terça-feira, 2 de julho de 2013

Demolidor de Mark Waid - Uma Voltas às Clássicas HQs


Recentemente terminei de ler o recém-lançado (aqui no Brasil) encadernado que inaugura a fase de Mark Waid à frente do título do Demolidor. Já de início quero dizer que a experiência de leitura foi das mais prazerosas e positivas. Tanto que me vi motivado à enquadrar o encadernado como dica de leitura aqui no Blog. Com o mínimo de "spoilers" possível, passarei minhas impressões sobre essa fase do personagem nas mãos deste grande escritor (em minha opinião) chamado Mark Waid!!


O Demolidor foi sem dúvida nenhuma um dos personagens que mais sofreu o impacto do novo modo de se fazer histórias em quadrinhos que tomou conta de todos os escritores a partir da Era Moderna das HQs nos anos 80. Histórias como Batman - O Cavaleiro da Trevas de Frank Miller, Watchmen, V for Vendetta de Alan Moore, Sandman de Neil Gaiman entre outras, deram o tom à um novo modo de se fazer quadrinhos. Histórias mais sombrias e violentas, nas quais a miséria humana era dissecada até o seu último grau eram cada vez mais comuns. Desde então temos vivido um período de grandes e memoráveis histórias em paralelo, no entanto à outras tantas que poderíamos classificar como medíocres ao simplesmente tentarem reproduzir a fórmula dos escritores mencionados acima. Eu poderia dizer que o Demolidor foi um dos heróis sacrificado em holocausto à essa nova forma de se fazer quadrinhos. Histórias como "A Queda de Murdock", "Demolidor - O Homem Sem Medo", "Terra das Sombras" dentre várias outras lançaram o personagem à um inferno pessoal no qual sempre após uma queda e subsequente redenção, o herói era novamente jogado em outro purgatório.

Ilustração que exemplifica bem a fase sombria vivida pelo demolidor nos últimos anos

Por isso que a chegada de Mark Waid ao comando do personagem foi recebida com muita expectativa. Experiente escritor com diversas obras importantes em seu currículo, Waid abre uma nova porta e contextualiza o Demolidor sob um novo e mais positivo prisma. Qualquer outro escritor poderia errar a mão ao fazer isso, jogando o personagem em um "mar" de clichês. Waid, no entanto consegue fazê-lo com maestria ao reintroduzir sutis elementos clássicos da mitologia do herói. A cegueira de Matt Murdock, bem como sua carreira de advogado voltam a ter espaço importante na história. Toda dualidade e estranheza que no início nos causava o fato de um cego ser super-herói e ainda por cima ser advogado estão de volta. A questão da cegueira é brilhantemente explorada com novas soluções gráficas introduzidas pelos desenhistas Paolo Rivera e Marco Martin. Os artistas tentam passar ao leitor como é ter seus sentidos aguçados (olfato, paladar e audição) e enxergar o mundo através de um radar no lugar da visão. Abaixo é possível se ter uma amostra do que digo.



Além da vida profissional e de sua relação com a cegueira, outro ponto que volta a ter destaque é a amizade de Matt com Foggy Nelson (seu sócio em um escritório de advocacia). Tudo isso junto e amarrado com bons diálogos fazem com que você sinta aquela sensação de estar lendo uma história clássica. Essa sensação aumenta diante dos desenhos, que trazem aquele típico traço visto em histórias antigas, mais comuns na Era de Prata dos Quadrinhos nos anos 60.


Mark Waid não desconsidera o angustiante passado do Demolidor, porém Matt Murdock resolve colocar tudo de ruim que lhe aconteceu em perspectiva. Sua personalidade está mais leve e até um pouco brincalhona, porém Waid não caiu na armadilha de fazer isso deixando o personagem inconsciente disso. Mesmo Matt admite para Foggy que pode estar vivendo numa espécie de "negação" frente ao seu passado de dor, ao adotar essa perspectiva mais positiva da vida, o que na verdade preocupa seu sócio.

Concluindo... A nova fase do Demolidor é boa não por buscar inovações, mas sim por fazer uso adequado de elementos clássicos. Há muito sou fã de Mark Waid, um sujeito humilde e consciente do mundo ao seu redor. Sua nova fase à frente do Demolidor é um sopro de ar fresco e um raio de sol nas obscuras câmaras nas quais o personagem tem vivido. Para nós é a esperança de que ideias simples e elementos clássicos dos heróis possam sim ser trabalhados e tornarem-se um grande sucesso. Para quem não sabe essa fase foi vencedora do Prêmio Eisner (o Oscar dos Quadrinhos) nas categorias de "Melhor Série" e "Melhor Escritor" em sua edição de 2012. Peço desculpas pelo trocadilho mas, assim como o Demolidor é um "Homem Sem Medo", qualquer um pode ser um "Leitor Sem Medo" diante desta história!

Abc. à todos!

20 comentários:

  1. Marcelo,

    pensei em comprar essa HQ na banca, esses dias.

    Sobre: "Os artistas tentam passar ao leitor como é ter seus sentidos aguçados", realmente, as páginas que você postou conseguiram captar isso.

    Sobre: "mas sim por fazer uso adequado de elementos clássicos", é sempre interessante quando bons autores fazem esse apelo. Grandes Astros Superman foi bom justamente por isso, quando Morrison deu ênfase aos aspectos mais pueris e corriqueiros da vida do Homem de Aço para "encerrar" com chave de ouro sua mitologia.

    Acho que darei uma chance a esse gibi. Só evitei porque já ando com muita coisa para ler.

    Abç!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kleiton...

      Acho importante comentarmos nossa impressões porque sempre ajudam os colegas. É claro que a opinião expressa na matéria é minha, ou seja, há a questão do gosto pessoal envolvido, mas posso te dizer que essa tem sido a opinião geral que tenho acompanhado por aí. Minhas razões para o sucesso são essas que expus na matéria.

      Acho que quando os aspectos clássicos e elementares do personagem vem à tona em geral é um bom sinal. Como é de consenso geral a maioria das premissas dos super-heróis são boas, o que acontece é que muitos escritores são ruins mesmo e acabam deturpando esses princípios. O exemplo que vc deu é muito pertinente. Grant Morrison faz exatamente acerta justamente por valorizar esses aspectos elementares do Superman em Grandes Astros!

      Quanto às soluções gráficas dos desenhistas elas são muito interessantes nesse encadernado do Demolidor. Tanto que se vc for um leitor mais despercebido em relação aos desenhos muita coisa legal passa batido.

      Caso vc venha a lê-la depois me conte o que achou!

      Abcs!

      Marcelo.

      Excluir
  2. confesso que não lembro de tudo que lí esse ano, mas uma coisa tenho certeza essa do DD é sem dúvida uma das melhores, senão a melhor coisa que lí em muito tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Helder, a história é bem acima da média que temos atualmente.

      Uma coisa que tenho observado é um certo consenso entre os leitores de quadrinhos sobre essa história ser boa. Definitivamente ela não cai naquela "zona cinza", ou seja, aquela HQ que divide opiniões 50%/50%.

      Isso mostra que para ser bom não precisa chocar as pessoas com cenas extremas, um roteiro inteligente é o que faz diferença.

      Abcs!

      Marcelo.

      Excluir
  3. Oi Marcelo, tenho evitado comprar gibis de heróis, por questões de orçamento. Fico mais no Homem-Aranha que é meu preferido.

    Mas, neste caso do Demolidor, não resisti, a edição está aqui, lacrada na minha frente.

    Gostei demais da abordagem que você fez na postagem. Obrigado por não revelar demais o conteúdo.

    Acho que esta edição merecerá uma atenção maior da minha parte, ainda mais agora embasada numa opinião sensata como a do amigo.

    O Demolidor é um personagem diferenciado, que precisa de histórias bem elaboradas, condizentes com sua condição única e percepção aguçada.

    Parabéns pela postagem. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paulo...

      Tudo bem!?

      Sábia e prudente decisão a sua de selecionar os títulos. Diante da grande oferta precisamos mesmo direcionar nosso suado $$ àquilo que realmente gostamos!

      Essa edição do Demolidor ficou irresistível mesmo. A menor possibilidade de termos em mãos algo que nos lembre a famosa fase clássica das HQs de heróis cria na gente uma grande expectativa.

      Agradeço seu comentário e fico feliz que a matéria tenha ajudado vc amigo. Procuro sempre falar mais sobre o contexto e a premissa das histórias em quadrinhos que em geral recomendo aqui, acho um pouco chato revelar coisas que acabam tirando o impacto e o prazer dos leitores. Percebo que vc pensa assim também!

      Gostaria de saber sua opinião após sua leitura! O Demolidor é um personagem que a maioria gosta. Ele possui características que chamam atenção. Por exemplo ser, à princípio, um deficiente visual e ao mesmo tempo ser um super-humano. Essa dualidade sempre chamou atenção. Realmente um personagem com uma mitologia tão interessante como essa merece histórias boas.

      Valeu mesmo Paulo.

      Abcs!

      Marcelo.

      Excluir
  4. E ae Macelão, votei, amigo! Como vai?

    Comprei esse exemplar semana passada. Ia ler primeiro, mas resolvi colocar as minhas primeiras impressões aqui.

    Não curti muito a escolha do material da capa, e do das páginas, acho que ficam muito moles, tendem a amassar com facilidade. Achei que faltou um certo carinho na edição deste encadernadinho. Pelo valor cobrado, acho o material de baixa qualidade.

    Cito como exemplo o último que eu havia comprado, do Monstro do Pântano. Acabamento muito melhor. Eu sempre compro muitos encadernados como este, não compro mensais.

    Sobre o conteúdo, ainda não li, estou meio sem tempo no momento(bendito casamento,rsrsr). Mas pretendo ler em breve. Gosto do Demolidor, mas não conheço muito, me recomenda outras histórias dele, que você tenha gostado? Gosto das revistas das Figurines, pois nelas, eles citam as principais histórias da miniatura da vez, isso é muito legal.

    Ahhh caso não tenha lido, recomendo o Monstro do Pântano. E se tiver lido, merece um post seu, como sempre muito bem explicado, com citações e feito de fã para fã.

    Um grande abraço, do seu Fã.

    Michael Araujo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Michael! Blz?

      Olha... A forma como a revista foi constituída realmente a deixa um pouco mole mesmo, vc tem razão. Compro algumas mensais, mas meu grande consumo vem mesmo destes encadernados como vc. O do Monstro do Pântano eu comprei também e pude observar isso que vc informa mesmo, ele parece ter uma melhor constituição. Esse ponto que vc levanta é envolto em mistério para mim também, porque determinados encadernados, à vezes de melhor qualidade de encadernação, vem com preços mais baratos que outros. Outro exemplo clássico disso foi o encadernado "Batman - O Filho do Demônio". Um ótimo preço para um encadernado de capa dura.

      Algo que me ocorre nesse momento, e que poderia explicar tal discrepância, pode ser o seguinte. Talvez isso tenha a ver com o material (HQ) ser antigo, proveniente de histórias antigas (e portanto mais barato) e material recente, como é o caso desta história do Demolidor (que é de 2012) e inclusive foi ganhadora de Prêmios lá fora. Pode ser que, pesando a publicação de material inédito (mais caro), eles optem por publicar com um acabamento gráfico mais barato, contrabalanceando assim o custo e tornando o encadernado nem tão caro, mas também nem tão barato.

      Pode ser que seja isso, pois se pegarmos o exemplo que usamos acima (Monstro do Pântano e Batman - O Filho do Demônio), foram duas histórias publicadas aqui em encadernados mais baratos, porém eram histórias antigas.

      Olha, em relação às histórias do Demolidor eu diria que a mais clássica e obrigatória de todas é "A Queda de Murdock" de Frank Miller. Mas há ainda a HQ "Demolidor - Homem Sem Medo" e a recente "Terra das Sombras" publicada no Brasil com diversas lacunas. Essas duas mais antigas vc encontra em encadernados em Comic Shops, porém o preço está bem salgado.

      As revista que acompanham as Miniaturas dispensa comentários. Eu adoro também!

      Valeu pela dica do Monstro do Pântano! Essa que vc se refere é o recente encadernado que saiu pela Panini com as histórias antes da fase do Alan Moore?

      Valeu pelo comentário amigo!!

      Abção!

      Marcelo.

      Excluir
    2. Valeu pelas dicas, amigo. Vou procurar estes exemplares a venda.

      Ouvi dizer que Demolidor amarelo também é muito bom, conhece?

      Agora fiquei pensando no que você falou com relação ao custo das revistas e realmente faz sentido.

      Sim, me refiro ao encadernado que saiu agora, do Len Wein. As histórias sob a batuta do Mago, nem preciso comentar, são fantásticas, mas essas primeiras são muito boas também. Recomendo.

      Tenho ótimos encadernados do Batman, Sandman tenho os 2 primeiros volumes lançados(edição definitiva) esperando a 3ª diminuir de valor. Tenho preacher da panini, que esta saindo, Edições definitivas de Wathcmen e Batman Dark Knight, e são todos fantásticos, valem muito a pena, apesar de serem bem carinhos. Recomendo todos. Aquele abraço.

      Excluir
    3. Olha Michael... O Demolidor amarelo eu consegui num sebo. Confesso que não li ainda. Está na fila! rs rs, Mas me parece bom. Gosto muito de histórias no estilo "Noir", como essa do Demolidor amarelo parece ser.

      Novamente valeu pela dica da matéria sobre o Monstro do Pântano. Esse encadernado do Len Wein é o que eu estava me referindo mesmo acima. Ele está na fila também! rs rs

      Sandman eu tenho a coleção completa em fascículos pela Ed. Globo. Daí não me animei em comprar as definitivas, se bem que toda vez que eu as vejo nas livrarias dá aquela vontade de sapeca-las. Mas o preço realmente é bem salgado!

      Watchmen eu tenho em fascículos da Ed. Abril (12 ao todo). Do Batman já saiu muita coisa, não é mesmo? Tenho várias também. Batman - Cavaleiro das Trevas eu tenho o encadernado antigo da Ed. Abril. Quando eu vejo muitas dessas histórias clássicas sendo relançadas às vezes eu até compro de novo quando estão baratos e caso tragam algum extra que valha a pena. Estou aguardando com ansiedade o relançamento dos "Livros da Magia"!

      Abção. Michael!! Temos muitas "figurinhas" para ir trocando!

      Marcelo.

      Excluir
  5. Sou mais um aqui q achou essa HQ "Muito Boa" (na minha avaliação pessoal leva 4 estrelas de 1 a 5)!!!

    vou colecionar com gosto essa nova fase do DD... q aliás, será trimestral aqui no Brasil (segundo me informaram, ela irá se revezar a cada 3 meses com "Justiceiro" e "Deadpool": q tbm terão suas novas fases encadernadas)!!!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala ae Leo, bom te ver por aqui também.

      Que bom que vocês dois gostaram da edição, logo , valeu a pena ter comprado.

      Achei interessante o que você disse aí em cima. Então teremos a sequencia: 1º Mês - Demolidor,2º Mês Justiceiro e 3º Mês Deadpool? Recomendam o terceiro? Até acho o personagem bem engraçado, mas nunca me aprofundei legal. Eu gosto bastante do justiceiro.

      Essas novas fases estão boas? Será que vale a pena o investimento?

      Vi hoje nas bancas aqui do RJ, que saíram as primeiras edições das mensais da DC, contando as origens e com poster, vale a pena comprar? Gostaria de saber mais sobre elas.

      Um abração Leo.

      Excluir
    2. Opa!
      Não sou o Leo, mas vou me intrometer na conversa.
      Pra quem tá começando a ler DC (que é o que me parece ser o seu caso) recomendo cofrar Batman e Liga. Batman por ser umas das melhores mensais atuais graças ao mix que não derrapa e por ser o Batman, lógico, e Liga pelo fato das histórias da equipe serem o eixo da DC pós reboot. Além disso, com o fim das histórias da LJI e do Capitão Átomo, a revista deve melhorar bastante.
      Não recomendaria Lanterna por estar no meio de uma enorme fase, a do Jhons, que começou lá trás quando ele ressuscitou o Hal Jordan.
      Também não recomendo UDC e Sombra por serem mais voltados pra nerds mais hardcores, e por também terem histórias meia-bocas misturadas com histórias muito boas.
      E passe longe da revista do Super: tá muito ruim!!

      Abs!

      Excluir
    3. E aí Leo, Michael e Bruno! Blz?

      Valeu pela noticia Leo. Não sabia que o Demolidor seria trimestral e muito menos que estaria intercalado com outras três publicações trimestrais (Justiceiro e Deadpool). Se soubesse que Demolidor seria trimestral teria lido mais devagar! rs rs

      Michael... Até gosto do Justiceiro, mas não gosto muito do Deadpool. Alias ele é o tipo de personagem que se ama ou se odeia. Não sei se vou pegar a trimestral dele, provavelmente eu fique na do Demolidor mesmo. A do Justiceiro, dependendo dos comentários pode ser que eu cofre. Quanto a questão das revistas da DC eu assino embaixo do comentário do Bruno.

      Valeu pela participação Bruno. Concordo com vc em sua avaliação. Depois do Reboot da DC comecei comprando Batman, A Sombra do Batman, Superman, Universo DC, Lanterna Verde, Flash, Liga da Justiça e Liga da Justiça Dark. De todas essas atualmente eu fiquei apenas com Batman, A Sombra do Batman, UDC e Liga da Justiça. Batman sem dúvida é a melhor mensal. A Sombra do Batman traz historias interessantes do personagem e chamo atenção também para as da Batwoman. Liga da Justiça é sem duvida nenhuma o grande eixo da DC Pós Reboot e UDC acabei mantendo porque gosto muito do Aquaman (nessa fase atual) e do Gavião Negro. As demais mesmo ficaram muito ruins!!

      Valeu amigos!! Informações e comentários muito legais!

      Abc.

      Marcelo.

      Excluir
  6. É isso mesmo, Michael....

    aliás, o encadernado do "Justiceiro" já sai este mês mesmo, mas não li essa fase nova dele ainda!!!

    o "Deadpool"... eu não sei se vai retomar a série mensal de onde parou (qdo cancelaram o gibi dele), ou se vai ser alguma das novas séries q ele andou estrelando (vamos esperar pra ver)!!

    Abs!

    ResponderExcluir
  7. "Até gosto do Justiceiro, mas não gosto muito do Deadpool. Alias ele é o tipo de personagem que se ama ou se odeia."


    Isso é verdade, Marcelo, rs...

    eu sou um q simpatizei e me identifiquei logo de cara com o "Deadpool" (desde q li a estréia da 1º série dele em "Marvel 99"):

    mas sei q ele é um dos personagens + odiados pelos leitores.... esse ódio só aumentou qdo os fãs dos X-Men queriam o Deadpool fora do mix das revistas mutantes. Mas ele tem seu público fiel tbm, rs!!!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então Leo...

      Confesso mesmo que à princípio não gostei tanto do Deadpool. Porém, tenho que confessar que ao vê-lo junto ao X-Factor eu gostei da dinâmica da equipe, e isso em grande parte pela participação do Deadpool.

      De início me pareceu que eles queriam que o personagem fosse a "Bola da Vez" da Marvel para a próxima década, querendo que ele seguisse os passos do Wolverine no que diz respeito ao sucesso.

      Vou tentar conhecer mais sobre o personagem, pois se vc gostou o personagem merece ser conhecido! rs rs

      Abcs!!

      Marcelo.

      Excluir
  8. Mais um bela matéria, e como sempre gostei do Demolidor, acredito que vou comprar um pouquinho mais para frente, pois tenho muita coisa para ler. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa... Valeu Marcilio.

      Acho que você vai gostar amigo! Mark Waid começa sua passagem pelo personagem de forma despretensiosa, ou seja, sem querer que a história já seja vista como uma saga bombástica. Percebo que muitos roteiristas atualmente ficaram viciados em fazer de sua história "A MEGA SAGA", isso fez com que fórmulas ficassem sendo repetidas à exaustão. Coisas chocantes, mudanças de preferências sexuais dos heróis, muita morte e sangue passaram a ser elementos que muitos escritores começaram a usar com o objetivo de sua HQ virar "A HQ". Mark Waid escreve uma HQ simples e que resgata a simples ideia de uma boa história,e não da MAIOR HISTÓRIA.

      Depois que vc ler Marcilio, me conte o que achou!!

      Abcs!

      Marcelo.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados