quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Ponto de Ignição - O Filme Animado


Há algum tempo eu vinha planejando abrir um novo tópico aqui no Blog onde pudesse falar especificamente de algumas animações com as quais venho tendo contato. Ao assistir ao filme animado Liga da Justiça - Ponto de Ignição (Justice League - The Flashpoint Paradox - 2013) tive a certeza de que era a hora de abrir o assunto. É consenso geral de que a DC vem produzindo animações muito boas, porém Ponto de Ignição foi para mim uma surpresa incrível no que diz respeito à qualidade do roteiro, diálogos, desenvolvimento dos personagens e sobretudo em função da abordagem ousada dos tradicionais ícones da editora. A presente matéria se propõe a comentar (sem spoilers) um pouco sobre essa minha agradável surpresa!


Ponto de Ignição foi um arco de histórias de Geoff Johns e Andy Kubert através do qual a DC encerrou seu universo na fase Pré-Reboot há cerca de dois anos nos EUA. Não li esse arco por diversas razões, mas a principal foi a percepção de que era apenas uma "história de ocasião". Dessa forma não posso opinar sobre a história impressa mas, a forma como ela foi transposta para filme ficou excelente. O centro de tudo é a perda que Barry Allen (O Flash)  experimentou em sua adolescência com a morte de sua mãe. A animação começa em uma linda cena entre mãe e filho na qual Barry ouve palavras que ficarão gravadas para sempre em sua vida. Já adulto, com poderes e obrigações Super-Heroísticas, Allen sucumbe ao desejo de fazer o que muitos de nós em algum momento já pensamos em fazer: alterar o passado.


A história toda se passa então em uma linha temporal alterada por esse ato. A grande qualidade da animação é o desenvolvimento dos Super-Heróis, dentre eles Batman, não mais Bruce Wayne, mas sim seu pai, Thomas Wayne, um homem que sucumbiu à dor da perda do filho. Aquaman, um imperador altivo e prepotente. Superman, um personagem totalmente diferente daquele das histórias tradicionais (que não posso escrever porque para não estragar). Ciborgue, o único que carrega traços do seu correspondente em nossa realidade. Lanterna Verde, que possui uma participação diferente no contexto geral. E aquela que na minha opinião foi também muito bem trabalhada, Mulher-Maravilha. Essa foi uma das poucas histórias em que a Amazona é realmente retratada como uma guerreira, bem diferente da personagem domesticada que conhecemos. Os autores chegaram no âmago da heroína, que em minha opinião nunca acertou de forma precisa sua personalidade nas HQs e demais mídias. É nesse contexto que o Flash (da nossa realidade) é inserido.


Outra atração é o aparecimento de diversos outros personagens (Lex Luthor, Exterminador, Lois Lane, Bandoleiro). Pontos positivos são também as cenas de lutas, bem coreografadas e críveis. A dinâmica da história também ajuda, com mudanças de cenas que passam a sensação de estarmos assistindo à um filme em que você precisa prestar muita atenção, pois há muitos diálogos que não acontecem. Muito está  implícito nas reações dos personagens.


O traço dos desenhos obedecem ao estilo "Mangá", algo que eu não gosto muito. Este era aliás minha ressalva para assisti-lo. No entanto, já havia me surpreendido com outra animação da DC com esse tipo de traço (Batman - O Cavaleiro de Gotham). Apesar do estilo do desenho não me agradar fui logo envolvido pela história e essa minha ressalva foi logo esquecida.


A carga dramática é bem dosada e faz com que todos os personagens envolvidos apresentem-se como indivíduos com motivações, traumas e interesses reais. Pela primeira vez tive a impressão de ter visto algo na DC que me lembrou o que presenciamos na Marvel nos primeiros arcos de "Os Supremos", os Vingadores do Universo Ultimate da Marvel. Personagens que vão às últimas consequências ao agir conforme sua visão de mundo. Aliás, Flashpoint Paradox bem que poderia servir como piloto para uma nova série de animação da Liga da Justiça sob esse prisma.


Deixo aqui essa minha dica e inauguro um novo marcador aqui no Blog: Animações. Um grande abraço à todos!

14 comentários:

  1. Ótimo texto sobre essa obra!

    Tive a oportunidade de assistir essa animação há alguns dias, e taé fiz um post relacionado a mesma.

    Concordo com tudo que você disse. É uma animação de extrema qualidade, com um roteiro bem feito.
    Eu li a saga nos quadrinhos, não foi nada demais, mas ainda assim me divertiu, pois tem coisas bem interessantes que os caras conseguiram reinventar.

    Se você puder um dia, leia Batman: O Cavaleiro da Vingança, é escrito pelo Brian Azzarello e arte do Eduardo Risso. É muita boa, é uma saga em 3 partes de uma aventura do Thomas Wayne. Eu curti demais.

    É isso Marcelo, grande abraço e até mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu André... Obrigado.

      Fui até lá checar o seu post (acho que deixei passar esse lá no seu blog)

      http://umvortice.blogspot.com.br/2013/07/liga-da-justica-ponto-de-ignicao.html

      Parabéns também!

      Fiquei até com vontade de ler a História nos quadrinhos, embora a maioria das pessoas que conheço que leram falaram a mesma coisa que vc.

      Cara... Essa "Batman: O Cavaleiro da Vingança" eu não conheço, vou atrás sim. Thomas Wayne me surpreendeu pelo fato de cruzar certas linhas que Bruce Wayne não cruza. Fora isso ele é mais velho e inspira uma sabedoria brutal rara nos quadrinhos!

      Valeu mesmo pela dica André! Hoje mesmo sairei à caça dessa HQ.

      Abção!

      Marcelo.

      Excluir
  2. Boa noite, Marcelo!

    Esta foi uma ótima escolha para inaugurar o tópico sobre animações aqui no blog. Você destacou tão bem todos os aspectos do filme que não sobrou muita coisa para comentar. Rs rs

    De todos os heróis que tiveram seus destinos alterados, os que mais me surpreenderam foram Mulher Maravilha e Super-Homem. Também não vou contar sobre ele para não estragar a surpresa.

    Foi uma grande sacada escolherem "The Serenity Prayer", da autoria de Reinhold Niebuhr, para a cena inicial do filme. Eu, particularmente, gosto muito desta oração, e passei a gostar muito mais depois de ter sido musicada por India.Arie para introdução de seu terceiro disco, "Testimony: Vol. 1, Life & Relationship".

    Se quiser conferir, segue o link: http://goo.gl/olPGxV

    Grande Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Moisa! Tudo bem amigo!?

      Pois é... Uma animação que eu daria nota 9 ou 10! rs rs

      A mudança no destino dos personagens nos causa uma estranheza que nos surpreende e ao mesmo tempo nos atrai! É um paradoxo! (Desculpe o trocadilho! rs rs)

      Mulher-Maravilha realmente se comportou como guerreira. Dá pra percebermos que a mente dela é em BRANCO e PRETO, ou seja, SIM e NÃO, GOSTA ou NÃO GOSTA. Ou seja, primal. Eu nunca tinha visto isso ser explorado nela. O Mundo pra ela se explica na ponta de uma espada. É assim que ela resolve conflitos físicos e emocionais.

      AH sim! Em relação à oração eu disse: "Não! Para tudo! A coisa parece que vai ser boa!". A oração realmente teve tudo a ver com o dilema do Flash em relação à morte da mãe. Achei uma inserção elegante e brilhante.

      Valeu mesmo pela dica da India Arie. Estou gostando cada vez mais dela. Vou conferir essa música no link!

      Gde. Abc. Moisa!

      Marcelo.

      Excluir
  3. Fala Marcelo,blza??!!

    Cara eu assisti o filme e achei massa demais...e também concordo com você em relação a Mulher Maravilha e o Aquaman...gostei mais ainda do Aquaman pois a maioria das pessoas o tem como um cara fraco, que não sabe muito o que fazer!!

    Abraço!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí Alexandre! Blz!?

      Concordo em relação ao Aquaman também. Ele lembrou até um pouco o Namor, mas bem melhor que esse Namor que temos visto nas histórias atuais.

      Esse Aquaman e essa Mulher-Maravilha dariam ótimas histórias. Até comentei com o Moisa acima que essa Mulher-Maravilha da animação possui uma mente primal, que resolve tudo na ponta de uma espada, ou seja conflitos físicos e emocionais. Uma mente em PRETO e BRANCO.

      O Batman e Superman conseguiram surpreender também, e além disso os autores não tiveram dó de sacrificar a participação do Lanterna Verde.

      Enfim... Recomendo muito!

      Abção Alexandre! Valeu.

      Marcelo.

      Excluir
  4. Olá Marcelo,

    Não li a mini-série pelo mesmo motivo que o seu (mais uma crise????) hehehehe...

    Mas fiquei interessado na animação depois de ler sua opinião aqui... E pelo trailer acredito que vou gostar...

    Obrigado pelo compartilhamento e parabéns ao novo tópico de animação, será muito interessante...

    Grande abraço,

    Daniel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Daniel...

      Tudo bem? Valeu pelo comentário amigo. Assista sim, depois me conte. A história impressa eu realmente pensei: "PUTZ... Deve ser aquela história enrolada, difícil de entender e oportunista".

      Depois da animação até fiquei com vontade de dar uma conferida na HQ. Porém tenho certeza que essa animação é melhor.

      Em relação ao Tópico ANIMAÇÂO eu resolvi abri-lo porque a gente assiste muita coisa legal que é interessante compartilhar. Isso dá uma filtrada pra gente em muita coisa ruim. Por isso que gosto de ler a opinião dos amigos, pois nos livra de muita coisa ruim!

      Gde. Abc. Daniel!

      Marcelo.

      Excluir
  5. Parece ser sensacional, vou assistir assim que possível.

    Valeu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assista sim Carlos.

      Vou querer saber tua opinião depois, que me parece ser bem criteriosa.

      Abc!

      Marcelo.

      Excluir
  6. Querido Marcelo!
    Ótima postagem, gostei de te ler!
    Seu blog é muito bom e agora será enriquecido
    com esse novo tópico.
    Abraços! Um final de semana abençoado
    e feliz para você e a Lícia.

    Fique a vontade para postar o vídeo
    lá no meu cantinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mãe...

      Legal que tenha gostado da postagem.

      Já postei o vídeo com a música do MPB4 lá no seu blog! Dê uma olhada e veja se gostou!

      Gde. Abc.

      Marcelo.

      Excluir
  7. Muito BOM!! Assim que vi o post fui assistir!
    Adorei mesmo! Como comentado "os personagens vão as últimas consequências para realizarem aquilo que o contexto lhes permitem acreditar"

    Impressionante as visões reais desta nova realidade.. o Superman então? Tudo muito bem fundamentado e factível de acontecer!

    Passei aqui pra deixar o meu abraço e um bom final de semana,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa que legal que você gostou Denis!!

      A gente sempre fica contente quando outro compartilha a mesma opinião a respeito de algo, não é mesmo? rs rs

      Você coloca bem, os personagens vão mesmo às últimas consequências dentro daquilo que acreditam. Chamou-me a atenção os caras não terem dó de sacrificar a participação maior desse ou daquele personagem dentro da animação, ou seja, deixaram todos em pé de igualdade. Aliás, personagens nem tão "medalhões" da DC tem mais destaque na história, caso do Aquaman por exemplo.

      Valeu Denis... Quem sabe um dia a gente não organiza uma reunião de amigos para discutir essas coisas!

      Abc!

      Marcelo.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados