terça-feira, 26 de julho de 2016

Miniatura DC Nº 22 - Espectro

Miniatura DC Nº 22 - Espectro

Espírito Vingador, Arauto da Vingança, Espírito da Ira de Deus, Martelo de Deus... Todos esses atributos estão à altura deste que é talvez um dos seres mais poderosos do Universo DC: O Espectro. Ele foi o responsável pela destruição de Sodoma e Gomorra, deixou o Faraó de joelhos matando todos os primogênitos do Egito permitindo assim a saída dos Israelitas em direção à Terra Prometida, destruiu as Muralhas de Jericó e Eclipsou o Sol em batalhas sangrentas no Antigo Testamento. Mas quem é este Ser de tamanho poder e que pode ser responsabilizado por tantos eventos históricos apocalípticos? Hoje desvendaremos juntos alguns aspectos desta enigmática figura cuja criação remonta à Era de Ouro dos Quadrinhos nos anos 40.

Miniatura DC Nº 22 - Espectro

Sua peça traz as características do Espectro original, mais comumente retratado nos Quadrinhos. Sua figura fantasmagórica apresenta-se como um misto de "monge", "anjo", "duende", "elfo" e porque não "Superherói". A peça lhe faz jus ao coloca-lo em uma posição de "julgamento", "ordenação" ou mesmo de indicação de "alguém" ou "algo". A musculatura é bem definida na peça. Sapatos e luvas estão bem modelados e destacam-se trazendo ao personagem um aspecto de "conto de fadas" fantasmagórico. O capuz forma (aparentemente) uma peça única com a capa que se unem de forma muito elegante ao redor do pescoço formando uma "gola" alta, presa por dois "botões". Este detalhe trazem ao Espectro um "ar" de antigo inquisidor da Igreja.

Miniatura DC Nº 22 - Espectro

A capa segue a mesma leveza observada em outros personagens da coleção que usam essa indumentária. Suas ondulações podem ser vistas e é interessante notar que a mão direita do personagem segura a face lateral da capa, o que provoca uma ondulação maior muito bem vista na foto de trás da peça. Este detalhe, junto com as demais ondulações promovem uma boa representação da capa como sendo algo tão etéreo quanto o personagem. E por falar em aspecto fantasmagórico, o tipo de "branco" usado como cor representou bem a aura ectoplásmica do Espectro, um branco que parece brilhar. Talvez o único detalhe que eu retiraria (e que Alex Ross foi muito feliz em retirar) seria o "shorts". Embora este acessório fosse mandatório na época em que o Espectro foi criado (1940), atualmente ele não seria necessário em um personagem com este enfoque místico. No entanto, entendo sua presença, uma vez que a Coleção DC de Miniaturas traz os personagens em suas apresentações clássicas.

Miniatura DC Nº 22 - Espectro

Mas quem é o Espectro? Bem... Talvez fosse melhor perguntarmos "O que" é o Espectro? A Força Espectro é uma força que representa a Ira de Deus sobre a Terra e existe desde os tempos imemoriais. Esta Ira tem um nome: Aztar. Aztar é o nome de um dos anjos caídos da rebelião de Lucífer que, após inúmeras tentativas de perdão por seus atos recebeu do Arcanjo Miguel uma incumbência: Aztar passaria a ser esta força de Ira de Deus sobre a Terra. A personalidade e memória de Aztar foram retiradas, sobrando apenas a Força Espectro. Esta força atuou no Antigo Testamento em momentos de juízo divino e, a partir do advento da Morte e Ressurreição de Cristo, passou a se fundir à um hospedeiro terreno (um homem) para servir-lhe como âncora moral. Ao longo das Eras diversos homens serviram de hospedeiros para esta força um que dia foi Aztar, até que na década de 30 surgiu um novo hospedeiro, o policial Jim Corrigan.

Miniatura DC Nº 22 - Espectro

Jim era filho de um abusivo pastor protestante que lhe maltratou quando criança. Por conta disso Corrigan desenvolveu uma aversão às coisas de Deus e uma ira contra toda injustiça. Infelizmente ele foi morto por um gangster e, no pós vida clamou por vingança, sendo então atendido pela Força Espectro que se fundiu à ele. Foi a personificação do Espectro em Jim Corrigan que atuou na 2ª Guerra Mundial e na Era de Ouro dos Quadrinhos ao lado do Grupo de Super-heróis Sociedade da Justiça da América e Comando Invencível. O Espectro teve um papel importante na vitória dos Aliados sobre Hitler, uma vez que o Führer obteve a Lança do Destino (a lança que perfurou a caixa torácica de Cristo durante sua crucificação). Este artefato de grande poder pôde ser vencido a partir da atuação mística do Espectro e de outros heróis, infligindo grande angústia às fileiras alemãs.

Miniatura DC Nº 22 - Espectro

Em tempos mais modernos o Espectro teve outro importante papel na Saga Crise nas Infinitas Terras, viajando até a aurora dos tempos para travar uma titânica batalha com o Antimonitor. Na Era pós-Crise na DC, finalmente Jim Corrigan encontraria a paz final para sua alma ao confrontar Deus na forma de seu abusivo pai. Corrigan consegue perdoar seu pai, e assim se desliga da Força Espectro e atinge a paz final. O escolhido para substitui-lo foi ninguém menos do que a alma de Hall Jordan (Lanterna Verde), que na época estava morto e sob o peso de suas atrocidades cometidas enquanto estava possuído (em vida) pela entidade maligna Paralax. Ao retornar como Espectro, Hall descobre que as terríveis coisas que havia cometido tinham sido culpa de Paralax e, em uma batalha envolvendo Hall Jordan, Paralax e a Força Espectro no plano espiritual, Paralax é derrotado e Hall reintegrado à vida.

Miniatura DC Nº 22 - Espectro

Após estes eventos, a Força Espectro se fundiria com o policial negro Crispus Allen de Gotham City e, até a Era Pré-Novos 52, era neste estado que ele vinha aparecendo. Para mim, no entanto eu destacaria 03 grande aparições do Espectro em duas mídias distintas. Primeiro a aparição do personagem na Obra-Prima de Alex Ross Reino do Amanhã. Na história, além de um papel decisivo, o Espectro é retratado em todo seu enigmático esplendor. Tal como um anjo, suas aparições geram no leitor uma percepção de transcendência perfeita e inigualável. As outras duas aparições do personagem que gostaria de destacar ocorreram em animações. O DVD Superman-Shazam - O Retorno de Black Adam é composto por 04 histórias sendo 01 delas dedicada ao Espectro/Jim Corrigan. Esta história é simplesmente a quintessência do personagem e todo fã da DC precisa assisti-la. Minha última dica é para que assistam ao 11º episódio da 2ª Temporada da Série Batman - Bravos e Destemidos denominado "Chill of the Night" (O Arrepio - tradução para o português da animação). O episódio traz Bruce Wayne/Batman sendo assolado pela influência vingativa do Espectro, que pede que a morte de seus pais seja vingada à qualquer custo, enquanto que outro personagem, O Vingador Fantasma tenta desesperadamente convencer Batman que o caminho correto não é o da vingança, e sim o da justiça. Incrível!!!

Miniatura DC Nº 22 - Espectro

Bem amigos... Este é o enigmático Espectro... um personagem repleto de mistérios e que poderia e deveria ser usado cada vez pela DC em Sagas Místicas. Ele é outro personagem que saiu da mente de Jerry Siegel (o criador do Superman) e para mim é um dos meus preferidos na DC!! Gde. Abc. à todos!!

7 comentários:

  1. Bom dia Marcelo!

    Como sou fã da Marvel e leio pouquíssimas coisas da DC, mais ligada aos medalhões e no passado lia Novos Titãs, desconheço totalmente este personagem, sequer o compraria, mas quando vi em uma banca não resisti, pois a miniatura é excelente (ganha de dez vezes do Bane), mas o que quero expressar é esta história tão complexa deste personagem que remonta até mesmo a fatos biblícos e te digo que este deve ser um dos motivos para não gostar da DC como gosto da Marvel, a DC tem muitos personagens ligados a religiões e com cada loucura, Gavião Negro e Sra. (para não citar outros) não consigo entender. Bom pelo menos com estas miniaturas e suas revistas estou conhecendo alguns e posso ratificar meu desinteresse por personagens da DC. Abraço Marcelo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Wellington!! Blz!?

      Gostei muito da miniatura também. Eu a achei enigmática e imponente, tal qual o personagem que representa.

      Vc toca em um ponto muito interessante. A cronologia DC. Realmente isso sempre foi um problema para a Editora que formulou muitas hipóteses para as origens de seus personagens ao longo do tempo. Isso acabou convergindo para inúmeras fases e linhas temporais. Esse problema também não tardará a chegar na Marvel que terá que lidar com o peso da Cronologia de seus heróis e vilões. Uma forma que a Marvel vem lidando com isso seria a atualização de cada um deles. Exemplo é o caso do Homem Aranha que agora é um industrial. Ou mesmo a nova Homem de Ferro.

      De qualquer meu grande sonho e ideia para resolver tudo isso seria criar selos distintos nos quais cada encarnação de determinado personagem pudesse ser trabalho.

      Explico:

      Se eu gosto do Homem-Aranha adolescente Peter Parker que ele fosse desenvolvido dentro deste selo "Era de Prata". Se gosto dos heróis da Era de Ouro, que existisse um selo para esse tipo de personagem. Se gosto dos heróis mais brutalizados como nos anos 80 e 90, podia-se criar um selo para isso.

      Esse tipo de abordagem permitiria que cada segmento de leitores se visse representado. Além, é claro, de trazer um diversificado lucro para empresa. As tiragens de cada segmento poderia estar adequada ao tamanho do público de cada nicho.

      Acho que isso seria muito mais interessante do que simplesmente desconsiderar determinada linha ou abordagem de um personagem que muitos gostavam e substitui-la por outra.

      Enfim... Digo isso como leitor das antigas que infelizmente encontra muito pouco do tipo de quadrinho que gostaria de ver hoje no mercado.

      Não é a toa que tanto material tem feito sucesso. Isso indica que há todo um segmento que sente falta de determinadas abordagens que foram abandonadas.

      Mas é isso...

      Gde. abc!!

      Marcelo.

      Excluir
  2. Perfeito seu comentário, Marcelo. Eu me sinto meio "enganado" enquanto leitor e consumidor diante de tantos reboots e mortes e ressurreições de heróis e vilões. Melhor seria separar os gêneros, ou épocas como você sugeriu. Eu, particularmente, sou leitor das histórias tradicionais da Marvel e algumas da DC, das décadas de 60, 70 e inicio dos anos 80, e também do selo MAX da Marvel, em que as histórias são voltadas para o público que gosta de histórias mais sombrias, violentas e que encontram eco na nossa realidade.

    Quem sabe algum dia as editoras se atentem pra isso e ao menos façam essa experiência para avaliar o mercado. Acredito que seria um sucesso.

    Um grande abraço e parabéns pelos seus posts sempre elucidativos, bem escritos e de altíssimo nível.

    João Luiz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo João!!

      Blz! Valeu pela presença e comentário!!

      É exatamente isso mesmo que vc colocou acima. Com o passar do tempo, nós fiéis leitores, vamos nos sentindo enganados diante da banalização de alguns expedientes usados constantemente pelas editoras. Dentre eles a questão das "mortes" e "ressurreições" é o que mais me desagrada. Algo que deveria ser grandioso foi se tornando corriqueiro.

      Minha época preferida é igual à sua. Anos 70 e 80 das HQs. Havia simplicidade, divertimento e ao mesmo tempo dramaticidade suficientes para nos prender muito. E quando eu revisito essas histórias de novo o sentimento ainda é o mesmo pra mim.

      Acho que essa ideia de criar universos que representassem essas diversas vertentes de cada época seria o máximo, pois atenderia a todos os gostos. Como coloquei acima, quem gostasse dos anos 70 teríamos todo um universo com aquela abordagem, quem gostasse dos heróis da Era de Ouro também teria todo um universo mais inocente e com aquela pegada... e por aí vai. Enfim... Seria um sonho.

      Valeu mesmo João. Espero tê-lo mais vezes por aqui!!

      Abção!

      Marcelo.

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Olá Marcelo...
    A forma como você fala dos personagens é um deleite a parte, até quando algum deles não tem muita relevância (o Espectro não é o caso..ele realmente é fantástico).
    Eu particularmente prefiro a DC e quando pretendo adquirir alguma miniatura da Marvel, venho aqui para ver seu design e saber um pouco mais sobre a história.
    Parabéns!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo Danilo!!

      Puxa! Fico muito contente e honrado com seu comentário. Valeu mesmo!! Coloco minhas palavras para refletirem o que sinto mesmo. Ou seja, a riqueza deste universo que guarda tantas histórias incríveis e que é habitado por personagens tão ricos.

      Obrigado mesmo!

      Agradeço muito suas visitas e espero receber outras tantas!!

      Quando puder sempre deixe aqui suas impressões. São muito bem vindas!

      Abração!!!

      Marcelo

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados