domingo, 5 de fevereiro de 2017

Miniatura DC Série Especial Nº 10 - Lobo

Miniatura DC Especial Nº 10 - Lobo

Entender os "por quês" e razões que existem por trás da criação de cada personagem é um exercício muito interessante. Durante este processo podemos perceber que determinados heróis ou vilões encarnaram perfeitamente o Zeitgeist (Espírito do Tempo) de uma época. Esta análise torna possível a leitura de como determinada época sonhava e pensava seus ideais. Personagens da Era de Ouro (1938 à 1956) por exemplo, tinham uma visão bem maniqueísta de seu tempo, em que o bem e o mal eram facilmente reconhecíveis, padronizando assim comportamentos e pessoas, tal qual ocorria no Mundo real naquela época. Já a Era de Prata (1956 à 1970) trazia o ideal da inocência com seus romances e galanteios entre heróis e "mocinhas", mas avançava ao começar a mostrar o dia a dia e os problemas cotidianos de alguns heróis (caso do Homem-Aranha por exemplo, criado em plena Era de Prata). A Era de Bronze (1970 até início dos anos 80) trouxe consigo a morte do Sonho Idealizado e, com isso, heróis marginais, infernais e mais viscerais (caso de Luke Cage, Motoqueiro-Fantasma...). Por fim a Era Contemporânea (a partir dos anos 80) literalmente desconstruiu seus heróis em uma viagem ao âmago de praticamente todos (o Batman de O Cavaleiro das Trevas e Ano Um de Frank Miller; o Demolidor de A Queda de Murdock também de Frank Miller; o Monstro do Pântano de Alan Moore; o Sandman de Neil Gaiman; o Homem-Animal de Grant Morrison) . Mas e o Lobo? O que ele representa? A que ele veio?

Miniatura DC Especial Nº 10 - Lobo

A resposta a esta pergunta começa pelo visual do personagem que pode ser muito bem comentado nesta peça da Eaglemoss. Embora feita de resina, a peça tem detalhes muito legais. A começar pela cabeleira farta, pele branca, um rosto com detalhes que lembram um cavanhaque, olhos vermelhos, e charuto, o personagem acaba ficando com uma mistura de mafioso com halterofilista, roqueiro e motoqueiro. A musculatura destacada parece um pouco avantajada demais, mas pode ser que este detalhe tenha sido proposital para demonstrar algo anabolizado. O colete, a calça jeans e o cinto evocam a indumentária dos motoqueiros norte-americanos, e a frase escrita na parte de trás do colete é um sarcástico e irônico convite à anarquia. A presença de inúmeros adereços que evocam pregos, correntes, fivelas e placas de metal tentam passar logo uma mensagem de revolta e violência.

Miniatura DC Especial Nº 10 - Lobo

O coturno com perneira metalizada destaca-se bem, e o cachorro (parece um Buldogue) mordendo a corrente aponta para selvageria do animal. Não podemos esquecer da arma na mão esquerda que apresenta-se bem modelada, passando até despercebida em face à tantos detalhes selvagens. A cabeça alienígena sob o pé direito de Lobo vem de uma Série publicada no final dos anos 80 pela DC chamada Invasão. Na série um conjunto de raças alienígenas decidem exterminar com a humanidade, e o pobre alien apresentado aqui é da raça Domínion. Eu gostei desta peça, confesso que (como todos) preferia que ela tivesse sido confeccionada em metal, o que lhe daria maior peso e consistência. Apesar disto ela não faz feio na estante ao lado de outros heróis e vilões.

Miniatura DC Especial Nº 10 - Lobo

O Lobo que conhecemos hoje foi reformulado após a mega-série dos anos 80 Crise nas Infinitas Terras. O Lobo anterior (criado em 1983), embora também violento e também caçador de recompensas, não possuía o temperamento tão selvagem e exageradamente homicida do atual. Falaremos aqui do Lobo já reformulado pós Crise e que, em minha opinião, é o verdadeiro. Pois foi este que conquistou uma legião de fãs e participou efetivamente de muitas aventuras importantes. Lobo nasceu no Planeta Czárnia e seu nome, em dialeto Khúndio significa "aquele que devora suas entranhas e se deleita com isso". O personagem é o responsável pelo extermínio completo de sua própria raça, tornando-se o único czárniano vivo em todo o Universo. Uma origem que ironiza a de outro grande herói da DC, Superman. A sede homicida de Lobo o levaria facilmente a fazer dela seu "ganha pão", tornando-se um caçador de recompensas. Embora violento e sem escrúpulos, o personagem trabalha sob um código moral pessoal, valorizando ao máximo seus contratos, sendo incapaz de quebra-los. Muito embora já tenha feito isto a depender do dinheiro envolvido.

Miniatura DC Especial Nº 10 - Lobo

O único vínculo emocional do personagem é com seus pequenos bichos de estimação, golfinhos espaciais. E foi um incidente envolvendo estes animais que forçou Lobo (contra sua vontade) a integrar uma equipe de policiais protetores do Universo chamada de L.E.G.I.Ã.O. Uma tropa de seres de diversas origens espaciais idealizada e presidida pelo coluano Vril Dox. Estas histórias eram muito interessantes porque Lobo se via sempre controlado pelo inteligente Vril, sendo impedido de destruí-lo em função de alguma artimanha de Dox. Claro que toda a mitologia que acompanha Lobo parece muitas vezes estapafúrdia e algumas vezes até de mal gosto ao usar frequentemente a "morte" e a "violência" gratuita de maneira extremamente exagerada em suas histórias. Este componente inverosímel, escrachado e com um toque de humor negro pôde ser visto também em outros arcos do personagem, por exemplo quando ele foi contratado pelo Coelho da Páscoa para matar o Papai Noel, uma vez que este último estava aumentando sua popularidade e monopólio sobre o calendário festivo anual da humanidade.

Miniatura DC Especial Nº 10 - Lobo

Tudo isto nos arremete à pergunta que abriu esta matéria. Qual o "por que" da criação de um personagem como Lobo? Bom... Independente de seus criadores Roger Slifer e Keith Giffen terem pensado nisso, a verdade é que, em minha opinião, Lobo reflete a selvageria, falta de propósito e inutilidade do comportamento humano, sobretudo visto nas últimas décadas. Determinadas ações humanas são tão incrivelmente injustas e violentas que determinados artistas conseguem destilar isto em personagens e obras que ridicularizam fortemente nossa própria espécie. O "absurdo" passa a ser uma ferramenta de expressão que, se bem aplicada, torna-se um espelho para o qual olhamos e reconhecemos a nós mesmos, bem como nossas incoerências. Para mim foi isso que tornou Lobo, bem como outros personagens semelhantes a ele (Ex. Deadpool), símbolos atuais de comportamento super-heroico por não terem "papas na língua". Talvez a humanidade cansada de comportamentos sempre dúbios e cheios de "segundas intenções", encontre prazer em admirar anti-heróis que, embora sejam politicamente incorretos, são verdadeiros e se chocam contra uma ordem social corrupta e mentirosa.

Miniatura DC Especial Nº 10 - Lobo

Entendimentos assim validariam a popularidade de outros personagens como Wolverine e o próprio Deadpool citado acima. É o tipo "Herói Casca-Grossa" que fala o que ninguém tem coragem de falar e acaba cometendo atrocidades altamente condenáveis, mas que acabam por se justificar diante de uma humanidade que comete coisas piores. O comportamento destes anti-heróis se chocam com a forma bem comportada, corrupta e maquiavélica de muitos personagens que, embora menos violentos, cometem atrocidades piores com uma simples assinatura. E já que eu mencionei o Zeitgeist no início, eu diria que este comportamento politicamente correto e corrupto está altamente "in voga" atualmente em vários setores de nossa sociedade.

Miniatura DC Especial Nº 10 - Lobo

O fato é que, se vivêssemos em um Mundo menos insano, mais coerente e menos hipócrita, personagens como Lobo seriam totalmente inadmissíveis. Uma vez que não fariam sentido ao não terem contra o que se contrapor ou mesmo denunciar em sua essência. Mas a verdade é que vivemos num Mundo em que ele não apenas é viável, mas também admirável em alguns sentidos.

Grande abraço à todos!!

10 comentários:

  1. Bom dia Marcelo!

    Mais um personagem do qual nunca li nada, mas comprei a miniatura pelo visual, tive a sorte de conseguir um de metal, como comprei de segunda mão não tenho a revista, mas sempre sou salvo por suas matérias. Muito interessante sua abordagem sobre a aceitação deste tipo de personagem eu incluiria também o Justiceiro que mata a rodo, este tipo de comportamento é ditado pelos nossos amigos americanos hipócritas que sempre assumem determinada aceitação para justificar as suas ações próprias, estou sem comprar revista s há um bom tempo, mas acompanho notícias deste universo e fiquei sabendo que a moda agora é transformar todos heróis em Mulheres, Gays ou negros, qual a necessidade disto? tapar todos os anos de perseguição e maus tratos infringidos a estas pessoas, vejo tudo isto como uma banalização da arte em sim, trazendo conceitos totalmente distorcidos das mudanças e com a famosa força mercadologica que te enfia as coisas garganta abaixo.
    Voltando a miniatura ela é muito bacana , show de bola demais e ainda bem que comprei para abrilhantar minha humilde coleção.
    PS achei o rosto da miniatura parecida com om Comediante do filme Watchmen.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Wellington!!

      Tudo bem, amigo!?

      Que legal você ter um exemplar de metal... Deve ser bem pesado!!

      Concordo totalmente com você sobre esta questão de transformar personagens consolidados mudando suas características originais. Não tenho nada contra ninguém e também não tenho qualquer preconceito. Mas e querem um personagem com determinada opção sexual, ou de uma etnia específica, que criem um novo! Mas não venham transformar um personagem que fez parte de infância de muitos! Alterando características essenciais!! Isto eu acho uma grande traição da editora, que quer apenas capitanear novos públicos só pensando no lucro.

      Puxa!!! Eu ia comentar isso na matéria e me esqueci! Sobre ele ser parecido com o Comediante. Exatamente! Parece muito sim!! Está com aquela ar cínico do Comediante, com certeza!

      Valeu amigo!

      Gde. Abc.

      Marcelo

      Excluir
  2. Bom dia, Marcelo tudo certo?
    Só uma pergunta, você conseguiu o DC Pack 3 - Batgirl (#95) e Vingador Fantasma (#96)? Disponibilizaram link secreto para compra e quando fiquei sabendo já tinha acabado.
    Verifico todos os dias neste link http://lojaeaglemossbrasil.com.br/eaglemoss/produto/dc-comics-pack3-batgirl-e-vingador-fantasma.aspx, mas nunca tem o produto. Fui questionar com o atendimento mas também nunca sabem a data de reposição. Fica dificil assim né!

    Forte abraço,
    Sergio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sérgio!

      Blz!!?? Tudo bem sim!

      Eu consegui sim Sergio este Pack (Batgirl e Vingador Fantasma. Reamente fica difícil adquirir quando a venda é assim. Estou preocupado coma alguns amigos que deixaram os Packs para comprar quando fossem para as bancas. Mas nunca mais vi a Eaglemoss comentar que tais packs irão para as Bancas.

      Qualquer coisa que eu ficar sabendo eu te aviso!

      Gde. Abc.

      Marcelo

      Excluir
  3. Bom dia!

    Faça o cadastro para receber os informativos da Eagleamoss que assim você receberá o link secreto (rss) antes de sair no site, mas te garanto este foi o Pack mais esperado da DC por causa da Batgirl.

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Wellington
      Parece piada esse negocio de link secreto (kkkk)...mas valeu, vou cadastrar sim e vamos ver se desta vez eu consigo!
      Obrigado

      Excluir
    2. Olá Wellington e Sergio...

      Eu já me inscrevi para receber o link secreto mas eles nunca me mandam. Acabo conseguindo porque um amigo que recebe sempre me manda. Eu até já liguei na Eaglemoss para eles me inscreverem por lá, mas mesmo assim nunca recebo este link.

      Complicado mesmo!

      Abcs!

      Marcelo

      Excluir
    3. Bom dia Marcelo

      Eu também me inscrevi para receber esses tais links secretos, mas da mesma forma também nunca recebi nada. A falta de organização da Eaglemoss e o descaso com o cliente chegam a nível absurdo as vezes com essa Empresa.
      Mas fazer o que né, vamos aguardar uma nova remessa desse pack (que sabe-se lá quando vai aparecer de novo).

      Abraço

      Excluir