domingo, 27 de setembro de 2015

Miniatura DC Série Especial Nº 04 - Anti-Monitor

Miniatura DC Especial Nº 04 - Anti-Monitor

Representante de uma vilania que ultrapassa qualquer entendimento do ser humano comum (a vilania cósmica), o Anti-Monitor é um gigante soberano do Universo da Anti-matéria. Criado no contexto do bem sucedido Reboot dos anos 80 da DC (Crise nas Infinitas Terras) o Anti-Monitor é uma força destrutiva pior e mais letal que até mesmo sua contra-parte no Universo Marvel, Galactus (o Devorador de Mundos). Isso porque, diferentemente de Galactus, o Anti-Monitor foi concebido dentro de um Universo Paralelo de Anti-Matéria, com poder suficiente para aniquilar não apenas planetas ou Sistemas Solares, mas Universos inteiros. Conheçamos sua peça na Coleção de Miniaturas de Metal da DC, bem como alguns detalhes aterradores de sua criação e motivação.

Miniatura DC Especial Nº 04 - Anti-Monitor

Diferentemente do último Reboot da DC em 2011, o Reboot de 1985-1986, intitulado Crise nas Infinitas Terras, tinha um motivo mais elevado, justificável e menos comercial, ou seja, a tentativa de simplificar, unificar e arejar o Universo DC. Foi nesse contexto que surgiu esta grande nêmese de todas as coisas vivas, o Anti-Monitor. Sua peça me surpreendeu pelos detalhes que se "remontam" em camadas. O sistema de "mangueiras" que se intercomunica por todo o traje foi bem modelado em minha opinião. Dando a impressão de um ser mantido vivo por meio de algum fluido vital.

Miniatura DC Especial Nº 04 - Anti-Monitor

A anatomia da figura está bem demonstrada, com músculos que se destacam sob algo que lembra uma pele metálica. O rosto da estranha criatura é estranho e lembra algo semelhante à uma caveira dentro de um escafandro, conferindo ao personagem seu ar sombrio e vilanesco. Gostei também das botas, ombreiras e braceletes. A única coisa que não haveria necessidade na concepção do personagem (em minha opinião) seria a presença da sunga azul. De qualquer forma entendo sua existência para que a indumentária do vilão espacial ficasse familiar à todos nós, terráqueos.

Miniatura DC Especial Nº 04 - Anti-Monitor

Sua postura é de tirania, soberba e até militar. Portanto me pareceu adequada à um ser cujo poder é tamanho que prescinde de gestos ou mesmo de posturas humanas e pueris. Aqueles colecionadores que conseguiram a peça em metal devem ter se surpreendido com seu peso. O Anti-monitor foi lançado ainda numa fase da coleção em que as peças Especiais da DC chegavam em liga metálica. Por isso não é incomum encontrarmos fãs que conseguiram essa miniatura em metal (como é o meu caso). O que dá uma diferença significativa à manipulação, embora ao olhar não haja diferenças entre a de resina e a de metal.

Miniatura DC Especial Nº 04 - Anti-Monitor

Falar do Anti-monitor é falar de Crise nas Infinitas Terras. Não há como separá-lo deste evento, uma vez que sua criação foi específica para esta saga. A concepção geral de sua existência relaciona-se ao fato de que existem diversos Universos, incontáveis dimensões (o Multiverso), separados entre si por leves frequências vibracionais. Essa ideia é inclusive apoiada pela física moderna que concebe essa ideia no que chamamos de Teoria das Cordas, referência ao fato de cada realidade vibrar em uma frequência diferente. Outro conceito também aceito pela física moderna é a ideia da existência da anti-matéria, um conjunto de partículas totalmente opostas à matéria constituinte de nosso Universo visível. Em nosso Universo os átomos são formados por um núcleo com carga positiva orbitados por elétrons de carga negativa. No Universo de Anti-matéria os átomos teriam constituição inversa, núcleo negativo e elétrons positivos. Por isso que quando expostas no mesmo espaço, matéria e anti-matéria se aniquilariam mutuamente gerando uma liberação de energia colossal.

Miniatura DC Especial Nº 04 - Anti-Monitor

O Anti-monitor é ninguém menos que o Senhor Absoluto do Universo de anti-matéria, ou seja, um Universo que se fosse colocado em contato com o nosso o aniquilaria totalmente. É claro que este contato também levaria à destruição da anti-matéria envolvida neste processo. Pois este era exatamente o objetivo do vilão cósmico, a aniquilação dos dois Universos, ou seja, do Multiverso de matéria e do  Universo de Anti-matéria. O Anti-monitor seria então o único ser sobrevivente desta aniquilação mútua e, portanto teria a possibilidade de recriar e moldar um novo Universo à sua imagem e semelhança. Com esta premissa a DC conseguiu criar uma epopeia de proporções gigantescas e assim se utilizou da história para acabar com o conceito de Multiversos na editora, que permitia a existência de personagens diferentes habitando Terras distintas. A partir de Crise nas infintas Terras a DC passaria a possuir uma única Terra habitada por um único conjunto de super-heróis e vilões.

Miniatura DC Especial Nº 04 - Anti-Monitor

A Saga foi um sucesso de público e crítica, e o Anti-monitor passaria a gozar a fama de um dos mais poderosos e letais vilões cósmicos já criados. Interessante é notar que passados praticamente 30 anos da Saga original, a editora hoje procura (acertadamente) realizar um caminho inverso, ou seja, de retornar ao conceito do Multiverso. Eu particularmente apoio essa decisão, sobretudo pela liberdade criativa que ela traz consigo, permitindo a roteiristas e desenhistas ousarem em conceitos e ideias diversas daquelas tradicionalmente trabalhados. O Anti-monitor foi outras vezes mencionado em outras sagas da editora, dentre elas Crise Infinita

Miniatura DC Especial Nº 04 - Anti-Monitor

Bem amigos... É isso aí! Eis o grande Anti-monitor, inimigo de todas as coisas vivas.
Grande abraço à todos!

11 comentários:

  1. Respostas
    1. Valeu amigo!!

      Grande abraço e obrigado pela presença!!

      Marcelo.

      Excluir
  2. Olá Marcelo,
    Muito b acana suas postagens, eu curto principalmente as das miniaturas e m que você nos premia com uma síntese bem clara a respeito dos personagens, assim podemos conhecer um pouco deles. (As fotos são um show a parte)
    Esta miniatura particularmente não me chamou atenção nenhuma, primeiro por não conhecer o personagem (sou leitor da Marvel), mas me arrependi, pois depois pude ver a peça em mãos e notar o quanto realmente é uma miniatura imponente, fui procurar e agora só tem a de resina, que pude ter em mão também e perceber o que a Eagleamoss fez, transformou miniaturas imponentes e extremamente chamativas em brinquedinhos de plástico, conheci um colecionador aqui de BH que tem estas miniaturas de metal e de resina, e realmente não dá para comprar.Como item de coleção ficou terrível. Se fossem todas de resina talvez a receptividade fosse melhor, mas depois de nos brindar com miniaturas metálicas maravilhosas ter que engolir estas de resina ficou muito indigesto. Abraços e parabéns pelas belas matérias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Wellington!

      Muito 0brigado pelo elogio. Fico feliz que curta as postagens com as miniaturas. Valeu mesmo!!

      Então... Você tem razão é uma miniatura imponente mesmo. Quando conhecemos um pouco mais da mitologia de determinado personagem a peça passa ter um outro significado pra gente com certeza. Essa peça em específico possui uma grande diferença de peso entre a de resina e a de metal. Uma diferença mesmo gritante em relação ao peso.

      Essa discussão que você abre é muito interessante. Há quem não se importe com as peças de resina. Confesso que há alguns anos comprei algumas peças Especiais de fora que são originalmente de resina lá fora (Monstro do Pântano e Blob por exemplo) e confesso que quando as recebi não me importei tanto com o material de que eram feitas. No entanto, aqui no Brasil tudo se tornou um grande problema em função da forma como a Eaglemoss conduziu essa questão. Foi de uma forma abrupta e sem muita informação. Talvez se tudo tivesse sido anunciado aos poucos e ao longo de um tempo, talvez tivéssemos acostumado nossas mentes à mudança. Porem, foi tudo muito rápido e sem informações. Tenho tentado recalibrar meu "olhar" para essas peças de resina, ou seja, tentando vê-las com outros olhos. Por exemplo, comprei o LOBO e o Etrigan. Chegaram em resina e tenho tentado vê-los sob uma outra ótica. Vamos ver... rs rs rs

      Você coloca bem quando diz que se fosse desde o começo teríamos reagido diferente.

      Valeu Wellington! Apareça mais vezes.

      Abc!

      Marcelo.

      Excluir
  3. Olá Marcelo! Essa figura é emblemática mesmo, pois remonta ao período em que os quadrinhos eram mais simples e menos comerciais, como você bem escreveu.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcelo...

      Isso é verdade. Sentimos falta de uma maior simplicidade nos quadrinhos. Quando falo em simplicidade falo de roteiros complexos em sua simplicidade se é que dá para entender.

      Penso que Mark Waid é um cara que atualmente resgata isso em suas histórias.

      Grande abraço amigo!

      Marcelo

      Excluir
  4. Saudações Marcelo e amigos.
    Faz tempo que não comento em seu blog, mas visito e leio sempre seus posts. Particularmente gosto bastante da sua busca por detalhes das miniaturas as quais descreve com tanto zelo. O meu Antimonitor também 'e em metal e não vejo a hora de ter um expositor para colocar todas essas belezinhas em um local apropriado. Falando nisso, bem que você poderia colocar algumas fotos do seu móvel expositor, que já deve estar bem mais ocupado, pra gente ver também.
    Abs Marcelo.
    Ps: Deu vontade de reler Crises, mesmo a minha copia sendo ainda em formatinho :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fernando...

      Blz!!?!?

      Poxa... Que legal Fernando. Realmente a gente fica sem a noção realmente de quem visita, exceto quando leitores deixam comentários. É muito bom saber que você, um leitor antigo aqui do Blog continuar por aqui! o/

      Sabe que gosto de buscar por estes detalhes mesmo. Engraçado é que quando manipulo em minhas mãos as peças eu em geral não me atento para estes detalhes. Percebo-os mesmo através das fotos. Por isso percebi em um determinado ponto que as fotos tinham uma serventia adicional, ou seja, me permitiam admirar e reconhecer as peças em um nível que o olho nu não permite.

      Estou mudando de apartamento e no novo local estou reformando já prevendo uma estante! rs rs Aquele móvel expositor que eu fotografei há algum tempo não mais será usado. Neste novo apartamento mandei fazer um projetinho voltado para as peças. Creio que até meados de novembro estarei me instalando por lá, daí postarei as fotos!!

      Puxa! Nunca li Crise na íntegra acredita! Por isso estou super ansioso para a chegada da coleção da Eaglemoss e ter o encadernado!

      Abração!

      Marcelo.

      Excluir
  5. Dá uma certa frustração quando pego a minha em resina... Leve como uma pluma...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo perfeitamente Kleiton...

      Como comentei acima, consegui em metal trazendo lá de fora há muito tempo. Essa questão da resina será um trauma difícil de superar.

      Gde. Abc.

      Marcelo.

      Excluir
    2. Boa tarde, Marcelo
      Consegui fazer uma pechincha com um vendedor do Mercado Livre e consegui essa de metal (linda e pesada) por apenas 80 pila mais o frete.
      Fica a dica, pra galera dar uma olha lá, por que as vezes, achamos algumas coisas interessantes no ML.

      Abraço
      Sérgio

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados