domingo, 10 de maio de 2015

Eaglemoss: Metal x Resina - Essa sim uma polêmica verdadeira


O presente Blog já há muito fixou sua linha editorial (sob minha responsabilidade) em diversos aspectos da cultura pop, tendo, no entanto um em especial, o "Colecionismo". Mais especificamente a Coleção de Miniaturas de Metal da empresa inglesa Eaglemoss. Para manter essa coerência e a historicidade do Blog senti-me sob a responsabilidade de deixar aos leitores minha opinião sobre a incrível mudança de estratégia comercial adotada pela Eaglemoss no que se refere ao material do qual as peças Especiais da Coleção são feitas: de METAL para RESINA. Embora possa ter seu valor, a resina é um material mais leve e que, apesar de não alterar necessariamente o aspecto da peça, altera algo muito mais importante que isso para o colecionador: SUA ALMA.


Desde o início desta fantástica coleção de metal da Marvel (abril de 2012) e da DC (agosto de 2013) venho adotando uma postura de ampla e incondicional defesa da Eaglemoss por entender que ela é uma empresa estrangeira de colecionismo de qualidade, com distribuição em vários países e que literalmente expandiu infinitamente o horizonte do "Colecionismo de Qualidade" no Brasil com sua chegada. Minha defesa também se baseou no fato de que sempre sonhamos em ver coleções boas em nosso país, portanto nunca consegui entender a postura de fãs que "destroem verbalmente" a empresa por pequenas falhas, mas que acabam tratando bem vendedores incrivelmente inescrupulosos no Mercado Livre e de outras redes sociais (os chamados vendedores "Scalpers") que praticam preços abusivos e vendem peças com os mesmos eventuais erros da Eaglemoss. Essa aliás sempre foi a postura que mais me irritou no colecionador, ou seja, a de denegrir a empresa (que vende a peça dentro de preços minimamente praticáveis) e idolatrar "scalpers" que vergonhosamente nos exploram e contribuem para que o empreendimento empresarial vá à falência. Lembro, aliás que se isso acontecer voltaremos à 04 anos atrás quando tínhamos que viver sob o jugo dos Scalpers.


Dito isso, ressalto que continuo torcendo pela Eaglemoss não porque acho-a a melhor empresa do mundo, mas porque quero ver um Brasil livre (ou pelo quase livre) de "Scalpers" e com colecionismo de qualidade dentro dos trâmites legais de nosso país. Porém...

Porém, há cerca de 01 mês a Eaglemoss tomou uma medida sem qualquer aviso prévio: de alterar o material das peças Especiais de Metal para Resina. Recebi essa mudança com um imenso pesar e indignação por alguns motivos que gostaria de colocar aqui. Talvez o mais importante deles relacione-se à falta de "cuidado" (e estou sendo educado) com o colecionador. Essencialmente, o colecionador que investe nessa coleção possui um perfil específico, ou seja, compra as peças sobretudo pelo fato delas se afastarem do conceito de "brinquedo lúdico" (aqui vai uma ressalva, o "brinquedo" pode, e muitas vezes é, tão valioso quanto qualquer outra peça, mas essa não era a proposta inicial da coleção) e se aproximarem do conceito de "Obra de Arte". Nesse escopo, diversos são os fatores que a fazem parecer uma estátua com aspectos artísticos, dentre eles o "Material" do qual são feitas. A liga metálica traz um "peso" não apenas físico à peça, mas sobretudo "simbólico" no íntimo do colecionador. Por mais que o fã goste de admirar de longe a miniatura, ele sabe que no fundo ali está uma "ESTÁTUA" com todas as características que a compõem, inclusive seu material.


Ao alterar esse elemento a Eaglemoss retirou a "ALMA" da peça, levando a coleção para o "lugar comum" das outras coleções. Rebaixou a coleção ao nível de peças com material mais inferior. Isso está fazendo com o colecionador com o perfil descrito acima se afaste indignado ao perceber, sem aviso prévio, tal mudança. Ao modificar o METAL para RESINA a empresa retira a exclusividade da coleção e a atira ao lugar comum nas bancas. Retira seu diferencial e uma de suas principais características que a define como "Obra de Arte". Sei que há muitos colecionadores que gostam da resina e costumam colecionar peças com diversas propostas distintas. Não quero aqui dizer que esse colecionismo mais geral é ruim (eu inclusive gosto e me utilizo dele), apenas digo que a imensa maioria que buscava a Coleção de Metal da Eaglemoss perseguia algo mais.


Até o momento o que temos são informações desencontradas e não oficiais da empresa, dadas por atendentes que não sabem ou não entendem o que se passa. Sendo assim circularam algumas hipóteses que, sem a confirmação da Eaglemoss, ficam difíceis de serem validadas como verdadeiras. Dentre elas ouvi que essa mudança ocorreu em função de uma "determinação direta da DC", para que as peças passassem a ter mais sustentabilidade, menor custo de transporte e manutenção de preços em níveis adequados. Porém, tudo isso se perde sem a presença de um comunicado oficial. Outro aspecto muito ruim e talvez pouco "ortodoxo" praticado recentemente pela empresa foi a modificação da descrição das peças na Loja Oficial e colocação de adesivos cobrindo os fascículos no local onde antes se lia "Miniaturas Esculpidas em Metal". O setor de "Planejamento Estratégico" da empresa, em associação com o "Marketing", precisam rever essa situação e considerar seu impacto no futuro da coleção.


O MELHOR a se fazer nesse momento ao meu ver não é destruir a empresa, até porque isso pode acabar acontecendo sem nossa ajuda com a redução drástica das vendas, o que traria o vácuo perfeito para os "Scalpers" retornarem soberanos. Também não acho que devemos esquecer esse fato, passando a viver como "bebês chorões" que só reclamam e não fazem nada. Talvez o melhor a fazer seria manter um canal de comunicação ativo com a empress através de seu "Fale Conosco" sem esperarmos, obviamente, por um retorno e solução imediatos. Uma empresa não muda uma estratégia do dia para a noite. Não adianta reclamar que o "Fale Conosco" não retornou com a resposta que esperávamos imediatamente. O que deve ser feito é um envio de comunicados e mensagens sérias, eticamente adequadas e CONTÍNUAS de maneira que, com o tempo a empresa entenda o "querer" real da comunidade colecionadora. Entendo que fica difícil para eles separarem comentários sérios, justificados e fundamentados do ruído geral que muitas vezes mais parece uma choradeira sem fim.


Não acho que agressões verbais de baixo calão sejam o caminho nesse momento, mas sim um "levante" honesto, ético e cheio de razão da comunidade colecionadora. Vivemos um momento delicado, em que a crise mundial e nacional podem interferir negativamente na manutenção da coleção. Não sejamos mais um elemento para a derrocada da empresa, mas sim um elemento que contribui para a melhora real e sustentada dos serviços prestados. Exijamos nossos direitos e façamos ouvir nossos desejos e sentimentos como nação colecionadora organizada e madura.



Fiz questão de usar os "Banners" da Loja Virtual da Eaglemoss aqui por único motivo: para que vejamos o qual excelente é essa coleção para que seja simplesmente descontinuada por dois motivos contornáveis: O PASSO EM FALSO DA EMPRESA e nossa eventual REAÇÃO INADEQUADA a ele.

Que a força esteja com você.

85 comentários:

  1. Olá, Marcelo!

    A mudança repentina do material de que as peças são feitas foi realmente um soco no estômago do colecionador. Mudar a descrição das peças na loja virtual de "esculpido em metal" para "esculpido em resina", depois que vários colecionadores já haviam comprado, pareceu-me má fé da Eaglemoss Brasil e uma tentativa de impedir que os compradores provassem que existiu propaganda enganosa.
    Outra coisa que causa certo desconforto é o fato de, apesar de ser uma peça original, a miniatura parecer falsa se comparada com uma importada feita de metal. Não quero ter uma peça similar.
    Assim como a maioria dos colecionadores, eu quero que a coleção chegue completa da mesma maneira que foi a coleção na Inglaterra, inclusive sendo produzida no mesmo material.
    Sabemos muito bem que existem miniaturas tanto da DC quanto da Marvel que foram produzidas em resina e que são peças maravilhosas, como o Monstro do Pântano por exemplo. Mas é desagradável ter um Grodd de resina sendo que a mesma foi inicialmente fabricada em material metálico e é uma das figuras mais pesadas e formidáveis da coleção.
    Torço que a Eaglemoss Brasil pense melhor e reveja a escolha dos materiais utilizados para que fique em conformidade com a coleção oficial inglesa ou faça algum reajuste no preço, pois pagar R$75,00 reias num Bane de plástico é dureza.

    Forte Abraço, Amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Moisa...eu sinceramente não acredito nesta lenga lenga da eaglemoss br de que foi ordem da dc.
      isto pra mim cheira a falcatrua...
      nos sites das eaglemoss de outros paises, inclusive da inglessa que é a matriarca, estas miniaturas constam como METAL.
      vale ressaltar tambem que se a EBR tapou com adeviso na revista onde esta escrito metal, CLARAMENTE ELA NÃO VEIO COMO RESINA DE FORA, pois se não, estaria escrito" miniatura de resina"e não foi este o caso, o que pra mim mostra claramente que estas miniaturas de resina são feitas por outra pessoa, que não seja da eaglemoss.
      o valor das miniaturas é outro absurdo...como podem mudar o material para pior e simplismente aumentarem de preço?esta conversa de aumento do dolar caiu como uma luva para a eaglemoss aumentar o valor...porem, se é de material inferior, claramente o preço deveria ser menor tambem ne?
      pois bem, liguei pra la e a atendente falou que o preço não vai diminuir.
      isto é bandidagem.
      agora, concordo com o Marcelo...a eaglemoss esta cavando sua destruição.
      evidente que nos não queremos isto, pois dependemos dela para nossa coleção, porem, claramente estas miniaturas de resina não vão vender nada...imagina o prejuizo que vão ter com isto....mas não tenho pena...simplismente cavaram a propria sepultura agindo de ma fe deste jeito....
      talvez o responsavel por isto da eaglemoss br tenha pensando"vamos mudar para resina e deixar o preço assim, eles vão chorar, mas no final vão comprar"....porem, ja deu pra ver que vão quebrar a cara, pois seus clientes não so não vão comprar, como tambem vão buscar as mesmas no exterior onde vendem de metal.
      ja mandei email para a eaglemoss inglesa e segundo o que pareceu, eles não sabem que isto esta acontecendo...e isto vai dar problema, ja que a BR leva o nome de toda uma empresa....e se a br é afetada, a sua matriz tambem vai ser denegrida.

      Excluir
    2. Pois é, caro Anônimo, eu me senti totalmente engado ao comprar uma coisa e receber outra. Foi uma atitude de extremo mau gosto por parte da Editora.

      As bancas de SP receberam várias miniaturas do Superman Golden resina. Qualquer pessoa que goste de HQ, sendo colecionador das miniaturas ou não, ao ver a peça tão bonita vai ficar interessado. Ao saber o preço das peças e descobrir do que são feitas logo perderão o interesse.
      Vamos ver no que vai dar. Eu torço pra que sejam fiéis ao que saiu na Inglaterra.

      Excluir
    3. Pois é, caro Anônimo, eu me senti totalmente engado ao comprar uma coisa e receber outra. Foi uma atitude de extremo mau gosto por parte da Editora.

      As bancas de SP receberam várias miniaturas do Superman Golden resina. Qualquer pessoa que goste de HQ, sendo colecionador das miniaturas ou não, ao ver a peça tão bonita vai ficar interessado. Ao saber o preço das peças e descobrir do que são feitas logo perderão o interesse.
      Vamos ver no que vai dar. Eu torço pra que sejam fiéis ao que saiu na Inglaterra.

      Excluir
    4. Olá amigos Moisa e Anônimo (Eduardo Andrade)...

      A reflexão de vocês acima é justificável e honesta, pois parte de pessoas que querem ver a coisa andar e dar certo. Vocês não são atravessadores, são simplesmente uma amostra do colecionador brasileiro que simplesmente quer ser tratado com respeito e ter uma comunicação honesta com a empresa.

      Tenho certeza de que veremos desdobramentos desses acontecimentos. Todo esse debate mostra que estamos atingindo um nível de maturidade como consumidores.

      Espero que de todo esse debate surja uma síntese de tudo para que possamos encaminhar à empresa.

      Grande Abraço!

      Marcelo.

      Excluir
  2. vale ressaltar o seguinte...
    a eaglemoss br foi completamente deselegante com os clientes visto que tambem muitos devolveram os Mojos duplicados que receberam...e o que recebem em troca?isto...
    imagina alguem que recebeu dois mojos, devolveu, e depois comprou o grood e o bane com a descrição de metal e a empresa disse que não vai devolver?
    é realmente surreal..não vou justificar dizendo que as pessoas que devolveram o mojo foram tolas, pois fizeram o correto, porem aqueles que não devolveram provavelmente devem estar se sentindo com a alma lavada depois desta sujeirada da eaglemoss br.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Eduardo...

      Você tem toda razão. Lembro inclusive de ter visto um post no Facebook da Eaglemoss apelando para a ética no que se refere à devolução do Mojo.

      Bem lembrado... Ou seja, confiança e respeito são aspectos que se conquistam com o tempo e espero que a Eaglemoss Br se fundamente sobre esses dois pilares!!

      Abc.

      Marcelo.

      Excluir
  3. Oi Marcelo, tudo bem? Fiquei bastante preocupado e frustrado com essa história toda, embora ainda não tenha adquirido nenhuma miniatura de resina. Mas como não estou acompanhando essa situação nas redes sociais (ou em qualquer outro lugar), não ficou claro pra mim quais miniaturas foram afetadas por essa troca de metal pra resina. São só as especiais da DC? Todas da DC? Ou o quê? Gostaria que você me esclarecesse isso se possível. Desde já agradeço sua atenção de sempre!

    Abraços

    Raphael

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Raphael... Blz!?

      Então amigo... O que temos por enquanto é a informação não oficial por parte da empresa de que essa mudança de material se restringiria às peças Especiais da DC somente, e que não afetaria a linha normal (peças de estatura normal) e nem as Especiais da Marvel.

      Como o amigo Moisa disse acima a questão é que muitas peças foram produzidas mesmo em RESINA (Ex. Mostro do Pântano (DC) e Blob (Marvel)), no entanto elas são incríveis e foram, originalmente produzidas assim. Já o Bane, Superman Golden e Grood são originalmente de Metal. Assim, o colecionador se sente muito triste e indignado ao perceber que parte da coleção ficará com material diferente daquele em que determinada peça foi produzido.

      Espero ter respondido.

      Grande Abraço!

      Marcelo.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Se realmente a presença de peças de resina for algo inevitável, o comportamento mínimo aceitável da parte da Eaglemoss seria informar com clareza e transparência quais peças são de metal e quais de resina. Após ler seu post ontem entrei no site deles pra ver se tinha sido acrescentada alguma informação sobre o material de cada peça. Não achei nada. A menos que eu tenha deixado de olhar em algum lugar, não existe no site nenhuma informação sobre o material das peças, nem nas de metal nem nas que foram "trocadas" pra resina.

      Outra questão é o preço, que não parece ter coerência alguma. Resina é um material muito mais barato que metal. Como pode o Grodd de resina com seus 12 cm custar R$74,99 sendo que o Sentinela de metal com 17 cm custou R$59,95?

      Excluir
    4. Concordo Rafael.

      A transparência é sempre o melhor caminho e nosso país precisa urgentemente disso.

      Acredito que ele retiraram as informações sobre o material das peças. Acho que eles querem menos dor de cabeça com essas descrições. No entanto, não deveria ser assim, pois queremos saber de que material são feitas.

      Nós, colecionadores já antigos, já sabemos, mas imagina um colecionador chegando agora. Terá dificuldade de entender que tipo de material está comprando.

      A questão do preço é outra coisa que a resina veio piorar, ou seja, tenho certeza de que muitos iriam preferis as peças em resina se elas viessem mais baratas. No entanto, essa vantagem que esse material traria não aconteceu. Isso também tem irritado muito os fãs.

      Abc!!

      Marcelo.

      Excluir
  4. Gostei do seu texto bem informativo e responsável. Bem diferente do que ando lendo por aí. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Fabiano!!

      Valeu pela presença! Legal tê-lo por aqui!

      Abc!!

      Marcelo.

      Excluir
  5. Excelente texto, Marcelo.
    Vc definiu bem o que o impacto da troca de resina por metal significa para o colecionador.

    Mas discordo em alguns aspectos de você.
    Realmente, não é interesse NENHUM de nós que a Eaglemoss feche suas portas, mas acho que eles sentirem um "baque" nas vendas agora é mais do que necessário, pois apenas assim eles vão sentir que, sem os clientes, eles também não terão lucros e motivos para ter a empresa.

    Sentindo esse golpe eles podem inclusive adotar outras providências para manter a originalidade da coleção, e inclusive, ter um mínimo de consideração e honestidade com o cliente, já que se ele for enganado por ela, ele tomará as medidas cabíveis ou o boicote a ela.
    A coleção da DC eu mesmo já estou largando mão, pois só queria algumas específicas, diferentemente da coleção da Marvel.
    As reclamações na página estão realmente numerosas, mas sendo mais diretas ou debochadas, ainda acho que [e uma forma do colecionador extravasar seu descontentamento, e se for uma pergunta séria, para procurar uma justificativa.
    O problema é que eles nunca respondem, e quando o fazem, são apenas com respostas genéricas...

    Abraços.
    Gabriel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gabriel...

      Obrigado pela presença. Concordo com o fato de que para alguns colecionadores o material do qual a peça é feito não representa tanto quanto alguns outros aspectos como por exemplo: pintura, modelagem, característica de medida... No entanto, para mim o peso constitui-se em um aspecto muito relevante. Talvez minha opinião nesse aspecto tenha sido feita com base em meu gosto pessoal eu admito.

      Sobre seu segundo ponto Gabriel, na verdade eu concordo também, ou seja, é importante que esse "baque" seja sentido sim para que ela veja que atitudes levam alguns efeitos. Acredito que tratar o nosso mercado, só porque ele é gigantesco, com menos atenção e cuidado não é correto e com certeza esse viés nas vendas cumprirá o papel de alerta para a empresa. Nesse ponto acredito que concordamos. Talvez no texto eu não tenha deixado tão claro que para mim é sim importante esse efeito sobre a empresa. Porém, como todo bom colecionador torço para que seja um "baque" que não destrua a empresa, pois seria um perda para o colecionismo no Brasil. No entanto, se eles continuarem nessa linha acredito que isso possa acontecer.

      Você tem razão ao dizer que mesmo o comentário debochado no fundo é sim uma forma de reclamação e de colocação de ponto de vista. Só tenho medo de que como são comentários de brincadeira, engraçados e muitos até ofensivos, a empresa os desconsidere por acha-los irrelevantes. Mas nesse sentido eles tem espaço sim.

      Poxa... Legal sua participação Gabriel.

      Valeu mesmo!! Acho que esse local aqui pode servir para um aprofundamento sério dessa questão.

      Grande Abraço!

      Marcelo.

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Excelente texto Marcelo.
    Você definiu bem o fato de, a troca do material das peças ter afetado a “alma” da coleção.
    Infelizmente a Eaglemoss Brasil, está ignorando seus clientes e consumidores, pois não se pronuncia oficialmente através do seu site ou da sua página no Facebook. Essa omissão faz com que surjam várias teorias e especulações sobre o rumo da coleção. Até o momento não vi em nenhum site que não fosse o do Brasil, a troca das informações de que as peças passariam a ser de resina. Teremos sempre os aproveitadores de plantão que já elevaram os preços das peças a valores abusivos (pelo menos da minha parte não conseguirão um centavo). Em minha opinião se antes da venda, ou antes, da entrega das peças, a Eaglemoss informasse a seus clientes a troca do material e nos desse a opção de escolha, essa polêmica toda não teria surgido. Admira-me uma empresa de nível mundial cometer essa falha, ainda que seja através de uma de suas filiais. Outro ponto é que, as peças de resina estão com datas de 2009/2008 o que leva a crer (novamente aqui uma dedução por falta de informação oficial) que essa informação recente de mudança de material por parte da DC é no mínimo estranha. Ha países que proíbem à comercialização dessas peças em metal e nesses países as peças são de resina. Não poderia a Eaglemoss Brasil estar aproveitando os lotes de peças desses países? Ficaremos sempre na dúvida e sempre existirão várias vertentes para esse episódio, enquanto a Eaglemoss não ser pronunciar oficialmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Alan...

      Obrigado pela presença e importantes colocações.

      A falta de comunicação oficial por parte da empresa gera coisas indesejáveis e abre o campo para especulações que só aprofundam negativamente a questão. Ao invés de passarmos a debater os motivos e as soluções reais para o problema, tendo por base a realidade oficial, criam-se teorias até conspiratórias que não podem ser confirmadas nem refutadas. Ou seja, todos perdem.

      Você tem razão, boa parte da polêmica foi em função da ausência de um aviso prévio da mudança de material. Interessante esse raciocínio que você faz sobre as datas das peças. Você tem razão no fato de que se a DC determinou isso há muito tempo isso deveria ter sido informado aos fãs. Mesmo que essa história de determinação seja verdade, o comunicado deveria ter vindo antes.

      Por último acho esse outro ponto muito relevante como hipótese para o aparecimento dessas peças de RESINA. Ou seja, elas virem de países que proíbem o metal e portanto teriam peças excedentes remanejadas pela Eaglemoss Brasil. Mas olha só, acabamos ficando no campo das conjectura. O que é muito ruim!!

      Valeu Alan!! Obrigado pelo comentário e reflexões.

      Abc.

      Marcelo.

      Excluir
  8. Perfeita colocação meu amigo e me abriu os olhos para outro ponto de vista.Acho que o verdadeiro motivo da mudança de estrategia da Eaglemoss é o fim da coleção na maioria dos Países do mundo e logo a não fabricação destas peças pela China. Isto indica que a Eaglemoss deverá lançar a maioria das especiais aqui no Brasil, porem a um custo mais acessível tanto parta eles como para nós.Com a subida do dolar a manutenção destas peças no mesmo material tornaria o preço elevado e acredito que a Eaglemoss ficou encurralada entre não lançar e perder a credibilidade ou mudar o material e apostar na reação do consumidor. Acho que a exigibilidade da peça de metal por parte de nós colecionadores um exagero pois pelo menos 30% das lançadas ditas especiais já são de resina e com a chegada das novas coleções do chess que utilizam o mesmo material, não impedira nós colecionadores de fazermos esta coleção também. Portanto, o único erro da Eaglemoss foi de não avisar a mudança do material e temos que agradecer a eles por lançarem estas peças aqui, mesmo que em resina, pois hoje se tornou uma tarefa quase que impossível a obtenção das mesmas no ebay ou outro lugar no mundo.O consumidor não pensa que com esta atitude poderá inclusive forçar a Eaglemoss a mudar a postura e não lançar a continuidade da coleção (101 a 200) e assim prejudicar milhares de colecionadores. Pensem nisso!! Jaime Roque

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jaime... Tudo bem, amigo??

      Obrigado pela participação nesse debate!!

      Realmente essa hipótese é possível mesmo. Muitos mercados ainda tem fôlego para essa coleção, tal como é o nosso. Porém a mudança de fabricação é uma possibilidade plausível.

      Já pensei nisso que você falou, da Eaglemoss ter ficado encurralada entre a continuidade da coleção com outro material ou a sua interrupção. Eu, obviamente, teria defendido radicalmente a continuidade da coleção ainda que fosse em RESINA. No entanto, pelo fato de não termos informações concretas sobre o que aconteceu e pelo de fato de tudo ter ocorrido de uma forma inadvertida e sem aviso prévio, todos ficamos atônitos e sem saber o que pensar. Isso talvez tenha levado essa questão para um campo negativo. Caso tudo tivesse sido feito de forma transparente talvez a empresa estivesse até colhendo louros pela sua virtude ao pensar em nossas coleções, lutando pela sua manutenção. Veja só!!

      Tenho esse medo que você também tem Jaime. O medo de tudo acabar no Nº 100. E se depender do meu blog, continuarei a fazer meu trabalho de divulgação e apoio à coleção que sempre fiz.

      Percebo, no entanto que nós colecionadores devemos auxiliar a empresa com a parte boa (comprando as peças) e ruim (alertando-a de forma respeitosa e ordeira sobre eventuais erros cometidos). Minha matéria tem sobretudo esse objetivo, ou seja: auxiliar a empresa a se manter relevante e forte, fomentando o colecionismo e servindo como uma ferramenta que norteia boas e más ações.

      Ao escrever a matéria pensei que, tanto falar sobre o ocorrido como não fazê-lo poderiam ser ruim ou bom. Falarmos de forma irresponsável (como estou vendo muitos por aí fazendo) seria ruim e contribuiria para a descontinuidade da coleção. Falar com respeito e com um sentimento de auxílio teria outro efeito, o efeito de ajuda. Esse é meu objetivo.

      Sinto que se a Eaglemoss não der certo, tempos tempestuosos e negros voltarão sob o Reino dos Scalpers.

      Acredito que se nos irmanarmos ao redor dessa questão com espírito positivo e maduro tudo isso poderá servir até para a empresa crescer mais ainda!!

      Agradeço sua participação e excelente colocações Jaime!!!

      Grande abraço!

      Marcelo.

      Excluir
  9. Jaime, com todo respeito, mas parece que voce é alguem da eaglemoss br escrevendo isto...
    não faz sequer sentido o que voce disse.
    não quero transformar isto em briga, porem vc defender e concordar com o que a eaglemoss br esta fazendo é no minimo estranho.
    talvez vc nem saiba o que realmente esta acontecendo para falar isto.
    acho melhor se informar melhor, pq seu comentario com todo respeito não da pra se levar a serio.
    abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendi o que o Jaime quis dizer sob a perspectiva da possibilidade de fechamento ou descontinuidade da coleção.

      Acho que esse é uma questão a ser levada em conta quando colocamos na mesa essa questão.

      Ou seja, devemos buscar nossos direitos dentro de uma perspectiva que sinalize para a empresa seus erros e ao mesmo tempo apontarmos as soluções.

      Creio que aqui mesmo diversas soluções surgiram como por exemplo:

      1 - Ajustar rapidamente a comunicação com os colecionadores. Trazendo um canal honesto e rápido de informações. O que com certeza reduziria drasticamente as teorias não verdadeiras.

      2 - Uma explicação sobre o porque do ocorrido, entendo que queremos entender para comprar... Entender para continuar apoiando a empresa.

      3 - Fazer a empresa entender que queremos comprar com ela e não de scalpers, porém para que isso aconteça devemos confiar nela e entender os motivos de eventuais elevações de preços e mudanças de materiais.

      Outras ações poderiam ser retiradas desse excelente debate que se faz presente aqui.

      Seria muito bom se alguém da Eaglemoss pudesse se interessar em dar uma passada por aqui.

      Tudo isso é um excelente material de trabalho para o setor de Marketing e Planejamento Estratégico!!

      Abção!!

      Marcelo.

      Excluir
    2. Prezado,

      Apesar de voce não deixar seu nome tenho certeza deve se tratar de um amigo do grupo.Eu não sou da Eaglemoss e não tenho interesse nenhum em defende-los. O que defendo é a expansão do colecionismo no Brasil e pensando nisso, não podemos perder empresas coo a Eaglemoss, Del Prado, Panini e outras. Estas empresas estão nos trazendo uma possibilidade que antes não tínhamos. Para que voce entenda eu praticamente já tenho todas as peças da marvel e me faltam somente 03 das 200 e 01 especial (Odin). Na DC a mesma coisa e a maioria das especiais que tenho comprei no ebay e por isso tenho propriedade para comentar acredito eu. O único erro da Eaglemoss foi não comunicar o consumidor dessa mudança e isto eles corrigiram mandando uma nova peça em metal ou devolvendo o dinheiro através de um cupom para compras futuras. A unica coisa que faltou foi um comunicado do motivo da mudança. Todo mundo tem o livre arbitrio de comprar ou não, de engressar judicialmente se achar que foi lesado e isto é indiscutível. A minha opinião e esperança é que eles deem, continuidade na coleção aqui no Brasil tanto na DC como na Marvel, que mantenha a características das peças e seus materiais no mesmo padrão dos lançamentos europeus e americanos.Tenho muitos amigos no Brasil que não podem comprar pelo ebay e dependem destas empresas para terem os seus Hobbies garantidos e não dependerem dos Scalpers do ML. Da minha parte em que eu puder ajudar aos amigos colecionadores com minhas opiniões e sugestões.abs Jaime Roque

      Excluir
    3. Sou totalmente da bandeira em prol de um colecionismo legalizado e dentro das regras do jogo também Jaime. Por exemplo, como brigar com um Scalper? Como leva-lo aos mecanismos e instâncias legais para defender nosso direito de pagar um preço justo pela peça?

      Pois é... Não existe esse meio, uma vez que é um comércio informal. Não quero julgar quem compra do Scalper, cada um faz o que bem entender, no entanto se tivermos um colecionismo brasileiro 100% voltado para a informalidade simplesmente estaremos fo$#%* e mal pagos. Ou seja, não teremos a quem recorrer.

      Temos que perceber, por exemplo, que toda essa polêmica está existindo porque a Eaglemoss é uma empresa legalizada e dentro das regras do jogo, se não fosse simplesmente não poderíamos nem reclamar. Resumindo, termos empresas de colecionismo no Brasil legalizadas (independente de serem excelentes ou não) é ótimo para todos nós. Se não for assim não teremos a quem recorrer.

      Por isso penso que mantê-las é o melhor caminho. Agradeço sua clareza e lucidez em colocar esse ponto, pois realmente, muitos só tem essas empresas para manterem seu queridos Hobies.

      Valeu Jaime!

      Abc.

      Marcelo.

      Excluir
  10. Bom galera minha humilde opinião é o seguinte. Beleza poderia troca por resina ia muda muito a coleção ter peças de material diferente, mas que fosse avisado tudo certinho bem claro e principalmente, com um valor justo sendo que a mesma e de um material inferior, não engana o consumidor vendendo metal e entregando resina. Porque me senti muito mal quando paguei R$ 90,00 reais em um ( BANE ) e ao pega na peça ver que a mesma perde para qualquer um da linha regular. Tenho a miniatura nº 140 - Bill Raio Beta Colocando as duas peças juntas quem não conhece a coleção fala que o Bane que e a regular porque a diferença quanto a tamanho e peso e enorme. ( Lucas Lima )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lucas...

      Realmente... Se podemos tirar algo que é consenso geral é isso: Toda essa repercussão negativa poderia ter sido evitada caso a empresa tivesse aberto um canal de comunicação com os consumidores. Como disse acima, eu acho o metal uma condição importantíssima no conceito da peça, no entanto até aceitaria a resina caso me fosse explicado, por exemplo, que é isso ou nada.

      O máximo que isso acarretaria seria um decréscimo leve nas peças, já que todos passariam a integrar em suas mentes a resina como uma mudança necessária para continuidade da coleção.

      Obrigado pela presença Lucas.

      Grande abraço!!

      Marcelo.

      Excluir
  11. Boa Noite a Todos
    Acabei de ler toda a Matéria e acredito que todos os comentários foram pertinentes e com informações importantes e precisas na melhor forma possível. Coleciono as Miniaturas Marvel e DC deste o começo e tenho também a do Senhor dos Anéis (que tem uma qualidade inferior mas que não cabe ao tema agora). No fim concordo com a simples questão da falta de comunicação oficial da Eaglemoss sobre o assunto. E me causa uma grande preocupação com o futuro da coleção. Tinha grandes esperanças sobre a continuidade pelo simples fato da empresa estar seguindo o cronograma de lançamentos das edições normais conforme o que foi lançado lá fora. Fiz um investimento grande como a maioria de nós para ter esta excelente coleção em mãos e agora tudo ficou nebuloso por uma mudança não comunicada e mau resolvida. Não quero criar teorias, mas me preocupa a forma que a empresa adotou como postura:

    1) Lançam o Superman Gold (que comprei na pré-venda) e mudam sem avisar o material
    2) Após os primeiros comentários negativos, automaticamente coloca o termo Resina no Superman e avisam que somente esta seria deste material;
    3) Então lançam 2 Especiais (que tb comprei) seguidos e criam uma ilusão de compensação para passar o problema do superman e, depois de 1 semana mudam tudo e avisam que todos os Especiais da DC agora serão de Resina aqui no Brasil.
    4) E Finalmente até o presente momento não mostram nenhum aviso Oficial sobre a Mudança

    Realmente gostaria que a coleção continuasse até o fim e torço por isto. Mas estou decepcionado pela atitude da empresa e infelizmente estou propenso a buscar meus direitos e fazer valer a troca de minhas miniaturas por metal (recebi a do Bane e Grod hoje).
    Ela errou na mudança, errou em não dar nenhuma satisfação, errou na forma de tratar a nós, colecionadores (não é qualquer um que faz um investimento como o nosso) e principalmente errou por fazer um processo de troca somente para poucos escolhidos.

    Amo Muito Esta Coleção e não sei se vou conseguir compra-la por outros caminhos.
    A Eaglemoss Brasil é e Sempre Será a forma mais Garantida e Melhor para fazermos nossa coleção.
    Mas somente quando ela aprender a tratar melhor os colecionadores é que realmente voltara a ser a Empresa de Qualidade e Esperanças que foi para nós no inicio de tudo

    Parabéns pela Matéria Marcelo e a todos que colocaram seus comentários. E lembrem-se que a empresa Eaglemoss somente poderá permanecer ativa no Brasil se todos continuarmos a comprar suas miniaturas. MAS SOMENTE PODEMOS COMPRAR se ela voltar a ter a nossa confiança, qualidade e responsabilidade que vem perdendo desde o inicio desta controvérsia da Resina.

    Obrigado e um Abraço a Todos

    Leanderson Leme

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Leanderson...

      Valeu pela presença e participação! Assim como você, fiz e tenho feito um grande investimento nessa coleção. Esse investimento não se resume apenas nas peças, mas até no ambiente físico de minha casa. Comprei cristaleira há uns dois anos e agora, com o crescimento da coleção ao longo desse tempo estou pagando um arquiteto para construir um projeto em um dos cômodos para acomodar as peças da melhor forma possível. Ou seja, para nós, essa coleção não representa apenas um conjunto de peças numa estante! Ela materializa o sonho de ter em exposição nossos personagens queridos da melhor forma possível, e isso envolve toda a logística em torno de nossas vidas. Sei que esse papo é meio sentimental, porém se uma empresa quer se aproximar de seus clientes, é por aí que ela deveria ir. Levando em consideração essa paixão que temos pela coleção e o que ela representa em nossas vidas.

      Concordo plenamente com a síntese que vocês fez dos pontos negativos da empresa, e o sentimento é esse que você expressa ao final do comentário, ou seja, um sentimento dúbio, em que, ao mesmo tempo que queremos nossos direitos (com toda razão), queremos também que a empresa dê certo.

      APENAS UM PERSONAGEM nessa história poderia desfazer esse impasse: A EAGLEMOSS BRASIL. Vindo à público e traçando nova linha de conduta e comunicação entre os fãs!

      Será que ela não percebe o poder e o mercado que tem nas mãos? São milhares de colecionadores querendo comprar e apoiar a empresa!! São milhares de colecionadores querendo concluir a coleção!!! Tudo que ela tem que fazer é redefinir seus objetivos enquanto empresa, e traça-los à luz de nossas expectativas!!

      Só isso!!

      Vamos ver e torcer, Leanderson!!

      Abc!!

      Marcelo.

      Excluir
    2. Obrigado Marcelo
      Hoje finalmente a Eaglemoss voltou a se comunicar pelo Facebook..... Mas ainda com a mesma conversa automática.
      Remodelaram todo o Site e retiraram o termo METALICO em todos os personagens DC (Especiais e Normais). Pelo visto os comentários que diziam que vai se estender para toda a coleção são verdadeiros. O problema é que neste ponto a Eaglemoss fica numa situação muito difícil... Se retroceder e admitir culpa, então o peso das consequências serão bem grandes e a mesma não da sinais de ir por este caminho. Ainda estou no aguardo deste impasse e espero que prevaleça o Bom Senso da Empresa e que, pelo menos, passe a respeitar mais a nós colecionadores e consumidores

      Um Grande Abraço e fazendo uma Oração para dar tudo certo

      Leanderson Leme

      Excluir
    3. Pois é Leanderson...

      Vi o comunicado da Eaglemoss no Facebook e me pareceu superficial e muito aquém das expectivas que os fãs tinham de uma resposta mais robusta e ampla.

      Um triste e raso comunicado a respeito de governos que proíbem chumbo e a informação de que tiveram que consultar pessoas para poderem responder. Um comentário que soa bizarro e cheio de conotações escondidas.

      Ou seja, continuamos sem transparência e mais, sem o respeito que os fãs merecem.

      Faço minhas suas palavras finais acima!!

      Grande abraço amigo!

      Marcelo.

      Excluir
  12. A eaglemoss brasil depende da eaglemoss ingraterra para a distribuição dos produtos, tenho certeza que quem mandou os produtos de resina foi a eaglemoss lá de fora, e aqui o pessoal assustou quando chegou de resina...
    A sacanagem foi feita muito antes de chegar em solos brasileiros. Com certeza essas peças de resina são restos que os gringos não querer e vem desovar aqui no nosso país.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porém as revistas tem na contracapa a menção de que foram impressas na Inglaterra, ou seja, se os símbolos da capa que diziam que as mesmas são miniaturas em metal, e nas duas últimas (Bane e Grodd) fizeram o desfavor de colar um adesivo em cima, ou alguém não se preocupou com a tradução (de inglês para português não sei teria um revisor...já se fosse o inverso...) ou as miniaturas deveriam ter saído em metal da Inglaterra para o Brasil. Uma ação desta poderia afetar inclusive a matriz da Eaglemoss no exterior pois de alguma forma compactuou com essa situação.

      Excluir
    2. As revistas são impressas aqui no Brasil.

      Excluir
    3. O estranho nisso é o fato de que a Eaglemoss Inglesa negou que as peças sejam produzidas em resina. Após alguns entrarem em contato com eles a resposta foi essa. Que a coleção continua sendo produzida em METAL.

      Se a própria Sede da Eaglemoss está mentindo (o que acho pouco provável) então realmente a coisa está muito pior do que pensamos em relação à relação com colecionador. Por isso que acredito mais na hipótese de que essas peças de resina foram remanejadas de algum país que não aceita metal como material de modelagem.

      Acredito que a Eaglemoss Brasil quis fazer isso como estratégia para reduzir custos. Porém, seu erro foi desconsiderar o amor que temos pela coleção. Acreditando que para nós tanto fazia o material. Além de desconsiderar nosso apego pela coleção eles não nos avisaram sobre essa decisão da parte deles que nos afetaria diretamente.

      Não teria sido muito mais coerente e ético terem, por exemplo feito uma votação entre os colecionadores Brasileiros para ver se aceitaríamos RESINA. Pronto! Estaria resolvido o problema. Se a resina ganhasse beleza.

      Vamos ver.

      Marcelo.

      Excluir
  13. Olá xará!!

    Parabéns pela postagem, falou td e mais um pouco do sentimento dos colecionadores. A Eaglemoss brasileira deu um tiro no pé, seja qual for o motivo ( normas da DC, redução de custos, incapacidade de estoque ou má fé) o simples fato da empresa se calar e remediar ( esconder) certos fatos destrói qualquer inicio de julgamento e debate. Lembro uma vz que escreveu de que, A vinda deles com esta coleção era um marco e deviamos sempre pensar no tipo de reclamações a fazer, pois as vezes uma peça quebrada por mal transporte, porem de facil conserto, não deveria ser estopim para um processo judicial. Mas o fato das resinas e todo descaso faz com que compradores, e todo o sentimento de frustração se transforme em ofensas, e atos de raiva e revolta, sem pensar muito nas consequencias.
    Estava prestes a fazer minha assinatura. Desisti, ainda mais pq tive problemas com uma compra avulsa no site. Acredito que meu exemplo seja o da maioria. As vendas cairão, os processos virão.
    É assim que vencemos. temos direitos de consumidor validos, aplear para ofensas na pg do face ou sair atras de malditos stalkers é dar um tiro no nosso próprio pé tbm.
    usemso a cabeça e a razão!
    Pelo canal de atendimento, eles me responderam e prometeram solução. via reclame aqui, alguns amigos conseguiram resolver tbm, problemas de troca, não o da resina.Ir à justiça, com as revistas indicando que a s peças são de metal, prints da loja virtual confirmando o mesmo, todo material pró consumidor está ai.
    basta a empresa providenciar a troca, reembolso, ou arcar judicialmente com os prejuizos. ELA, não nós, consumidores direitos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Marcelo... Legal que tenha gostado e que compartilhe desse sentimento que é uma mistura de indignação mas ao mesmo tempo de querer que as coisas deem certo pra gente, má que a ERA DAS TREVAS dos SCALPERS não pode voltar!!

      Sabe o que as vezes eu penso Marcelo, que o gerente da Eaglemoss Brasil talvez seja um daqueles BUROCRATAS ENGRAVATADOS que se sento o maioral e que acha a nerdaida um bando de moleques que gosta de brinquedinhos. Daí o cara deve ter pego uma planilha de custos e visto que com esse pequeno ajuste de material ele economizaria alguns custos e ainda poderia continuar vendendo as peças pelo mesmo preço. O cara deve ter achado fantástica a própria ideia!!! Grande ERRO!!!!

      Lembro sim Marcelo que escrevi exatamente isso que você informa (aliás grande memória a sua). Foi por isso que que quis fazer essa matéria, ou seja, não posso ser hipócrita e me esconder por causa do medo que tenho de fecharem a empresa. Certas coisas tem limite e determinadas linhas não podem ser cruzadas.

      Também concordo com você sobre o que NÃO devemos fazer e sobre o que DEVEMOS fazer. Tem coisas que não adiantarão nada, pelo contrário, até piorarão as coisas. Uma choradeira e xingamentos infinitos apenas mostrará nossa incapacidade de agirmos como colecionadores maduros (exatamente o que o burocrata gerente da Eaglemoss deve ter pensado de nós). Já agirmos dentro de reclamações coerente, justificadas e válidas fará com que repensem antes de nos desconsiderar como classe consumidora.

      Excelente análise xará!!!

      Pow!!!! Como eu queria que alguém do alto escalão da Eaglemoss Brasil lesse esses comentários aqui nessa página, viu!!!!!

      Valeu!

      Marcelo.

      Excluir
  14. Oi Marcelo que polêmica meu amigo, mas realmente o que a Eaglemoss fez com todos nós foi de uma falta de respeito tremenda. Você fez um belo texto e eu além de achar que a Eaglemoss tirou a alma da coleção como você mesmo falou, para mim tirou outra coisa que é fundamental em uma coleção desse tipo, a imponência da peça. Quando pegamos um Darkseid, um Fanático, um Vigia, um Sentinela, etc, sua grandiosidade aliada ao peso da peça, mostra toda sua imponência, sua força, e isso que era uma característica essencial nessa coleção, acabamos de perder. Ora peguei o Superman Gold, e é mais maneira do que uma miniatura normal, peguei o Bane que eu recebi agora e para mim foi uma decepção total, pois quando vc compara com um coringa por exemplo, ou com qualquer outra peça da coleção que é de metal, é horrível. Fica difícil de engolir que aquele ser é grandioso, que é mais forte do que o outro, pois não podemos ter esse comparativo. Outra coisa, que houve má fé por parte da Eaglemoss, para mim não há dúvida, pois não houve comunicado para seus colecionadores, e lançaram as três peças quase ao mesmo tempo para ninguém descobrir o engodo e efetuarem suas compras normalmente, que foi o meu caso e o de muita gente aqui, eu imagino. Quando começaram a chegar os primeiros Superman Gold, a grande maioria já tinha comprado o Bane e o Grodd também. Apesar de o Grodd ser bastante bonita e ter até um certo peso, eu paguei 275 reais pelas 03 peças incluindo aí as despesas postais, e me sinto completamente lesado, pois não acredito que vale tudo isso. Tomei uma decisão, vou continuar com as miniaturas normais como assinante e compra as especiais da Marvel se permanecerem de metal, e quanto as especiais da DC, prefiro não mais comprar e investir o meu dinheiro em encadernados de qualidade. Abraços amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí Marcílio!! Legal te encontrar por aqui em meio à essa justificada polêmica!!!

      Não há dúvidas disso meu amigo. Não dúvidas da forma inadequada como a empresa conduziu e continua conduzindo as coisas.

      Então Marcílio... Sobre o peso da peça eu penso como você. O peso é sim uma característica importante para mim. Sei que para alguns ele tem importância menor, mas outro ponto que penso é o seguinte: se algumas peças tivessem sido produzidas originalmente em resina, com todo o cuidado para preservar-lhe seus grande atributos isso até poderia ser minimizado. Caso por exemplo do Monstro do Pântano que é feito em resina e é uma boa peça. A indignação se faz presente também pelo fato de que Bane, Grod e Superman Golden são originalmente de metal! Se querem mudar deveriam avisar os fãs antes.

      O outro ponto é triste também. Terem lançado tudo encavalado e assim muitos que não estavam acompanhando a polêmica acabaram por comprar o Bane e o Grod sem saber o que estavam comprando. Realmente triste e absurdamente errado. Por isso que repito o que escrevi em um comentário acima:

      "Sabe o que as vezes eu penso Marcelo, que o gerente da Eaglemoss Brasil talvez seja um daqueles BUROCRATAS ENGRAVATADOS que se sento o maioral e que acha a nerdaida um bando de moleques que gosta de brinquedinhos. Daí o cara deve ter pego uma planilha de custos e visto que com esse pequeno ajuste de material ele economizaria alguns custos e ainda poderia continuar vendendo as peças pelo mesmo preço. O cara deve ter achado fantástica a própria ideia!!! Grande ERRO!!!!"

      O fim do seu comentário é o que a Eaglemoss ganhará se não rever sua posição.

      Um triste e desolado abraço meu amigo!!

      Marcelo.

      Excluir
  15. Oi, Marcelo.... blz?

    Do meu ponto de vista, a Eaglemoss cometeu uma série de erros em sua conduta diante da polêmica "Resina X Metal". Posso enumerar alguns desses erros (e q destaquei tbm no evento q rolou aqui no sul):

    1) Ter anunciado o "Superman" de Metal e entregado um de Resina (o q constitui: "Propaganda Enganosa" - isso é fato incontestável)!
    2) Ter garantido pra um cliente num grupo do face (em uma resposta pública) q a peça pesava 700g (qdo na verdade pesava apenas umas 170g)!
    3) Ter adulterado o anúncio em seu site oficial apagando a palavra "metal" (e depois substituindo por "resina" - mas só depois de venderem um monte de peças)!
    4) Terem demorado pra fazer um comunicado oficial (coisa q até agora NÃO fizeram) explicando e esclarecendo os fatos pros colecionadores!
    5) Insistirem em NÃO proteger melhor as embalagens com plástico-bolha ou isopor (o q faz várias peças chegarem quebradas - principalmente o "Bane")!

    E por aí vai.... É todo um conjunto de erros grotescos de marketing e logística, e q poderiam ser facilmente evitados com um diálogo aberto e transparente com os consumidores. O resultado é o q estamos vendo hj: Centenas de reclamações no "Reclame Aqui" (mais de 300 na última contagem) e um clima de insatisfação geral com a conduta da empresa e a mudança de material na coleção (SEM aviso prévio)!

    A Eaglemoss diante da crise na Europa voltou sua atenção pra mercados externos (como o Brasil) e se deu bem por aqui: Tiveram um resultado de vendas mto acima do esperado (segundo foi dito por um representante da empresa). Assim, é de se lamentar q tenham posto tudo a perder com uma conduta inapropriada pra uma empresa séria!

    Agora vai ser bem difícil eles reverterem o jogo.... E o risco pra nós, q colecionamos essas figuras desde o início é um dia a empresa acabar fechando as portas (deixando as coleções incompletas) por tomarem um prejuízo com processos e ações na justiça. É claro q eu não quero q a coisa chegue à esse ponto (pois pretendo comprar todas as peças q me interessam sem ter q apelar pra importações) mas pra isso a empresa precisa parar com essas molecagens amadoras e passar a ser conduzida com mais seriedade (por quem realmente queira resolver os problemas ao invés de aumentar ainda mais a "bola de neve" q se formou)!

    Qto à resina em si.... Eu estaria sendo hipócrita se condenasse o material em si, já q tenho belas peças customizadas feitas em resina (a começar por aquela bela "Mulher-Invisível" transparente). E de fato, as próximas coleções serão todas em resina tbm (tanto o "Xadrez" Marvel qto o DC). Mas o correto seria q a Eaglemoss ao menos tentasse encerrar essas coleções tradicionais com o máximo de peças de METAL (já q a proposta original da coleção era essa)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Leo...

      Tudo bem? Excelente síntese dos erros cometidos pela empresa. Conforme comentei acima todos esses erros parecem advindos de uma gerência míope e burocrata que vê os consumidores da coleção tal qual os antigos burocratas viam os nerds há 30 anos atrás, ou seja, como uma classe que se contenta com qualquer produto e que eles podem manipular como entendem. Aliás, a história dos quadrinhos foi cheia desses tipos, que cancelavam e relançavam revistas sem nem se importar conosco. Acredito que a direção da Eaglemoss Brasil está na mão de alguém assim, pois esses erros são muito básicos e fruto de uma mente obsoleta no tempo e totalmente sem sintonia com quem somos.

      Acima coloquei que me surpreendo com o poder que a Eaglemoss tem para reverter essa situação (SE ela quiser), veja:

      ! - Tem um mercado ávido em comprar em mãos.

      2 - Possui uma carteira de clientes devotos (sonho de qualquer empresa)

      3 - Possui um produto que para muitos só vale se for completo, ou seja, se forem todas as peças, ou então pelo menos a maioria delas (olha o potencial de compra!)

      Tudo que ela tem que fazer é redefinir seus objetivos enquanto empresa, e traça-los à luz de nossas expectativas!!

      Quanto a resina te digo que o metal é muito importante para mim, mas até isso eu abriria mão Leo, se a empresa passasse a explicar as coisas e nos tratassem com transparência.

      Abc!!

      Marcelo.

      Excluir
  16. Marcelo B. da Silva13 de maio de 2015 03:38

    Boa noite a todos,
    Na minha humilde opinião, o medo pelo término da continuidade da coleção, não pode servir de motivo para justificar a falta de respeito da Eaglemoss em relação ao consumidor e principalmente ao Código de Defesa do Consumidor. Comprei o Bane e o Grodd acreditando que eram miniaturas feitas de metal, assim como as peças anteriores e, literalmente fui enganado, pois a Eaglemoss em nenhum momento informou oficialmente sobre a mudança de material das peças. Trata-se de má-fé e principalmente de ilícito na esfera do Direito do Consumidor, e a maior prova disso, são os adesivos colocados nas revistas para tampar a informação "Miniaturas de Metal". A maior frustração, foi sem dúvida a peça do Bane, principalmente por ter pago R$74,99 por ela; uma peça tão leve que se bater um ventinho parece que ela vai sair voando. Só para se ter uma idéia Comprei a uma semana, em uma promoção do Walmart três Bonecos (Thor, Motoqueiro Fantasma e Dr. Destino) da Linha Marvel Select ( linha de luxo da Marvel, com bonecos de 18 a 22 cm de altura, com até 20 pontos de articulação, material de ótima qualidade e ainda acompanhado de cenários) por R$99,00 cada e ainda pude parcelar em 10 vezes sem juros com frete grátis. Sei que são segmentos diferentes, mas é impossível não fazer a comparação com a miniatura do Bane, principalmente em relação ao preço.
    Outro ponto lamentável, foi verificar que a Eaglemoss na página referente a assinatura das miniaturas, alterou a descrição dessas, informando que são feitas em "resina metálica", com certeza com intuito de diminuir os efeitos jurídicos.
    Essa semana estarei entrando no Juizado Cível, com uma ação de obrigação de fazer acumulada com danos morais, pleiteando a troca pelas peças metálicas e pedindo indenização pela propaganda enganosa. Pretendo, como alguns colegas colocaram aqui, parar de comprar os especiais da DC caso se confirme definitivamente essa mudança, e comprar apenas as miniaturas do segmento normal, enquanto forem de metal.
    Vamos aguardar os próximos capítulos dessa situação trágica.
    Abraços a todos do Blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcelo!

      Blz, xará!?

      Então... Concordo que não podemos nos intimidar sob a possibilidade de cancelamento da coleção e assim deixarem que façam coisas absurdas se aproveitando do nosso medo.

      Esse medo, no entanto ele é justificado à luz da ERA DAS TREVAS pela qual passamos há uns anos atrás sob o domínio dos LORDS NEGROS SCALPERS. Indivíduos que se aproveitando de nosso amor pelas peças inflavam preços de forma incrivelmente absurda.

      Esses entes malignos ainda se encontram entre nós esperando o fracasso do colecionismo formal para imporem novamente seus preços.

      Porém o que você fala também é verdadeiro. Sendo assim temos um triste impasse em que as duas coisas são verdadeiras: NÃO CEDER AO MEDO e ao mesmo tempo LUTARMOS E PEDIRMOS POR UM COLECIONISMO FORMAL forte e de qualidade.

      As duas coisas estão certas. Complicado né?

      O BANE é a prova cabal da qualidade inferior dessas peças de resina. Tem toda razão.

      OS dois pontos que você toca: "colar adesivos cobrindo os fascículos no local da especificação de metal" e "mudança de descrição da descrição no site posterior à venda", foram atos ilícitos e moralmente deploráveis! Eu fui um que caí em cima daqueles que não queriam devolver o MOJO quando da entrega dupla dessa peça para alguns. Disse que não eram Brasileiros conscientes e que se queriam exigir um governo justo tinham que fazer sua parte. Só que agora quem ficou com cara de "TACHO" fui eu. Pois defendi um comportamento ético junto à uma empresa que fez pior com os consumidores.

      Há uns meses atrás Marcelo eu te diria para não entrar com essa ação. Te diria que atos assim iriam desestabilizar a empresa que queremos ver robusta, saudável e de qualidade, mas agora meu amigo você me obriga a te dizer outra coisa: MUITO OBRIGADO pela sua disposição e ética no sentido de fazer o que é certo, ou seja, BUSCAR NOSSOS direitos.

      Valeu!!

      Marcelo.

      Excluir
  17. Marcelo,
    Como sempre um otimo texto.
    Quanto aos comentarios postados no blog, concordo com a maioria.
    Particularmente me decepcionei bastante. Já tinha algumas objeções com a colecao DC ao comparar com a Marvel, principalmente quato a qualidade e cuidados aplicados as pecas, assim, apos comprar as 3 pecas de resina, tomei a decisao de paralizar completamente com as compras, inclusive com as miniaturas de metal, vou mater apenas as da Marvel, até o momento que fizerem o mesmo com ela. Espero que a eaglemoss revise sua postura e passe a reconhecer que o cliente é seu maior patrimonio e portanto deverian ter consultado previamente inclusive dando opcao de compra nos dois formatos, ainda que dobrando o preço de metal, assim, o cliente passaria a ter a prerrogativa de escolha. Eu por exemplo pagaria mais pela peça de metal. O que ocorreu foi desrrespeitoso e principalmente gerou uma profunda perda de credibilidade. O colecionismo, em ascensão no Brasil, foi verdadeiramente atingido Por uma decisao impensada e pouco comercial.
    Abracos a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo...

      Obrigado pela presença e comentário!!

      Então... Sua conduta está sendo a da maioria meu amigo. A Eaglemoss desferiu um golpe muito duro no âmago dos colecionadores. Colecionadores que esperavam lindos e grande horizontes para a Eaglemoss. Não há como defender a empresa. E olha que eu sou um daqueles que defendi a empresa mesmo diante de colecionadores que até tinham um pouco de razão. Sempre falei a todos para relevarem isso ou aquilo, só que agora quem fica com cara de "bunda" sou eu" (desculpe a palavra, mas na verdade minha indignação às vezes aflora!!!).

      Você fala tudo ao dizer "o cliente é seu maior patrimônio" em se tratando da empresa, e dá também uma grande ideia que podia ter sido seguida: Disponibilizar a mesma peça em materiais diferentes com valores distintos, um mais caro para as peças de metal e outro mais barato para as peças de resina. Eu faria igual à vc! Pagaria mais caro pelas de metal.

      Estou pensando seriamente em apelar para os sites externos para comprar as peças em metal.

      Valeu pelo comentário sincero e excelente!

      Abc!!

      Marcelo.

      Excluir
  18. Boa noite pessoal,

    Também fui mais um de vocês que foi surpreendido pela troca de material nas miniaturas especiais da DC. Enviei uma mensagem a Eaglemoss questionando esta situação e recebi a seguinte resposta:
    Prezado(a), Iuno Fernandes (iunocf@bol.com.br)

    Informamos que todas as novas produções de especiais da DC Comics serão de material misto, com 20% de metal em sua composição. Essa é uma decisão global da DC Comics, que optou por materiais mais sustentáveis em suas miniaturas e todos os licenciados precisarão adequar sua produção a partir de agora. Já vale, para o BANE e GRODD! Acrescentamos que não haverá possibilidade de troca.



    Agradecemos seu contato e ficamos a seu dispor.

    Se for realmente uma decisão global da DC comics, a Eaglemoss não tem nenhuma culpa a não ser não ter informado previamente a mudança antes de colocar as peças a venda no site. De qualquer forma mesmo a DC poderia (deveria) ter tido um pouco mais de cuidado e consideração com seu consumidor,pois não fui uma mudança simples. Penso como o Marcelo o peso da peça para mim sempre foi um diferencial nestas coleções e principalmente o Bane peso de papel é bem frustante, embora para mim é melhor ter ele assim do que não ter nada. Espero que a Marvel não faça a mesma coisa e a DC não passe esta mudança para as do segmento normal, pois caso isto aconteça será realmente muito pior ainda.
    Enfim é realmente um caso muito complicado, principalmente se for realmente determinação da DC. Acredito que precisaríamos de muito mais poder para podermos questionar esta empresa ao invés da Eaglemoss, algo para se analisar mais profundamente.
    Abraço a todos do Blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Iuno...

      Tudo bem? Pois é... Essa explicação da Eaglemoss circulou mesmo na internet. O ponto que a desfavorece é que, até agora, TODOS os contatos feitos junto à Eaglemoss inglesa (que é a sede) retornaram dizendo que lá as peças continuam sendo produzidas em metal e que desconheciam essa determinação. Muito estranho.

      Muitos estão indignados com a Eaglemoss pelo seguinte: Como puderam fazer uma mudança tão profunda e importante para nós sem nem avisar!!!??

      Realmente triste!!

      Grande abraço Iuno!

      Marcelo.

      Excluir
  19. Olá Marcelo, como vai?
    Que tema polêmico esse não? Eu tbem comprei meu superman Gold na pré venda por estar ansioso por essa peça, pois acho essa e o Batman na moto as mais bonitas. Tbem recebi em resina e com a capa solta dentro da caixa... isso resolveria facilmente com um pingo de cola, mas o peso da peça e ter recebido gato por lebre realmente me chateou.Bom, entrei
    em contato com a eaglemoss para reclamar educadamente da peça em resina e quebrada, foi orientado a enviar fotos e comprovado o defeito receberia a nova peça em 10 dias ( em resina, afinal a atendente disse não ter mais em metal). Hoje chegou a nova peça é para minha surpresa e alegria em METAL.!!! Concordo que devemos reclamar nossos direitos com respeito, pois assim seremos respeitados como colecionadores sérios. Importante a eaglemoss e colecionadores entenderem que tem que ser no ganha ganha, ou seja empresa e colecionadores satisfeitos. Abraço André Gonçalves.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá André...

      Fico imaginando como deve ter sido "Brochante" receber o Golden assim. Justamente essa peça que é, em sua concepção original, um Estátua em um parque. Eu também recebi em resina, só que para mim eles trocaram a peça pela de metal.

      Fico muito feliz que tenha recebido a troca em METAL!! A diferença no peso é incrivelmente grande. Apesar de, como disse acima, ter recebido a troca também em metal, estou me unindo ao coro daqueles que não tiveram a mesma sorte. Sua visão é perfeita: Tem que ser no ganha-ganha.

      Valeu amigo!

      Marcelo.

      Excluir
  20. Marcelo após o pronunciamento oficial da Eaglemoss sobre a polêmica da resina, fiz o seguinte questionamento (o qual ainda não obtive resposta):
    "Vocês não podem estar mais perdidos...Fazem um comunicado oficial que a partir de agora os Especiais DC serão oferecidos em "resina metálica" (sic!), e na reformulação geral de sua página colocam no setor das assinaturas ("GARANTIA DO CONSUMIDOR", novamente sic!), tanto na regular da Marvel como na DC que suas miniaturas serão em ?! "resina metálica"!!! Ou seja, ou os Especiais da DC tem que ter as mesmas características das regulares (metal / pesada) ou todos os outros deverão ser iguais às tais Especiais DC (resina / leve)! E agora, qual está correto?" Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Renan...

      Vi seu comentário sim. Achei estranho também, ou seja, se os dois segmentos da coleção possuem a mesma descrição eles são iguais no que se refere à composição. No entanto, os segmentos apresentam claramente uma composição diferente.

      Há um claro conflito entre a descrição e o que é oferecido.

      Novamente volto a dizer que não há uma coerência administrativa e estratégica na empresa.

      Vamos aguardar a resposta deles.

      Abc, Renan!

      Marcelo.

      Excluir
  21. Olá Marcelo, meu nome é Igor e sou um grande fã do seu blog, e estou com uma dúvida sobre esse post. A nova "estratégia" adotada pela Eaglemoss se aplica a todas as miniaturas ou somente as especiais da DC?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Igor...

      Poxa! Valeu pela presença aqui no Blog e fico feliz que goste dele! Faço com bastante carinho. Valeu!!

      Então... Desculpe um pouco a demora em responder seu comentário. Foi corrido essa semana... rs rs

      Bom... Na verdade Igor esta estratégia da confecção das peças em resina está restrita ao Segmento de Especiais da DC. Pelo menos foi o que a Eaglemoss informou. Mas acho que será isso sim, já que recentemente o Galactus foi anunciado em Pré-Venda (inicialmente para assinantes) e lá consta que é de metal.

      Menos mal!

      Um grande abraço!

      o/

      Marcelo.

      Excluir
    2. Marcelo, desculpa pegar um gancho na conversa do Igor, mas Galactus está sendo anunciado aonde em pré-venda?

      Gil

      Excluir
    3. Obrigado Marcelo, foi muito esclarecedor seu comentário. Sucesso sempre! Abraços :D

      Excluir
    4. Olá amigos...

      Voltei a demorar a responder os comentários aqui no Blog pois caí e fiz uma entorse de tornozelo! Por isso fiquei (e ainda estou de molho), ficando difícil acessar a internet.

      Mas já estou voltando!

      Valeu pelo aviso Gil! Já garanti o meu!

      Valeu também Igor!!

      Marcelo.

      Excluir
  22. Grande, Marcelo!

    Muito boa a matéria, gostei muito! Olha, quando havia comprado a peça do monumento de ouro do Superman, tomei um choque quando chegou em casa, dai fui ver se havia algum engano sobre o material da peça, quando recebi a informação da Eaglemoss que as especiais da DC, a partir de agora, seriam todas em plástico. Porém já tinham encomendado o Grodd e o Bane, este, por sinal, é muito pobre para uma peça de plástico, leve de mais e muito similar à altura das peças normais. No entanto, informei à Eaglemoss que não havia gostado do que eles fizeram conosco e que isso acarretaria desprestígio a empresa se mantivessem essa postura. Olha, sou assinante das duas coleções, mas a da DC não vou mais renovar por conta disso.

    Um abraço!

    Gil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então Gil... Essa foi a surpresa de muitos. Surpresa infelizmente negativa. Inclusive a minha.

      Acho que a melhor opção da nossa parte é reclamar mesmo, porém como você fez, de forma madura e correta.

      Também sou assinante das duas assinaturas e estou estudando o que fazer.

      É isso aí amigo!

      Abc.

      Marcelo.

      Excluir
  23. Eu via muitas reclamações no site "Reclame Aqui" e não entendia qual razão levava muita gente a fazer reclamação pública, uma vez que sempre consegui resolver os problemas das minhas assinaturas pelo SAC. Ocorre que desta vez revoltou-me não haver uma especificação da mudança do material no material informativo, especialmente na mala direta que recebemos.

    Nos contatos que fiz hoje, reclamando e pedindo uma troca pela miniatura de metal, eles apenas deram a possibilidade do estorno do valor da miniatura, sob e a remessa por SEDEX a cobrar. Muito pouco pra quem é assinante há mais de dois anos. Encaminhei reclamação pra Eaglemoss International pelo twitter, copiando a DC Comics (informando que aqui no Brasil falam que a ordem veio da editora). Não sei se vai dar resultado, mas ao menos preferi seguir pelo caminho de tratar direto com eles, jogando aberto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo...

      Pois é... Sou assim também. Não acho que partir logo para a ignorância é o caminho. Já recorrendo no Reclame Aqui e tudo mais. Até porque se tudo for parar no Reclame Aqui a validade do site como veículo de informação sobre reclamações reais cai em descrédito.

      Porém, desta vez realmente foi algo que também me revoltou. Desde o ocorrido a Eaglemoss vem tendo mais cuidado eu tenho percebido.

      Sua atitude é legal. Acho que a gerência da empresa no Brasil não tinha ideia do que estava fazendo. O que não deixa de ser uma ação incrivelmente amadora.

      Mande notícias do resultado desta sua mensagem para a editora.

      Valeu amigo!

      Marcelo.

      Excluir
  24. só queria saber se vão relançar os especiais da Marvel. Não consegui nenhum, e no site não tem como perguntar por email....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo...

      Você tentou falar no FALE CONOSCO do site?

      Tem também o telefone deles (11) 3512-9490.

      Mas eu acho que eles continuarão repondo as peças sim. Volta e meia tem peças que entram e saem da disponibilidade no site.

      Abc!

      Marcelo.

      Excluir
    2. NO fale conosco eu desisti, achei muito ruim, e no fone não me atenderam nas 2 tentativas... Aqui é mais oficial do que lá, kkk

      Excluir
    3. Puxa... Que coisa viu...

      Mas olha... Com certeza eles devem relançar sim. Pense na mina de ouro que é ter um produto que assim que se coloca no mercado ele já acaba.

      Os caras não vão deixar assim. É o sonho de toda empresa, de todo negócio.

      Vou ficar aqui torcendo!

      Marcelo.

      Excluir
  25. Muito Legal o Post Marcelo porém tirando o fato da "Alma" peso e tal em termos de qualidade (não durabilidade) as peças em resina levam muita mas muitas vantagens em relação ao seu detalhamento que o metal e até mais de materiais injetados em plástico, fazendo que as peças fiquem sem resolução, e para uma coleção de itens licenciados como da Eaglemoss os detentores dos direitos realmente recomendam a melhor qualidade independente do material a ser utilizado, já que o processo de metal é bem mais barato do que o processos em resina para se ter uma ideia. Além da questão de saúde os detentores dos direitos não querem de forma alguma seus nomes ligados a um produto que pode trazer risco a saúde, com o a descoberta do problema com a liga de chumbo a maioria das empresas fizeram essa conversão não só a Eaglemoss como a maioria de empresas de miniaturas de tabletop também, porque mesmo que utilizem a liga de estanho agora as miniaturas em metal já são automaticamente relacionadas na cabeça do cliente como chumbo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo!!

      Excelente comentário. Sabe que depois do choque inicial a gente começa mesmo a tentar ver qualidades no material (resina). Creio que o grande problema mesmo foi a atrapalhada da Eaglemoss ao anunciar uma coisa e vender outra. Acho que foi mais isso no final que irritou tanto.

      Não sabia destas características da resina que você coloca. Tenho um Monstro do Pântano da Coleção Eaglemoss da DC e ele é de resina. É uma peça incrível!

      O que me deixa com certa raiva e encontrar tantos colecionadores que tratam os atravessadores super bem, pagando preços abusivos e a empresa que vem para o brasil, tentar vender suas peças com preços mais razoáveis é tão achincalhada.

      Por isso que fiz esse post tentando lembrar a todos que reclamações podem e devem ser feitas, mas sempre com coerência e maturidade.

      Valeu mesmo amigo!!

      Abc!

      Marcelo.

      Excluir
    2. Parei com as especiais Dc ........e isso da questão de saúde, o estranho é que só vale para as especiais DC ....e as regulares DC?? regulares e especiais Marvel???? ou seja "cai por terra" isso também de risco a saúde............Desanimei com a coleção e com a eaglemoss.........

      Excluir
    3. Olá Roni...

      Pois é... Esse é um dos efeitos que ele deveriam ter pensado quando tomaram essa decisão das Especiais de RESINA. Se foi uma imposição da DC mesmo isso poderia ter sido explicado antes, pois daí a Eaglemoss não teria culpa. Ou seja, seria uma imposição de cima. Teríamos que aceitar guela abaixo.

      No entanto, o grande problema foi que não houve qualquer tipo de aviso. Isso que foi ruim.

      Espero que você consiga ainda apreciar a coleção na medida do possível.

      Abc!

      Marcelo.

      Excluir
  26. Olá Marcelo,
    Uma coisa que eu nunca vi foi esse anúncio oficial da DC sabe?
    Nunca li em lugar algum a não ser da Eaglemoss

    Um exemplo bobo que aconteceu comigo - minha noiva voltou recentemente de UK e comprou as peças d reposição da Eaglemoss lá - Grundy, Hex, Centennial, todas vieram em metal, nada de resina, nada...

    Então não sei, acho muito mal contada essa história ainda, esse lance de só as especiais da DC serem assim ainda não me desceu mas to vendo que vai ser uma briga perdida...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Andre...

      Pois é... Essa notícia de que tudo foi uma imposição da DC ficou estranha mesmo. Não vimos mesmo nenhum comentário oficial da editora.

      Então cara! Pra você ver... Ou seja, lá fora estão vendendo ainda de metal então!! Uma grande tristeza ficarmos com uma coleção diferente aqui.

      O mais triste mesmo é isso que você coloca... Depois de tanta celeuma com a empresa aqui no Brasil eles não fizeram nenhuma menção de mudar o curso da história de resina para metal!

      Continuamos acompanhando!

      Abração!!

      Marcelo.

      Excluir
  27. Gostei do peso "simbólico".
    Ótima matéria, Marcelo.
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Kleiton!!

      De vez em quando a gente se inspira!! rs rs

      Abração!

      Marcelo.

      Excluir
  28. Olá Marcelo. Sou Fanzaço do teu Blog. Parabéns pelo trabalho
    Amigo, tem algum tutorial no seu blog sobre como abrir um chamado pelo fale conosco da Eaglemoss. Tou tentando abrir um chamado pelo site pois recebi uma peça quebrada, mas sempre que vou clicar em enviar aparece a MSG: "Por favor escolha a edição da revista". Quais informações vão nos campos:

    Código da Assinatura - (se não sou assinante)
    Número
    Referencia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cristiano!!

      Poxa, que legal seu comentário! Fico muito contente em saber que você tem curtido!!!

      Cara... Não tenho esse tutorial. Percebi esse problema que você aponta quando fui abrir um chamado lá. Mas como sou assinante coloquei meu código. Isso é uma falha do site deles mesmo.

      Você tentou ligar? Talvez seja essa a saída. Desculpe não poder te ajudar muito...

      Abcs!! Marcelo.

      Excluir
  29. realmente o fate de nao comunicar previamente o consumidor sobre a troca de material de metal por resina e uma tremenda sacanagem conosco, me senti lesado ao receber o grod e o lobo que ainda veio danificado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Roberto...

      Pois é... Isso foi até pior do que a troca em si, uma vez que há muitas peças muito legais em resina. Não ter comunicado e a forma como tudo foi feito foi terrível mesmo.

      Vc tem toda razão.

      Abção!

      Marcelo.

      Excluir
  30. Olá, meu nome é Gustavo e estou, diga-se de passagem, assustado com a QUALIDADE do seu blog caro Marcelo.
    Parabéns mesmo! Que bom se todas as pessoas e empresas (aí já entro um pouco na questão aqui tratada: a mudança do material) tratassem as coisas como você, vale dizer, com o respeito que elas merecem.
    Parabéns mesmo. Espero que continue nessa caminhada vitoriosa.
    No mais, quanto à mudança do material, não tenho dúvida que houve um TOTAL DESRESPEITO COM NÓS CONSUMIDORES e COLECIONADORES.
    Ora, como podem gerar uma expectativa e, NO MEIO DO CAMINHO, mudar a regra do jogo, afinal de contas resina é uma coisa e metal é outra, que não possuêm a mesma definição e características.
    Não bastasse isso, como podem fazer uma alteração (a qual, diga-se de passagem, não poderia ocorrer, haja vista a confiança que é depositada na continuidade das características da coleção) tão escrota e NÃO REALIZAREM O DEVIDO AVISO. Fazem às escondidas, em um cantinha da tela no máximo e com letras minúsculas, ou seja, agem de má-fé.
    Por fim, a demonstração absoluta da FALTA DE RESPEITO está na manutenção ou alteração para cima do valor de um produto que agora possui qualidade inferior.
    Isso é risível e triste ao mesmo tempo.
    Deixo aqui somente um recado: ESPERO QUE TODOS QUE CURTAM UMA COLEÇÃO DE QUALIDADE FAÇAM COMO RESSALTOU O CARO MARCELO, VALE DIZER, MOSTREM SUA INDIGNAÇÃO PARA A EMPRESA RESPONSÁVEL, SEJA ATRAVÉS DO FALO CONOSCO, E-MAIL OU OUTRO MEIO CONTINUAMENTE ATÉ QUE PERCEBAM, ASSIM, ESPERO, O ERRO QUE COMETERAM.
    Fica, no mais, um grande abraço ao Marcelo e novamente minhas sinceras considerações por um blog tão bem feito.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo Gustavo!!

      Puxa cara! Valeu mesmo! Fico muito feliz mesmo com seus parabéns e seu comentário. Pode ter certeza!! De coração!

      Puxa... Vc toca num ponto interessante. Por que as empresas que sobrevivem justamente desse material não conseguem entender ou tratar os fãs com o respeito que merecem? Até porque eles dependem de nós!!

      Pode ter certeza de que comentários como o seu me mantem lutando o "Bom combate!"... rs rs

      Essa questão de tudo ter sido feito na surdina e com poucas informações aos fãs pode ter certeza que pegou até mais mal que o fato em si. Pode ter certeza de que se eles tivessem explicado tudo direitinho, colocando os motivos na mesa, tudo seria diferente. Quando explicado a maioria tende a entender. Isso funciona até na área da saúde, quanto mais consciente de um tratamento médico, maior a aderência do paciente a ele.

      Outro prego (talvez definitivo para muitos) no caixão foi a manutenção dos preços nos mesmos patamares anteriores quando as peças eram de metal. Isso desestimulou a muitos que se sentiram enganados e com a percepção de um lucro que extrapola o bom senso.

      Mas enfim... Agradeço mesmo Gustavo sua presença e gostaria que continuasse por aqui sempre contribuindo e comentando. Acho que o Brasil precisam de pessoas assim, que se comuniquem com bom senso, ainda que (eventualmente) com opiniões diferentes ou divergentes. Que queiram o bem maior acima de tudo.

      No caso do colecionismo acredito que precisamos avançar tanto quanto em outras áreas de nosso país no que diz respeito ao comportamento. Por exemplo, pessoas que compram peças apenas para vender por preços inimaginávelmente absurdos depois. Acredito que já avançamos. Mas estamos ainda a caminhar.

      Valeu amigo!

      Gde. Abc.!

      Marcelo.

      Excluir
  31. q treta ein rsrs.... comecei a colecionar as miniatura tbm pesquisei e acabei encontrando muita coisa aki nos seus blogs Marcelo está de parabens muito informativo e esclarecedor, visto isso liguei para eaglemoss hj e realmente so as especias da DC segundo o atendente vão ser de resina mesmo misturado com metal, ai ja não sei.... mas é uma pena porq para mim ja não fica mais legal se identificar com a coleção vista q esta era toda de metal q cagada ein desses caras puxa merda!!! mas então sou um colecionador asiduo quando começo vou ate o fim para terminar sera que não ha outro modo para conseguir as especias de metal como saiu la fora, vcs aki alguem, conhece alguem de confiança q possa importar algo assim desde ja agradeço abraços a todos ai.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo...

      Desculpe a demora em responder. Estou na correria no trabalho! rs rs

      Então... Passado o 1º impacto comecei a ressignificar essa questão da Resina e tentar aceitar essa troca. Vi que muitas peças foram produzidas originalmente em Resina, caso por exemplo do Blob (resina + liga metálica), Monstro do Pântano (DC) entre outros.

      Assim, comecei a ver que havia uma tendência em se trocar metal por resina. Acho que a resina pura realmente não é legal. Mas a resina metálica é interessante sim.

      Sobre importação infelizmente não conheço conheço um cara no Facebook que se chama Daniel Miniaturas. Ele sempre tem peças de fora. No meu facebook você o encontrará entre meus amigos.

      Quando importei alguma coisa eu comprei direto com a TFAW (tfaw.com).

      No entanto, hoje com a taxa que os correios vem cobrando e a possibilidade de ser taxado pela receita federal tornaram essa importação complicada. Depois eu gosto de ter a revista em português também. Daí eu acabei comprando em resina por aqui as peças mesmo.

      Bom amigo! Espero que tenha ajudado!

      Apareça!

      Abc.

      Marcelo

      Excluir
  32. Caro Marcelo,
    Excelente artigo sobre a coleção de miniaturas da Eaglemoss e as mudanças que estão ocorrendo. Sou um "velho" colecionador de quadrinho (atualmente com 45 anos) e concordo que nunca antes tivemos a oportunidade de ter em mãos uma coleção como essa. Sou assinante tanto das miniaturas Marvel como DC. Aproveitando o tema em questão: você também percebeu que a quantidade de páginas da coleção Super-Heróis DC Comics diminuiu a partir da edição 30 (Capitão Frio)? A seção ICONOGRAFIA saiu (que possuía duas páginas), a seção OS CLÁSSICOS foi reduzida de três para duas páginas e a seção O ELENCO foi reduzida agora para duas páginas. Assim, cada fascículo, que antes possuía 20 páginas, agora possui 16 páginas. Qual a razão para essa redução? Se desejar, comente sobre isso também.
    Um abraço e sucesso
    Sergio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sergio!!

      Valeu amigo! Tenho 45 anos também. Somos da mesma idade rs rs rs Legal!

      Puxa... Não tinha percebido esta mudança, sabia? Interessante. Vou tentar ver se isto também acontecia com os fascículos lá. Tenho algumas peças duplicadas (importadas e nacionais) e tenho os fascículos Brasileiro e Europeu da mesma peça. Vou dar uma olhada.

      Valeu Sergio. Apareça sempre!!

      Gde. Abc.

      Marcelo

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados