quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Superman de Geoff Johns & Gary Frank


Olá amigos... Seguindo a linha editorial de comentar boas/ótimas HQs lançadas no Brasil nos últimos tempos eu gostaria de focar hoje nos 03 encadernados já lançados em nosso país trazendo o trabalho de Geoff Johns (roteiro) e Gary Frank (desenhos) junto ao Homem de Aço. Em tempos em que tanto se fala em atualizar o Superman para novas gerações, em torna-lo relevante e atraente para novos leitores este trabalho merece todo respeito por justamente focar os atributos originais do último filho de Krypton, respeitando aspectos que (alguns) julgam já ultrapassados. Dentre eles (por exemplo) a maneira correta, linear e sem tons de cinza de enxergar o Mundo de Kal-El. Geoff Johns mostra que, quando bem escrito, não importa os poderes ou motivações (simplistas ou complexas) de um herói, ou seja, se bem escrito ele sempre será relevante.

Lançamento no Brasil - 2013

Lançado aqui no Brasil depois do Reboot da DC, "Superman - Origem Secreta" parecia apenas um bem sucedido laboratório em que Geoff Johns pretendia desenvolver suas ideias a respeito do herói. Mesmo neste início, a arte de Gary Frank já sinalizava para uma grande epopeia envolvendo o Super, no entanto ficava difícil para qualquer leitor situar os conceitos tradicionais abordados por Johns naquela época frente a conjuntura de renovação que pairava sobre o Universo da DC com a chegada dos Novos 52. Li este encadernado à época de seu lançamento já com a triste sensação de se ler um material muito bom, porém fadado à interrupção em função das mudanças editoriais impostas naquela época. Um toque todo especial era a caracterização do Superman com os traços do ator Christopher Reeve, o eterno Superman dos cinemas e astro do filme de 1978.


Quem assistiu ao filme de 1978 não deixará de curtir o clima colegial no qual Clark Kent vivia em seus primeiros anos na fazenda Kent. Um clima diferente daquele mostrado em Smallville. Com uma história envolvente, "Origem Secreta" traz o Homem de Aço para nossos tempos sem aviltar em nada sua mitologia.

Lançamento no Brasil - 2014

Minha surpresa veio em 2014 com a continuidade desta linha de tempo com o lançamento de "Superman - E a Legião dos Super-heróis". Para quem não conhece muito o cânone do herói, a Legião dos Super-heróis é um grupo de heróis adolescentes do futuro que teve uma participação muito importante na formação da personalidade de Kal-El. Nesta aventura, todos já crescidos voltam para abordar um Superman já adulto que se vê envolvido em uma batalha cósmica no futuro junto aos seus parceiros (agora crescidos) da Legião.


Um dos grandes pontos altos da história é se deparar com uma grande quantidade de heróis integrantes da Legião dos Super-heróis e perceber que todos tem seu papel e são super interessantes!! Um dos grandes riscos de se fazer histórias com uma quantidade muito grande de heróis é que muitos escritores acabam por pulverizar a importância de cada um deles em meio ao todo. Como resultado disto o que se tem é um time gigante de heróis em que se tem tudo, e na verdade não se tem nada. O brilho de cada personagem se esvai. Porém, não é o que acontece nesta saga cósmica. Cada personagem novo da Legião que é apresentado ao longo da trama é cheio de significados e possui sua importância dentro da narrativa. Fora que a história em si é muito interessante ao mostrar no que um símbolo pode se tornar!

Lançamento no Brasil - 2015

Por fim, deparei-me, recentemente com mais um lançamento seguindo a linha estabelecida por Johns e Frank, "Superman: Brainiac". O que era para ser mais uma leitura agradável tornou-se, no entanto a leitura de uma "EXCELENTE" HQ. Um Superman já estabelecido, atuante e casado com Lois Lane se vê agora diante de uma ameaça crível, letal e por incrível que pareça, realmente amedrontadora. Sempre achei Superman um personagem difícil de se trabalhar tendo em vista a necessidade de se criar vilões à sua altura. Nem sempre isso aconteceu, banalizando as ações deste que é quase um deus entre os homens. Aqui, Brainiac é realmente este vilão que, mais do que poder físico, possui uma maldade da pior espécie, aquela em que o vilão não tem nenhum remorso e, tal qual um psicopata, ele parasita pessoas e Mundos.


Johns mostra que há mais de uma forma de se atingir alguém que detém um poder ilimitado, e Superman perceberá isso na própria pele. Não há muito o que se falar desta história sem deixar um rastro de spoiler, por isso minha mensagem aqui é que a leitura destes 03 encadernados se completam e trazem um painel atual do personagem, sem no entanto abrir mão de suas bases mitológicas, como eu disse no início da matéria.


Reforço aqui meu conselho de se deter um pouco à cada página de cada encadernado para absorver a incrível arte de Gary Frank. Uma arte que, além de muito boa nas ambientações, consegue trazer alma e expressões aos personagens retratados. 

Bom amigos...  É isso aí! Aqui foi mais uma dica do Blog. Grande abraço à todos!

2 comentários:

  1. Marcelo,

    valeu pela dica. só tenho "Superman - E a Legião dos Super-heróis" e vou caçar os outros.

    Abç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo!! Tudo bem?

      Imagina... É sempre muito bom dividir com os amigos as coisas legais. Depois que você ler os outros me avise o que achou!!

      Abc!!

      Marcelo.

      Excluir