quarta-feira, 19 de junho de 2019

Coleção Príncipe Valente - Planeta DeAgostini - Guia de Lançamentos - Atualizado Novembro/2019!!

Nº 0 - Apresentação da Coleção; Nº 01 - 1937; Nº 02 - 1938; Nº 03 - 1939; Nº 04 - 1940; Nº 05 - 1941; Nº 06 - 1942; Nº 07 - 1943.

Chega ao Brasil uma coleção de um personagem icônico e extremamente importante no universo da narrativa gráfica. Rivalizando com grandes autores dos quadrinhos, Hal Foster, criador de Príncipe Valente, pode e deve receber merecidamente a alcunha de Mestre da 9ª Arte. Príncipe Valente teve suas tiras publicadas pela primeira vez em 1937 e, desde então, nunca parou, atravessando o século XX e adentrando o século XXI. Mas qual a magia deste personagem e destas histórias que permitiram com que esta obra se tornasse tão longeva? Por que diversos outros personagens, que foram criados nesta mesma Era de Ouro dos Quadrinhos (1938 à 1956), foram consumidos pelas areias do tempo e se tornaram anacrônicos? Particularmente eu mesmo não tinha essas respostas até bem pouco tempo. Talvez por um preconceito inato que eu tinha com personagens datados e "aparentemente" concebidos dentro de um contexto específico de tempo, nunca dei chance à Príncipe Valente. Pois eu não podia estar mais errado. Fiquei sabendo que a Planeta DeAgostini estava lançando esta coleção de Príncipe Valente que abrangerá todas suas histórias publicadas de 1937 à 2008 e pensei... Aí está uma chance de conhecê-lo.

Nº 08 - 1944; Nº 09 - 1945; Nº 10 - 1946; Nº 11 - 1947; Nº 12 - 1948; Nº 13 - 1949; Nº 14 - 1950; Nº 15 - 1951.

Minha surpresa veio logo no Nº 01 da coleção com as histórias publicadas ao longo de 1937. Longe de serem simplistas, as histórias são extremamente interessantes. A perspectiva histórica e cultural que Foster imprimiu ao contexto em que Valente vive (a Era Medieval), é perfeita e oferece, dentre outras coisas, uma densidade dramática ao protagonista que lhe permitiram ser tão longevo. Em seus preparativos para criar o personagem, Hal Foster mergulhou nas lendas e histórias Arturianas, mas não só isso, pesquisou hábitos de vida, concepções do homem da Idade Média e soube entender acima de tudo o Zeitgeist (Espírito do tempo) da época. Isto permitiu-lhe criar uma narrativa cheia de aspectos interessantes a serem descobertos. Além da envolvente história, o traço acadêmico de Foster é um show à parte. Cada quadro expõe cenas sobre as quais podemos ficar vários minutos debruçados contemplando-as. O leitor mais exigente não se decepcionará com cenários nos quais tudo é destrinchado, desde as roupas da época, mobília, apetrechos, armas, e até aparelhos que não temos a menor ideia para que servem mas que estão expostos nas paredes, sobre as mesas, sofás e camas de castelos, cabanas e casas.


Valente é um jovem Príncipe de um reino da Bretanha do Século IV que vê (ainda bem pequeno) seus pais e súditos serem expulsos de suas terras por um outro rei usurpador. O pai de Valente foge com sua mãe, filho e fiéis súditos para outras terras onde também não são bem vindos, sendo necessário lutarem para que consigam o direito de habitar uma região pantanosa da Bretanha. Isto que acabei de contar é na verdade a primeira e segunda página do encadernado Nº 01 de 1937. Tudo se desenrola a partir daí. Hal Foster ambienta esta história na mesma época em que o Rei Arthur e sua corte de nobres guerreiros da Távola Redonda estavam constituídos e em plena atividade. O leitor acompanhará então os primeiros anos de Valente crescendo e buscando uma identidade própria na corte de Arthur. Sempre imaginei que toda essa história seria um pouco maçante e pouco atrativa. Ledo engano. A narrativa é envolvente e mistura realidade, ficção, aventura e romance com uma pitada muito suave de magia, ou pelo menos parece magia, uma vez que o homem medieval era indissociável de crenças antigas, e fica difícil saber se é magia ou apenas um encadeamento de acontecimentos que acabam por confluir em estranhos e diferentes desfechos.


Ainda há muito o que escrever sobre Príncipe Valente agora que o descobri. Este post, no entanto, visa trazer uma forma de acompanhar o andamento dos lançamentos da coleção à semelhança de outros posts já tradicionais aqui do Blog. A Planeta DeAgostini promete lançar praticamente tudo do personagem, contemplando o que saiu de 1937 até 2008 (aparentemente cada volume correspondendo à 01 ano de tiras). As tiras foram, com diz no site, restauradas com as cores das edições que saíram nos jornais norte-americanos. Leitores mais recentes, ou até mesmo os mais antigos, estranharão a opção narrativa de Foster ao colocar a narrativa não em "balões", mas no rodapé ou no alto de cada quadro. Ao final da primeira ou segunda página eu já estava tão envolvido pela história que já tinha a ideia de que esta era a escolha perfeita.

É isso aí amigos. Em breve novos posts sobre os encadernados e curiosidades acerca deste incrível universo de Príncipe Valente.

4 comentários:

  1. Sem dúvida, a melhor publicação de 2019. Com muito pesar, eu não vou fazê-la. Tão somente pela periodicidade, pois a partir da 20º edição será semanal. Mas seria um grande sonho ter essa coelção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo!

      Realmente um marco no Brasil esta publicação. Obrigado pela presença no Blog. Desculpe a demora em responder.

      Apareça sempre!

      Marcelo

      Excluir
  2. Pena que só pude comprar os três primeiros....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é amigo... Realmente é mais uma coleção relativamente cara. Espero que depois consiga mais volumes!!

      Forte abraço e obrigado pela visita!!

      Marcelo

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados