domingo, 18 de junho de 2017

Batman - Sangue Ruim


Muitas são as divergências no Mundos dos Quadrinhos, mas uma das unanimidades quanto à qualidade e respeitabilidade aos personagens são as animações da DC. Acumulando experiência desde os anos 90 com as Séries Animadas de Batman e Superman, o Departamento de Animações da DC possui nomes de peso envolvidos em suas produções, dentre eles: Paul Dini, Bruce Tim, Alan Burnett, a incrível diretora de dublagens Andrea Romano e seu time de famosos dubladores, Mark Hamill, Kevin Conroy, Rosario Dawson entre outros. Batman - Sangue Ruim segue esta trilha e não decepciona. Recentemente assisti à animação com expectativas que foram plenamente atendidas. Confesso que estava com um "pé atrás" por se tratar de uma história envolvendo a chamada "Família Batman", um conceito que particularmente não me agrada muito. No passado tivemos este conceito muito presente nas HQs, por exemplo: Família Marvel (Capitão Marvel, Mary Marvel e Capitão Marvel Jr.), Família Superman (Superman, Supergirl, Super-Cão...). O conceito teve seu lugar em uma época mais inocente dos quadrinhos, e reproduzi-lo em nossos dias é algo que tem todas as prerrogativas para não dar certo. No entanto, Sangue Ruim trabalha este conceito de FAMÍLIA do personagem dentro de uma perspectiva moderna e atual.


A família em questão seriam os heróis que, inspirados no exemplo do Homem-Morcego, decidiram dedicar suas vidas ao combate ao crime sob a insígnia do Morcego de Gotham: Asa Noturna, Robin (Damian), Bat-Woman e Bat-wing. A história começa frenética com uma luta com um desfecho muito ruim para Batman, o que já dá o tom de que os protagonistas da animação serão outros, e não o Cruzado Encapuzado. O nome Sangue Ruim é muito adequado, por se dúbio em relação à quem ele se refere, à dinastia Batman ou alguma outra? Além disso, os heróis vão sendo apresentados aos poucos, e a união deles é justificada de uma forma plausível e consistente.


O ponto alto do filme para mim são os diálogos. Percebe-se um cuidado muito grande em colocar as palavras adequadas na boca de cada personagem, evitando a armadilha de se criar a constrangedora situação de ações e palavras não terem nada a ver com o DNA do personagem. Os astros do filme são Damian (filho de Bruce Wayne com Talia Al Ghul) e Dick Grayson (Asa Noturna), que se vê obrigado a vestir o manto do Homem-Morcego. Damian começa a mostrar pequenos lampejos de maturidade e do caminho que decidiu seguir ao lado do pai. Entendendo o rígido código moral adotado por Batman: Justiça, não Vingança. Há alguns segredos escondidos (estear eggs) no longa que não vou dizer para não estragar a experiência de assisti-lo. Vale ressaltar, no entanto a conversa romântica/sensual que Asa Noturna desenvolve com uma moça ao telefone enquanto luta com um criminoso. O fã descobrirá facilmente a identidade da moça do outro lado da linha com sendo Rory, a heroína Estelar dos Novos Titãs. 

O Herético em 1º Plano na imagem

A galeria de vilões é bem interessante, mas muitas surpresas vão sendo descortinadas ao longo da trama, mostrando que tudo é um grande jogo de uma mente mais perigosa por trás. A consistência dos vilões dá credibilidade à narrativa, e a história acaba sendo adulta, com violência explícita e intenções sub-entendidas. Dentre os vilões destaco 02, o Herético e Tetch. Este último um vilão mais velho que é na verdade uma mistura de gênio tecnológico dentro de uma mente doentia.

Tetch

Há um sub-texto de caráter ético que permeia a animação, ao questionar de forma sutil se a missão de Batman é ou não correta, uma vez que seus métodos sombrios e sua mente traumatizada se assemelham muito à daqueles que ele mesmo combate. Esta questão será crucial para definir o ato final da história. De ponto negativo eu poderia ressaltar o fato de Damian ser apenas um adolescente de aproximadamente 13 anos e durante as cenas de luta receber golpes de pessoas que são 10 vezes maiores que ele sem, no entanto quaisquer prejuízos ao pequeno Robin. Acho isto importante já que estamos falando de uma animação que pretende atender à critérios adultos de narrativa.


O DVD da animação traz dois extras, uma prévia da animação Liga da Justiça vs Jovens Titãs e um trailer longo do filme Esquadrão Suicida. Liga da Justiça vs Jovens Titãs parece ser uma animação muito interessante dentro da linha cronológica de crescimento e amadurecimento de Damian, já o trailer de Esquadrão Suicida gera uma profunda tristeza, pois mostra o filme que ele deveria ter sido mas não foi, muito provavelmente por medo dos acionistas perderem dinheiro com a onda de ceticismo que havia na época fruto do filme Batman vs Superman. Caso consigamos esquecer do filme e nos concentremos apenas no trailer, podemos ver o quão interessante o filme era antes de ser amputado.


Caso você tenha assistido à Batman - Sangue Ruim, diga o que achou abaixo. 
É isso aí amigos!! Abcs!

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Acho que vai gostar viu!

      Depois me poste aqui o achou!!

      Abcs!!

      Marcelo

      Excluir
  2. Não assisti mas adorei sua postagem.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo Fabiano!

      Obrigado pela visita e comentário! Caso venha assistir acredito que vá gostar viu!!

      Gde. Abc. amigo!

      Marcelo

      Excluir
  3. A uma semana venho assistindo essas animações da DC, primeiro foi liga da Justiça vs jovens titáns e fiquei conhecendo o Jovem Damian Wayne.
    Gostei tanto desse novo Robin que resolvi assitir as outras animações para conhece-lo e não parei mais.
    São todas de muita qualidade e uma das coisas que achei mais legal foi ver a relação que existe entre Bruce Wayne, Dick Grayson e Alfred. achei uma animação bem madura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Adilson!!

      Puxa... Que legal que gostou. Olha... A DC tem um departamento de animações extremamente competente. Nesse quesito dá de 10 a 0 na Marvel.

      Nenhuma animação da DC me decepcionou até agora. É uma tradição acumulada desde as séries animadas de Batman e Superman dos anos 90.

      O Damian no começo era muito mimado e com um temperamento muito difícil. Mas ele foi treinado para ser assim. Este temperamento no entanto tem rendido ótimas histórias. Ainda mais agora que ele está passando por um processo de amadurecimento.

      Acredito que levará o legado de seu pai muito bem.

      Valeu mesmo Adilson!

      Gde. Abc.

      Marcelo

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados