domingo, 26 de julho de 2015

Raio X de... Vampiros no Cinema (Box)


Olá amigos... Gostaria hoje de comentar rapidamente os filmes integrantes do Box Vampiros no Cinema da Versátil Home Vídeo. Lançado em Junho de 2015 o Box faz parte da excelente iniciativa da Versátil de lançar Boxes temáticos. Vampiros no Cinema traz um recorte de filmes que abordam o tema do Vampirismo numa interessante progressão de tempo capaz de apresentar a abordagem do mito à luz do pensamento e da narrativa cinematográfica de algumas épocas, no caso: décadas de 20, 70, 80 e 90. O primeiro deles é Nosferatu.


Nosferatu (Nosferatu, eine Symphonie des Grauens)
 
Ano e País de Produção: 1922 - Alemanha.
Direção: Friedrich Wilhelm Murnau.

Aclamado clássico de Murnau, Nosferatu traz consigo a honra de ser o 1º filme a abordar o mito do Vampiro. Em uma livre interpretação de Drácula de Bram Stoker, o filme traz um Conde (Orlok) que vive nos Cárpatos (região Romena) e que se interessa em comprar um imóvel na cidade de Wisborg. O filme tem a narrativa característica dos filmes das décadas de 10 e 20, ou seja, é mudo, traz interpretações teatralizadas e um pouco exageradas. Com isso em mente o espectador verá que o filme é uma obra-prima ao conseguir revelar a atmosfera sombria, solitária, mórbida e letal dos vampiros. Orlok, embora de aparência frágil e bizarra é sim mortal e astuto. A estética do filme é um espetáculo a parte.


A Noite dos Demônios (La Notte dei Diavoli)
Ano e País de Produção: 1972 - Itália.
Direção: Giorgio Ferroni.

Com a estética característica dos anos 70, A Noite dos Demônios foi para mim uma grande e positiva surpresa. Um jovem e promissor arquiteto (Nicola) se perde em uma floresta em busca de uma madeireira e precisa passar a noite em uma casa com uma família muito estranha. O filme segue características que, infelizmente, não se vê mais nos filmes de terror de hoje, ou seja, consegue ir além do terror ao abordar um erotismo suave e subentendido, a solidão, o medo e o mistério intrínseco e não revelado. Uma narrativa que privilegia mais o ambiente interno dos personagens do que o externo. Para mim, um dos momentos mais memoráveis do filme é a conversa entre Nicola e um ex-policial sobre o motivo da existência dos Wurdulack (termo da cultura dos povos dos cárpatos para morto-vivo).


Quando Chega a Escuridão (Near Dark)
Ano e País de Produção: 1987 - EUA.
Direção: Kathryn Bigelow.

Quando Chega a Escuridão é nada mais nada menos que a junção de um faroeste moderno com um filme de vampiro. A diretora é sim Kathryn Bigelow, vencedora do Oscar de Melhor direção por Guerra ao Terror. O filme foi lançado em 1987 e traz a estética "Trash" tão famosa e (podemos dizer) cultuada dos anos 80. Duas interpretações que gostaria de destacar, a de Bil Paxton como um jovem Vampiro e de Lance Henriksen (o androide do filme Aline II de 1986).


Cronos (Idem)
Ano e País de Produção: 1993 - México.
Direção: Guilhermo Del Toro.

Cronos é outra surpresa interessante e bem positiva. O filme faz o que parece ser impossível, associa a estética singela, doce e lírica do cinema latino com o mito sombrio dos vampiros. Ron Perlman (HellBoy) está no elenco e faz uma interpretação muito boa, sendo até um alívio cômico para a trama que a partir de um ponto torna-se bem densa. O dispositivo milenar chamado Cronos acaba por cair nas mãos de um dedicado avô que ao lado de sua pequena sobrinha desce aos porões do vampirismo em seu formato mais denso e degradante.




O Box traz os já cultuados "Cards" com a arte original dos filmes. Item que, para o colecionador cinéfilo, é algo que não tem preço, uma vez que lhe permite entrar mais no universo que envolve o filme.



Como tradição dos Boxes da Versátil os Extras estão presentes e são um importante material de consulta e aprofundamento. É isso aí amigos... Grande abraço à todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados