domingo, 28 de outubro de 2012

007 - Operação SkyFall


Amigos... Ontem fui assistir 007 - Operação SkyFall. O filme possui os trê elementos que vem acompanhando a franquia desde 1962 (ano do lançamento do 1º "007") e que possivelmente sejam os responsáveis pelo seu sucesso, a saber: cenas de ação e de grandes perseguições; artefatos eletrônicos; e mulheres fatais. Daniel Craig é, em minha opinião, um dos melhores atores a interpretar James Bond, inclusive melhor que Sean Connery, que estaria em 2º lugar para mim. Vou tentar explicar porque. Bond é um espião altamente qualificado do serviço secreto Britânico, o MI-6. Como tal recebeu treinamento que apenas algumas tropas de elite no mundo receberam, sendo assim sempre achei que não combinava com o personagem aquele genero almofadinha e por vezes requintado demais para alguém com seu seu nível de treinamento. Craig conseguiu construir um 007 mais violento, sério e mais adequado ao tipo de serviço para o qual ele é especializado. É claro que temos que levar em conta dois aspectos: 1º - O fato de que o tipo de "007" do passado tinha muito a ver com atender ao tipo de público de antigamente, que queria ver um pouco mais de fantasia e piadas durante a ação do que o público de hoje. Em 2º lugar, e que provavelmente explica o primeiro, temos o fato de "Trilogia Bourne" de Matt Damon ter influenciado todos os últimos filmes de espionagem dos últimos anos, o que eu acho um tremendo avanço na verossimilhança desse tipo de filme.


Voltando ao filme eu diria que ele funciona bem e eu gostei. Gostaria de trazer alguns destaques. Em 1º lugar a Música principal: SkyFall, interpretada por Adele. Já tinha ouvido a Adele cantar, mas até agora para mim a voz dela era comum. Percebam como nossa música atual é menos grandiosa do que a do passado, inviabilizando que vozes de grandes cantores (as) atinjam todo seu potencial. SkyFall de Adele é literalmente um bólido que nos atinge no coração. A voz da mulher deixa uma atmosfera de "peso", certa angústia e dá o tom do filme, ou seja, feridas antigas mal curadas. Não é à toa que Daniel Craig chorou ao ouvi-la pela 1ª vez. Após uma sequencia inicial de uma perseguição de tirar o fôlego a abertura oficial do filme inicia-se com essa música. Para mim foi uma das aberturas mais bonitas que já ví. Provavelmente por causa da música, que faz com que as imagens da abertura ganhem um novo sentido. Não deixem de ouvi-la, conheçam a letra da música também pois ela fala muito da temática do filme.

Adele - Ao melhor estilo "Bond Girl" dos anos 60

Um aspecto que também achei interessante foi terem abordado um James Bond que já começa a sofrer com o fato de começar a ficar ultrapassado em função de sua idade (o que possivelmente é uma dica dos produtores de que Daniel Craig não será o próximo Bond). Como um Buldogue Velho o James Bond de SkyFall se vê diante de desafios maiores do que aqueles que seu físico podem superar. Aliás, o James Bond de Craig foi trazido para a esfera mais humana, pois foi espancado e torturado mais vezes que os demais. Acho que quiseram mostrar que ele é um agente secreto que não é imune à isso.


Javier Barden aparece com um estranho cabelo branco, como se fosse um tipo de "albino". O cara manda bem pra caramba. Ele é um ótimo ator e sua intepretação do vilão deste filme é muito boa. As Bond-Grils aparecem também mas não constituem-se no foco central, como sempre foi pelo que me lembro.


Minha única crítica: Sam Mendes (de Beleza Americana) é um ótimo diretor, e você percebe seu pulso firme ao não deixar a narrativa cair, porém a sequencia final do filme pareceu-me inverossímel em função de que nessa trama, o MI-6 lidava com algo que envolvia a segurança nacional da Inglaterra. Em sendo assim a sequencia final coloca Bond em embate praticamente sozinho com o vilão em uma situação de isolamento, algo que dificilmente aconteceria em um mundo globalizado e cheio de GPSs, satélites e sistemas de monitorização e localização como é o nosso. Tirando esse deslize, ou melhor, talvez "licença narrativa" de Sam Mendes, o saldo na minha opinião é bem positivo. Daniel Craig deixará saudades e sinto que se despeça do papel dentro em breve (pelo menos parece, posso estar enganado). Mas há rumores de que o próximo ator a interpretar o 007 seja negro, mais especificamente Idris Elba. Idris é conhecido de todos nós por interpretar "Heimdal" no filme Thor e um violento padre no filme "Motoqueiro Fantasma II" ao lado de Nicholas Cage. Eu gosto bastante desse ator, acho que ele manda bem pra caramba.


007 - Operação SkyFall é um bom filme e, na minha opinião, faz jus à tradição de seus antecessores. Abc a todos.

8 comentários:

  1. Hummmmm..... talvez eu seja a pessoa mais inadequada a dar um comentário sobre essa franquia porque eu simplesmente não tive oportunidade de assistir 007. Lembro de ter visto um e outro, mas nem sei mais quais são.

    Do que você escreveu, posso dizer que tenho apreciado muito o trabalho de ADELE. Infelizmente, a maioria desses artistas surgem bem, nos impressionam e depois vão decaindo em qualidade e não sei bem se isso é culpa do próprio cantor ou se é a gravadora que fica cansada de investir pesado. Só sei que ADELE é a coqueluche do momento. O que será daqui há um ano ou dois? Não sei. Espero que ela se mantenha. Dos trabalhos dela que ouvi, gostei muito.

    Quanto a um retrato de um BOND mais velho e sentindo o peso do tempo, acho que já passou na hora de retratarem isso, né? rsrsrs... Não que fosse realmente necessário, mas é legal de repente encontrarmos algo mais realista de vez em quando.

    É muito bom quando vamos ao cinema e o filme cumpre bem com seu papel. Imagino que você ficou muito satisfeito. Eu raramente vou ao cinema, mas quando vou é porque percebo que o filme vai mesmo me proporcionar alguns instantes de prazer e alegria. Dificilmente eu me decepciono.

    Abraços. Fabiano Caldeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fabiano!

      Então... Em relação à música percebo que hoje os cantores (as) ou mesmo outros artistas não conseguem se firmar. Há muita oferta de gêneros e de artistas, ficou difícil do povo filtrar. Acho que a música hoje é de menor qualidade do que as de antigamente, sendo assim penso que muitos talentos não são tão bem expressos. Veja o caso da Adele... Essa música que ela canta nesse filme é de uma "sepa" antiga, lembra muito aquelas dos anos 60. Ela pôde mostrar bem mais sua voz. Hoje realmente tudo tem durado muito pouco.

      Mas uma coisa é certa: O Velho teste do "Tempo" continua valendo. Ou seja, se determinada música ou filme ou HQ sobrevive ao tempo, possivelmente é um clássico.

      Caso você assista esse filme me fale depois o que achou!!

      Gde. Abc.

      Marcelo.!

      Excluir
  2. Parece que há um certo receio em se dizer que Daniel Craig é o melhor 007 do Cinema. Tb acho que o seja. Muita gente acha. Mas quase todos fazem uma ressalva quanto a Sean Connery, como se este tivesse obtido uma "imunidade" para, sempre, ser lembrado como o melhor no papel. Talvez pelo fato dele ter sido primeiro, acho. E, também, em razão de ser um grande ator, consagrado pelo conjunto da obra.

    Estou com muita vontade de ver esse filme. Achei Quantum of Solace "meio boca" e queria uma "reparação" por aquilo.

    Acredito que Sam Mendes pode ter conseguido dar um aspecto mais "pé no chão" à trama, com sua visão.

    Acerca do 007 negro, espero que isso seja uma opção natural, e não apenas algo forçado, apenas para chamar atenção e fazer média com o politicamente correto. Fico com receio dessas coisas. Pode ser como fazer um filme sobre Zumbi dos Palmares e contratar um branco para o papel. Ando cismado com essas coisas...

    Bons comentários sobre o filme, Marcelo.

    Abç!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kleiton. Beleza?

      Gosto bastante do Sam Mendes. Acho que ele fez um bom trabalho nesse filme. Cassino Royale é melhor que Quantum of Solace mesmo. Mas nesse eu acho que ele põe a franquia nos trilhos. Acho que em relação ao Sean Connery há um certo saudosismo em torno de sua pessoa. Considero-o um grande ator também, mas acho que essa coisa do espírito do tempo tem a ver com o fato de atualmente muitos preferirem o Daniel Craig, creio que ele expressa mais o espírito de nossa época. Isso funcionaria o inverso também... Caso SkyFall fosse passado nos anos 60 possivelmente o pessoal não entenderia muito e preferiria o Sean Connery.

      Quanto à entrada de um 007 negro eu concordo plenamente com vc! Acho que se tem que colocar um 007 negro, nipônico, indígena, mameluco... que o façam por qualquer outro motivo que não seja por "pena" ou simplesmente para parecerem policamente corretos. Estou cansado disso também!!

      Valeu Kleiton!

      Gde. Abc. Marcelo.

      Excluir
  3. Bem, espero q desta vez tenham acertado mesmo com esse filme...

    pois confesso q não gostei dos 2 anteriores (e não os incluo nem entre os TOP 10 da série)!!!

    mas aí vai do gosto de cada fã de 007 mesmo... cada um tem seus filmes preferidos e os atores q acha melhores no papel. Pra mim, o Craig é um bom ator, mas continuo não o achando adequado pra esse personagem (por melhor q venha a ser esse filme)!!!

    enfim.... só acho mto cedo pra já estarem pensando em trocar de novo o ator. quié isso, no 3º filme o cara já tá se achando "velho" na trama, sendo q sua 1º missão foi em "Cassino Royale"? peraí tbm, né?

    se continuarem nesse vibe... vão acabar escolhendo um moleque de 20 anos pro papel!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí Léo! Blz?

      Eu também acho que é cedo para substitui-lo. Lí que a MGM andava mal das pernas e que todos os personagens licenciados por ela estavam em baixa de popularidade. Esse filme é uma grande aposta da MGM para que ela fique mais tranquila. Caso ele faça muito sucesso pode ser que eles não arrisquem essa mudança de ator, assim garantem mais alguns milhões de dólares. Agora... se o filme não for bem pode ser que eles mudem sim. Vamos ver.

      Quanto à questão das preferências sobre o melhor Bond, acho isso muito interessante, ou seja, essa coisa do gosto. Acho altamente plausível uma pessoa gostar de algo e outra não gostar. Penso que isso é coerente porque as experiências de vida de cada um vão moldando nossa personalidade de maneira distinta, assim uma mesma coisa pode ser percebida de formas diferentes por outro. De qualquer forma esse é um filme que acho que todos devem dar uma espiada em algum momento. Pode ser em DVD depois pois não há nenhuma cena específica que deve ser apreciada exclusivamente no cinema.

      Valeu Léo!

      Gde. Abc. Marcelo.

      Excluir
  4. Oi Marcelo, cada coisa no seu tempo. Li atentamente sua postagem e fazendo uma reflexão de tudo o que a gente já observou de 007 ao longo dos anos dá para contextualizar o personagem. Um agente secreto como James Bond não pode parar no tempo, precisa estar em constante evolução para dar verossimilhança e tornar-se crível. Cada tempo com seu Bond, e pelo que depreende-se da matéria, o tempo de Craig está passando. Provavelmente o próximo ator deverá representar os anseios de uma nova geração de fãs conectados, plugados e altamente globalizados. Se isso é bom? Não sei... cada geração cria e valoriza seus próprios ídolos. Eu que beiro os 50 anos fico com Sean Connery que foi o melhor ator a representar James Bond em minha juventude. Acredito que no futuro este personagem continuará evoluindo e talvez se torne irreconhecível para os primeiros fãs, mas o carisma continuará cada qual com seu tempo e sua geração. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paulo!! Tudo bem?!

      Legal seu comentário. Penso muito sobre esse tema que vc aborda, ou seja, o "Espírito do Tempo". Existem personagens que fizeram sucesso no passado por catalizarem os sentimentos e emoções de uma Era. Alguns personagens vão sendo atualizados para os anseios e sentimentos das novas gerações. Aqueles que não recebem essa atualização vão ficando no passado de maneira que à vezes é até difícil de entender como determinado personagem fez tanto sucesso antigamente. É que não podemos analisa-lo sob a ótica do nosso tempo mas sob a ótica daquela determinada fase da história.

      Por isso acabo tendo que concordar com a frase que diz que "não existe leitura imparcial da História da Humanidade", pois ao olharmos para eventos do passado temos a tendência de analisa-lo sob a nossa perspectiva, que sempre virá carregada de pensamentos e sentimentos de nossa Era. Acho estranho por exemplo quando assisto à filmes de Época (tipo filmes que retratam séculos passados) nos quais aparecem atores com gírias e comportamentos presentes em nossa época atual. Filmes assim podem ser bons divertimentos, mas estão longe de serem sérios. Eu até gosto deles, mas temos que admitir que são leituras contaminadas dos eventos passados.

      Os filmes do James Bond podem ser analisados sob essa premissa, ou seja, os antigos Bonds sintetizavam anseios passados, daí parecerem estranhos à nós. Anaslisando o Daniel Craig isolado dos outros creio que ele sintetiza vários aspectos do nosso tempo. Creio que essa atualização do personagem é o que garantirá sua longevidade.

      Valeu Paulo! Gde. Abc.

      Marcelo.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados