho que o lançamento dele vem em boa hora, já que depois de todo Tsunami negativo que varreu os fãs recentemente com a polêmica Metal x Resina e a falta de comunicação com os fãs, esse lançamento vem lembrar a todos quanto à satisfação de fazer tal coleção. Ou seja, vem resgatar a paixão de muitos. Espero, no entanto que a Eaglemoss aproveite bem isso.

      Valeu amigo!

      Marcelo.

      Excluir
  4. Grande Marcelo! Puxa vida, que coisa chata essa polêmica do material dessas belas miniaturas. Infelizmente, o colecionador em nosso país ainda é muito desrespeitado. Mas o negócio é seguir adiante. Gosto muito da história do Capitão Marvel, em todas as suas fases. Me lembro de uma fase do Genis-Vell que saiu na revista Quarteto Fantástico & Capitão Marvel, no começo da Panini no Brasil com as revistas Marvel, que era muito divertida. Se não me engano essa fase foi descontinuada pela editora. Mas lembro que eu gostava bastante. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcelo...

      Pois é... No final a polêmica Metal x Resina até passou para outro campo. O campo da ética e do relacionamento com os colecionadores, pois para muitos não há problema as miniaturas serem feitas de resina, mas sim o fato da empresa não ter avisado nada, e mais, ter alterado a descrição das peças no site depois de ter estourado a insatisfação de todos.

      Penso que a gerência desconsiderou completamente os consumidores, enxergando-os ainda como Nerds imaturos que gostam de brinquedos e portanto podem sofrer qualquer dano. No entanto, já observo uma certa mudança da empresa na sua página do Facebook, começando a responder mais aos fãs e dar mais atenção.

      Confesso que não conheço nada do Genis-Vell, tive que estudar para fazer essa matéria, já que não possuo qualquer memória das suas histórias ou participações.

      Como disse o João acima, sem querer desconsiderar o Genis-Vell, preferia que, primeiramente, tivessem lançado o seu pai: o Mar-Vell. Esse sim possui uma grande relação com o imaginário coletivo dos fãs da Marvel.

      Valeu xará!

      Grande Abraço!

      Marcelo.

      Excluir
  5. Parabéns mais uma vez Marcelo, excelente matéria. Eu fui um dos que fiquei em dúvida com relação a origem deste capitão marvel, que nunca li nenhuma estória na minha época dos quadrinhos. Bastante esclarecedora a matéria.
    Com relação ao problema da resina como matéria das especiais da D.C., compartilho plenamente do seu raciocínio, vejamos como a empresa irá se posicionar daqui em diante, só espero que a moda não chegue às normais da D.C. e muito menos às da Marvel. Aí sim o problema seria bem maior.
    Grande Abraço,
    Iuno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa! Valeu Iuno!

      Também para mim é um personagem estranho, sem nenhum laço afetivo comigo. Existem personagens que podemos discorrer horas e horas sobre eles. Já esse não me dizia nada. Uma pena, pois ao pensarmos no legado deixado pelo pai dele acho que poderiam ter feito dele uma figura de importância no Universo Marvel.

      Sobre a resina concordo com vc. Caso essa onda de mudança de material acho que muitos desistirão de comprar. A empresa tem que pensar bem em seus próximos passos.

      Valeu amigo!

      Marcelo.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados