domingo, 20 de julho de 2014

A Saga Fundação - Parte V: FUNDAÇÃO E TERRA


Nessa série de matérias sobre a Saga da Fundação de Isaac Asimov, abordei seus livros em ordem cronológica de escrita e lançamento, a saber: Fundação, Fundação e Império, Segunda Fundação e Limites da Fundação. Como já comentado anteriormente, os 03 primeiros livros foram lançados no início da década de 50 (1952) para, apenas 30 anos depois serem continuados em Limites da Fundação (1982). Após o grande sucesso desta continuação o autor decidiu dar prosseguimento a sua Epopeia Cósmica com livro Fundação e Terra de 1986. O livro termina a saga simplesmente porque Isaac Asimov não viveria para dar continuidade além deste ponto, embora em muitas entrevistas antes de sua morte ele tenha comentado sobre a imensa possibilidade de continuação que esse Universo Mitológico permitia. Após o lançamento de Fundação e Terra, Isaac Asimov lançaria mais dois livros sobre o Universo da Fundação (Prelúdio à Fundação (1988) e Origens da Fundação (1992)), porém tais livros dão conta de eventos anteriores ao 1º (Fundação de 1952). Nessa matéria veremos alguns importantes fatos abordados em Fundação e Terra.


A história da Fundação se passa milhares de ano no futuro, onde a humanidade colonizou a Via Láctea e erigiu um imenso e controlador Império Gláctico. No entanto, o matemático Hari Seldon postulou diversas equações através das quais conseguiu prever com grande acerto probabilístico o movimento das massas humanas no futuro baseando-se nos comportamentos pregressos dos seres humanos. Com uma amostragem estatística imensa, Seldon estabeleceu assim sua Psico-história. Uma ciência capaz de projetar (matematicamente) o futuro. Assim, o brilhante matemático prevê a derrocada do império e estabelece nos confins da Galáxia duas Fundações. Agrupamentos humanos que passariam (incólumes) pelo esfacelamento do Império, constituindo-se nos embriões de uma nova onda de colonização. Uma nova onda civilizatória, mais responsável, menos arbitrária e menos gananciosa. Os livros anteriores desta saga mostraram como o matemático estabeleceu tais Fundações, constituindo-se em um grande registro social, político e humano escrito por Asimov.


Após os eventos narrados em Limites da Fundação, o leitor percebe, no entanto que o plano envolvendo o futuro da Galáxia transcende as projeções matemáticas de Hari Seldon, e que um outro Plano se desenrola para tornar a Galáxia em algo maior que uma simples morada de seres humanos!! Parte desse mistério pode estar escondido nas névoas dos tempos passados. Nas antigas lendas que sugerem que talvez tenha existido um Planeta original de onde toda a raça humana tenha se originado. Um planeta perdido que ninguém mais sabe onde se localiza, mas que pode encerrar os segredos para o futuro da Via Láctea. Um planeta descrito nos escritos antigos e perdidos apenas com um nome: TERRA. Assim, 03 personagens diferentes, um jovem político com passado militar, um historiador e uma estranha moça proveniente do Planeta Gaia se juntam numa busca pelos confins do espaço na tentativa de encontrar o mitológico Planeta Original. Com uma narrativa envolvendo conceitos políticos, científicos e intuitivos, Isaac Asimov constrói um livro que aguça a mente do leitor que aprecia a fantasia de um futuro em que o homem consegue transcender a si próprio.


Refazendo a possível trajetória da colonização humana, os 03 integrantes da nave Estrela Distante visitam mundos estranhos e cheios de reminiscências. Uma história ao melhor estilo da Série Clássica de Jornada nas Estrelas (Star Trek), em que o inexplorado é ao mesmo tempo antigo e novo, passado e futuro, escondidos no mesmo lugar. A Saga da Fundação tem seu fim com esse livro. Asimov, no entanto fez um trabalho de mestre ao final de sua vida, unificando todos os seus livros de ficção científica dentro do Universo da Fundação. Assim, livros clássicos como Eu, Robô, Cavernas de Aço e o Fim da Eternidade, podem ser lidos e contextualizados dentro do Universo da Fundação.

Isaac Asimov

Sem dúvida nenhuma Fundação e Terra expande mais ainda as ideias iniciais dos primeiros livros e conduz o leitor aos confins do futuro. Ou seria do passado?

Dentro em breve farei as matérias envolvendo os dois últimos livros escritos por Asimov dentro da Saga da Fundação: Prelúdio à Fundação e Origens da Fundação, esse último com previsão de lançamento pela Editora Aleph para Agosto de 2014.

Um grande abraço à todos!!

10 comentários:

  1. É impressionante como você tem o dom de despertar a minha atenção para coisas que eu nunca pensei que existisse. Se eu visse esse livro por aí, dando sopa, talvez eu nem faria a menor ideia de como seria bom conhecê-lo. Agora que li seu relato, fiquei curioso.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo Fabiano!!! Tudo bem?

      Que bom ver seu comentário por aqui!!

      Poxa... Fico honrado de ter despertado seu interesse. A Saga da Fundação é uma saga cósmica que ganhou prêmio de Melhor Obra de Ficção e Fantasia de todos os tempos em 1966. Concorrendo com alguns pesos pesados como "O Senhor dos Anéis" por exemplo. O estúdio New Line esteve entre essa obra e O Senhor dos Anéis antes de iniciar as gravações da trilogia de Peter Jackson.

      Mas para além das questões ficcionais que existem na série, há um grande embasamento científico por trás dela. Dentre eles há a premissa central que acho fantástica, ou seja:

      Assim como é IMPOSSÍVEL prever a trajetória de uma única molécula de um determinado gás, é também impossível prever o comportamento de um único indivíduo. No entanto, quando milhares de moléculas formam o gás, é possível sim prever o comportamento desse gás dentro de um ambiente conhecido. De igual modo seria possível então prever o comportamento de trilhões de pessoas desde que essa previsão estivesse ancorada em equações matemáticas e comportamentos pregressos.

      Assim, mantendo-se constante determinados elementos tais como, Guerras, Epidemias, Convulsões Sociais, Ascensões e Quedas de Impérios... seria possível formular teoremas matemáticos que possibilitasse a previsão do comportamento de uma determinada sociedade com grande margem de acerto probabilístico.

      Algo fantástico ao ser aplicada em escala global. Seria a humanidade aprendendo com os próprios erros.

      Valeu mesmo Fabiano!!

      Grande Abraço!!

      Marcelo.

      Excluir
    2. Ultimamente venho pensado muito nessa história de multiverso e alguma forma de vida inteligente fora da Terra. Acho que é um certo inconformismo como estou vendo as pessoas viverem aqui onde moro, sempre regadas a drogas, bagunça, irresponsabilidade total e falta de respeito para com os outros moradores. Então fico pensando que merda de vida é essa que fez com que eu ficasse no meio de um monte de gente doida que só pensa em ligar o som no último volume e se entupir de droga. A vida não pode ser só isso. Eu creio em algo, uma força maior que ainda comanda vários outros tipos de vida universo afora. Preciso acreditar nisso, senão é melhor dar um tiro minha na cabeça.

      Abraços.

      Excluir
    3. Olá Fabiano...

      Entendo muito esse seu sentimento. Esse tipo de coisa me irrita profundamente também. Meu sogro está lendo um livro que se chama "A Grande Ruptura". Escrito por um cientista ele mostra que a inércia social, comportamental e política de nosso planeta não dará conta de resolver as importantes e urgentes questões em nosso mundo. Portanto, estaríamos nos aproximando (como espécie) de uma grande ruptura climática e/ou social e/ou econômica e/ou comportamental em que possivelmente a humanidade seria visitada pela tragédia em escala global. Acredito que isso é bem possível pois, se olharmos nossos pilares de sustentação social (sistemas políticos, econômicos e sociais) já não dão conta de responder às demandas de nosso tempo.

      O autor passa então a dizer que muito provavelmente, depois dessa ruptura, a humanidade tentaria (aí sim), construir suas bases sobre algo que não seja o "dinheiro", a "ganância" e a "satisfação individual".

      Acho que isso que você comenta acima é apenas um dos sintomas da exaustão de um sistema que se mostrou falho ao formar pessoas.

      Creio que eu e você não pegaremos essa grande ruptura, talvez apenas seus sinais mais claros se acentuando.

      Vamos ver amigo! Resta-nos viver de acordo com os valores humanos de respeito, partilha e amizade enquanto estivermos aqui. E muito provavelmente ainda seremos chamados de antiquados e ultrapassados simplesmente por não demonstrarmos a selvagem ambição e ganância da maioria.

      Grande Abraço!!

      Marcelo.

      Excluir
  2. Venho acompanhando essas postagens sobre a obra de Asimov. É daqueles autores que quero conhecer, mas sempre vou deixando no final de minhas "listas". Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo isso Kleiton. Isso se passa comigo também em relação a diversos autores, tais como Edgar Rice Burroughs, Phillip Dick entre outros.

      Por falar em livros terminei recentemente de ler "A Voz do Fogo" e pretendo comentar alguma coisa aqui no Blog.

      Agora já posso ler na íntegra a matéria que você fez sobre o livro no seu Blog.

      Abcs!!

      Marcelo.

      Excluir
  3. Oi Marcelo tudo bem, como disse o Fabiano, também fiquei bastante curioso com a Saga da Fundação, não conheço a obra, mas claro que já ouvi falar de Asaac Asimov, mas nunca lí nada dele. Gosto muito de ficção tanto que meus filmes e séries preferidas são sempre as que tem ficção como norte principal. Comprei recentemente as 5 temporadas de Fringe, e acredito que vc já assistiu e cara, como é bom, fala do conceito de multiversos e que existe realidades paralelas coexistindo em frequencias diferentes e com pequenas mudanças em relação ao nosso mundo. Estou achando fantástica a série. Parabéns por nos despertar essa curiosidade sobre essa obra de Asimov e gostaria de saber se esses livros estão ainda a venda, vc saberia informar. Abraços amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcílio!? Tudo bem, amigo!?

      Pois é... Tal como você sempre fui um admirador à distância da obra de Isaac Asimov. Desde garoto eu via aquelas capas imaginativas nos seus livros. Mostrando naves, Planetas exóticos e robôs. Assim, sempre quis mergulhar nesse universo. Quando vi esse lançamento dos livros da Fundação pela Editora Aleph entendi que era minha grande oportunidade e embarcar. E assim o fiz.

      A ficção de Asimov é aquela ficção que caras mais velhos gostam. Ou seja, aquela ficção que atende pelo nome de "Space Opera". Histórias que se passam em um longo período de tempo, envolvendo as profundezas do espaço inexplorado, com uma gama grande de personagens e aventuras. Esse tipo de sub-gênero da ficção científica é o meu preferido. Ele lembra a literatura "pulp". Os livros de Asimov se encaixam nesse contexto e tenho certeza de que você gostaria.

      "Fringe" é minha próxima série! Que coincidência! Estava pensando em comprar mesmo! Agora com sua dica será "caixa"! Pelo que você descreveu, lembra muito a Teoria das Cordas!

      Os livros da Fundação encontram-se à venda sim. Inclusive está programado para agosto/2014 o lançamento de "Origens da Fundação", fechando assim toda a saga.

      No link abaixo você pode vê-los no site da Editora Aleph!

      http://www.editoraaleph.com.br/site/ficcao/trilogia-da-fundac-o-box.html

      Grande Abraço!

      Marcelo.

      Excluir
    2. Oi Marcelo passei aqui para dizer que acabei de comprar a trilogia da Fundação na Saraiva ok. Agora estou no aguardo da chegada para começar a ler. abraços.

      Excluir
    3. Opa! Legal Marcilio...

      Quando estiver lendo e quiser comentar e trocar figurinhas sobre a histórias me avise. Acho muito legal quando trocamos pontos de vista sobre uma obra.

      Abc!

      Marcelo.

      Excluir