sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Juiz Dredd - 2012

Karl Urban na pele do Juiz Dredd

Cheguei há pouco do cinema. Fui assistir à nova adaptação dos quadrinhos para a Telona do personagem Juiz Dredd. Em um futuro distante, em um planeta Terra assolado pela Guerra Nuclear, a humanidade vive espremida em poucos lugares viáveis do planeta. Um desses lugares é "Mega City One", uma cidade rodeada por muros e com 800 milhões de habitantes.  A violência é extrema nas ruas e o emprego escasso. A sociedade vive em convulsão. Para manter a ordem surge a figura dos Juízes, oficiais da lei que acumulam o cargo de "Juri", "Juiz" e "Executor", ou seja, tudo pode ser decidido em poucos minutos. Um deses é o Juiz Dredd. 

Personagem criado nas histórias em quadrinhos no final da década de 70 no Reino Unido por John Wagner e Carlos Ezquerra, o Juiz Dredd fez sucesso e, infelizmente, no Brasil não teve a atenção que merecia por parte das editoras. Nem o lançamento desse filme em 2012 mobilizou o lançamento de algum encadernado de histórias desse ultra-violento policial. Em 1995 tivemos uma malfadada adaptação para o cinema de Juiz Dredd, interpretado por Silvester Stalone. O filme não passou nem perto do universo caótico e violento do personagem e a caracterização de Dredd por Stalone foi uma piada. Minha opinião agora é que os caras fizeram um novo filme que capta bem a essência do personagem. Karl Urban interpreta muito bem o violento Juiz. À semelhança das HQs ele não tira o capacete ao longo de todo o filme, trazendo o efeito pretendido de afastar o policial do seu lado humano, ou seja, o que vemos apenas, ao olharmos para ele, é a LEI.

Mega City One

Se você quiser alugar em DVD depois ou ir ao cinema assistir vá. Mas não leve esposa ou namorada (eu não levei a minha), possivelmente elas não vão gostar. O filme é bem violento e traz censura 18 anos. A história gira em torno de uma checagem policial que Dredd faz em um mega edifício. Acompanhado de uma recruta conhecida apenas por "Anderson", bem interpretada pela atriz Olivia Thirbly, Dredd passa por uma sequencia de situações que o colocam frente a frente com a morte certa. O filme funciona bem e eu gostei bastante. Recomendo sobretudo pela caracterização de Karl Urban como Dredd.


Eu particularmente não conhecia muito as histórias do Dredd. Cheguei a ler nos anos 90 duas HQs em que ele interage com dois personagens icônicos em histórias distintas, Lobo e Batman, inclusive eu as tenho aqui em casa. Vou até relê-las. Uma curiosidade que fui perceber apenas ao chegar em casa foi que na imagem acima de Mega City One, no edifício da direita há o nome "Ezquerra" na vertical, que é o sobrenome de um dos criadores do Juiz Dredd.

Anderson e Dredd

Juiz Dredd é um filme que espero que dê novo fôlego a esse personagem, pelo menos se depender dessa adaptação eu acho que isso acontecerá. Abc a todos!

6 comentários:

  1. Vou esperar pra ver em DVD (pois não vou mais a cinemas e tbm não gosto de filmes em 3-D: e esse do Dredd só veio em 3-D pros cinemas daqui)!!!

    mas tenho certeza q irei gostar.... pois me parece ser bem fiel aos gibis ingleses (q eu acho espetaculares)!!

    e minha namorada adorou o trailer... ela vai querer asssitir sim, apesar dos extremismos e excessos q o filme terá!!!

    lamentável mesmo é não terem lançado nenhuma HQ do juíz aqui.... até o "Jonah Hex" q teve um filme bem pior ganhou pelo menos meia-dúzia de encadernados aqui no embalo daquele filme!!!

    o Dredd merecia um tratamento melhor aqui no Brasil...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não gosto muito do 3D também sabia. Acho que não tudo aquilo que ficaram apregoando por aí. Que bom que sua namorada gostou! Em geral as mulheres não gostam desse tipo de filme.

      O filme do Jonah Hex realmente ficou muito, mas muito abaixo das expectativas. Pra não dizer fraco mesmo!! E olha que o ator que o interpreta é bom. A DC precisa fazer um estagio na Marvel Studios (rsrs).

      Também achei que ia sair alguma coisa do Dredd aqui no Brasil. Realmente mancada!

      Valeu Leo!!

      Marcelo.

      Excluir
  2. Olá, Marcelo! Tudo bem? espero que sim.

    Eu não conheço esse personagem e muito menos sabia que ele tinha HQ.
    Vou esperar sair em um DVD ou passar na TV a cabo. Quase não tenho ido ao cinema. só vou quando conheço bem o assunto, e esse personagem eu não conheço.

    De qualquer forma, legal sua diversão. Obrigado por compartilhar com a gente.

    Abraços. Fabiano Caldeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fabiano... Tudo bem?

      Pois é, eu também não sou expert nesse personagem, mas acho sua proposta interessante. Idéias como essas já foram desenvolvidas com relativo sucesso no passado. É o caso dos primeiros Mad Max que na minha opinião são filmes bem legais.

      Quando vc assistir esse aí me diga o que achou. E particularmente gostei.

      Gde. Abc. Marcelo.

      Excluir
  3. Marcelo,

    "Cheguei a ler nos anos 90 duas HQs em que ele interage com dois personagens icônicos em histórias distintas, Lobo e Batman, inclusive eu as tenho aqui em casa."

    Já li algumas. Mas só tenho, comigo, uma HQ, com o Batman.

    Uma lástima mesmo, não terem lançado nada mesmo em razão do filme. Isso apenas confirma o desprestígio de Dredd no Brasil.

    Abç!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é verdade Kleiton...

      Era para alguma editora ter lançado algum encadernado pelo menos. Volto a dizer, gostei do filme, a palavra certa é a que vc usou: um filme "honesto".

      Falei para alguns conhecidos que é filme para quem gosta do personagem e seu universo violento e apocalíptico. Curti o que vc colocou no seu blog: um filme sem aqueles "fru-frus" que dão uma amenizada apenas para angariar mais público.

      Valeu!

      Marcelo.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados