sábado, 8 de setembro de 2018

Etrigan de Jack Kirby


Uma das publicações mais esperadas por mim desde sempre foi Etrigan de Jack Kirby. Meu interesse se justifica em função de uma história sobre ele que li quando era adolescente. Nesta HQ, Glenda (interesse romântico de Jason Blood, alter-ego de Etrigan) surpreende-se com vários quadros expostos no apartamento de Jason. Os quadros mostram antepassados de Jason, no entanto ela praticamente pode jurar que todos seriam o mesmo homem (!!), sugerindo que Jason talvez carregue consigo muito mais do que aparenta. Achei esta ideia tão genial e assustadora que fiquei petrificado e conectado à figura de Jason Blood. Na mesma época estava em cartaz o filme "Highlander I - O Guerreiro Imortal". A história trazia conceito semelhante em relação ao personagem de Christopher Lambert. Só que tem um detalhe aí, Jack Kirby pensou nesta ideia em 1973 (!!), e o filme era de 1986, ou seja, é inquestionável a genialidade e pioneirismo das ideias de Kirby. A matéria de hoje vem para comemorar o lançamento do encadernado Lendas do Universo DC - Etrigan - Jack Kirby Vol. 01 pela Panini. Um resgate incrível de um personagem em seu nascedouro pelas mãos do Rei Kirby.

Cena que menciono acima e que me conectou para sempre à Jason Blood

Lendas do Universo DC - Etrigan - Jack Vol. 01 insere-se no selo "Lendas do Universo DC". Um selo que deu certo e já conta com inúmeros lançamentos no Brasil até o momento. Para vê-los clique aqui. A publicação traz neste primeiro volume as 08 primeiras edições de Etrigan - The Demon originais lançadas de set/1972 à abril/1973. Além disso, traz um excelente texto inicial no qual Marc Evanier conta detalhes inspiradores da criação de Etrigan por Kirby. Dentre eles o fato de que o terror não era um gênero no qual Kirby se sentia a vontade. Mas devido uma série de questões conjunturais da época, quadrinhos de terror vendiam bem, o que fez a DC (editora em que Kirby estava na época produzindo sua Epopeia Cósmica do Quarto Mundo) solicitar um título deste tipo ao autor. Kirby não apenas cria Etrigan, mas lhe confere uma mitologia sólida e cheia de mistérios. O leitor deste texto se assustará ao reconhecer ideias que foram posteriormente aproveitadas por outras pessoas. São inúmeras as ideias geniais de Kirby, uma delas é a criação dos Reencarnadores. A ideia por trás dos Reencarnadores é a mesma presente em filmes recentes como Assassins Creed. Ou seja, a possibilidade de genes ancestrais serem acessados em nossa memória celular e assim resgatarmos habilidades de nossos antepassados. Era Kirby estando à frente de seu tempo em 1972 (!!).

Outra criação incrível de Kirby - Klarion - O Menino Bruxo

Neil Gaiman na década de 80/90 redefiniu de forma irrevogável o mundo da magia nos quadrinhos ao construir histórias que traziam "histórias dentro de histórias". Um artifício no qual o leitor ficava com a estranha impressão de que nada que estava ali era por ocaso, tudo poderia ser uma pista de algo fatal, maligno ou até mesmo o contrário. Kirby criou personagens sólidos para época seguindo de forma pioneira esta fórmula, como por exemplo a introdução de Klarion - O Menino Bruxo, O Monge de Ferro, a Bruxa Meg - A Feia (muito semelhante à mitológica imagem de Baba-Yaga), o Fantasma (inspiração direta no Fantasma da Ópera) e a letal Morgana Le-Fey. Le-Fey é a nêmese de Etrigan, e nestas primeiras histórias temos a dimensão de seu papel na vida do personagem. A História de Etrigan está totalmente amalgamada à do Mago Merlin. Kirby dá a entender que Etrigan é o cão de guarda do Mago Supremo de Camelot. Tudo se inicia com a queda de Camelot  frente à investida das hostes de Morgana Le-Fey. Preferindo imortalizar Camelot no reino da imaginação, à vê-la cair diante de Le-Fey, Merlin convoca seu Demônio que rapidamente encerra o conflito passando então a habitar o corpo de um homem desde então, Jason Blood, enquanto Camelot se retira para o imaginário coletivo e Le-Fey se afasta derrotada.


A relação entre Merlin e Etrigan é muito obscura e intrigante. Não fica claro quais são as algemas que mantém o selvagem Etrigan tão fiel a Merlin. Obscura também é a relação entre Etrigan e seu hospedeiro, Jason Blood. Um homem enigmático que Kirby soube trabalhar com um personalidade profunda e cheia de mistérios. À princípio o leitor entende que Etrigan apenas troca de lugar com Jason, no entanto esta troca (ou possessão) não é explicada. Tudo isso deixa a história cheia de aspectos a serem desvendados. O que Kirby vai fazendo aos poucos, por exemplo quando Etrigan se admira com a coleção de itens mágicos de Jason e se intriga com a personalidade culta de seu alter-ego. O ódio de Etrigan por Le-Fey também não tem sua origem explicada. Sei que muitos autores abordaram essas lacunas ocultas deixadas por Kirby ao longo das últimas décadas nas histórias de Etrigan. Mas recomendo a você ler o material original de Kirby sem conceitos ou imagens pré-concebidas em função do que você já tenha lido. Isso fará você experimentar todo mistério deixado por Kirby ao longo das HQs.

O enigmático Jason Blood

Qualquer conhecedor de Jack Kirby sabe que eu não posso falar dele sem deixar de mencionar sua arte. Sim, pois Kirby escreveu e ilustrou Etrigan. Evanier em seu texto inicial no encadernado da Panini conta, aliás onde e como Kirby criou Etrigan. Foi durante um jantar em uma lanchonete em que Evanier acompanhava a família Kirby. Durante a degustação de um lanche, Jack ficou em silêncio, absorto, como que em um mundo paralelo ou então em contato com um local no além. Ao final do sanduíche Kirby já possuía todas as linhas gerais da mitologia de Etrigan pronta. A imaginação de Kirby é tal que algumas criações da mitologia de Jason Blood precisam ser nomeadas: 1) o apartamento de Jason que se assemelha muito ao Santo Sanctorum do Dr. Estranho da Marvel, porém a arte de Kirby confere características ímpares à habitação de Jason, com sua extensa coleção de artefatos mágicos e livros, além da percepção do apartamento possuir passagens secretas como se fosse infinito; 2) o amigo Rondu, um alto funcionário da ONU de origem indiana e com forte poderes mediúnicos; 3) o amigo Henry Mathews, o típico norte-americano boa vida que não possui absolutamente nenhuma relação com o mundo dos demônios. Isto confere à Mathews o que seria conhecido muitos anos depois como o "alívio" da história; 4) a sedutora, linda, ingênua e frágil Glenda. Alguém que se interessa pelo enigmático Jason e que possui todas os adjetivos acima juntos.

O enigmático apartamento de Jason Blood

Espero que a Panini lance toda a fase de Kirby à frente de Etrigan. Isso será um registro único do Rei em terras Brazucas. Para os curiosos inseri abaixo as capas das edições originais de Etrigan - The Demon.


Bem amigos... É isso aí. Forte abraço! Abaixo a edição da Panini.

7 comentários:

  1. Boa materia. Eu sempre esperei esse material tb. Sempre curti o Etrigan/Jason Blood. Eu tenho um monte de participação especial dele em várias hqs, onde ele aparece por 3 paginas ou 2, faz algo importante e some. Agora tenho um material com presença 100% dele. Eu nunca tinha lido essa fase toda antes, só umas 3 historias, e fiquei surpreso ao terminar a leitura e perceber o quanto tudo é ligado e compacto, como um crescimento do personagem e seu nucleo coadjuvante a cada historia. Elas parecem seperadas entre si, mas qdo voce le tudo ve que na verdade é tudo ligado. Jack Kirby fez um bom trabalho no roteiro e um excelente trabalho nos desenhos. Quem curte os filmes de terror da Hammer films, vai lembrar na hora o climão.

    Nas proximas edições o Kirby não aborda o passado de Etrigan/Blood? Eu curto bastante o passado do Blood contado no desenho Liga da Justiça, mostrando que ele era um cavaleiro de Camelot a traiu o Rei por causa do amor a feiticeira Morgana. Sinistro ele abrindo as portas de Camelot para ela e seu exercito passar. Como punição o Mago Merlin o puniu unindo ele ao demonio Etrigan, para que ele vivesse para sempre atormentado pelo seu erro e que fosse obrigado a lutar pelo bem para expiar seu crime e buscar redenção (acredito nisso, embora não tenha ficado claro nesse sentido). Acredito nessa hipotese pois n acho que Merlin deixaria um demonio que quisesse fazer o mal no corpo de Jason para assolar o mundo. Mas isso é muito um misterio, Merlin controla Etrigan para ele não fazer o mal? Ou ele não é mal (decidiu fazer o bem contrariando o inferno)? Fica a questão.

    Em fases posteriores como do Alan Grant, e outras, foi mostrado Etrigan corrompido, tentando tomar o corpo de Jason ou ate mesmo matar ele. Mas depois Etrigan novamente ficou em paz com Jason e decidiu voltar a seguir o bem. Acho que Kirby não chegou a pensar nesse ponto na epoca.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Amigo! Desculpe a demora em responder!!

      Tem toda razão. O Etrigan meio que se tornou clássico mas nunca tivemos a oportunidade de vê-lo desta forma. Em seu original e em uma sequencia como essa. Onde é possível ver seu desenvolvimento.

      Gostei demais dos coadjuvantes também. Sabia? A existência do Harry Mathews é uma sacada muito boa. É mesmo um alívio. Esta interligação que você cita é característica de alguém que tem um excelente domínio narrativo. Daí a gente vê como o Jack Kirby foi até subutilizado nas Marvel. Boa lembrança da Hammer! Tudo a ver mesmo!!

      Não conhecia esta história do Jason Blood no desenho da Liga. Sinceramente eu não sei como é a continuação das histórias. Estou ansioso pelo Vol. 02.


      Pode até ser que esta origem no desenho da Liga tenha algo a ver com a concepção original do kirby. Vamos ver!!

      Essa dualidade do Etrigan é algo muito enigmático. O Kirby o apresenta em vários momentos da história como um "HERÓI" (!!). Algo muito estranho. É como se as ações dele acabassem se convergindo para o bem. Isso eu não sei se já foi algum dia explicado.

      Vamos ver então no próximo encadernado alguns desfechos Camus! Novamente obrigado pela presença!!

      Abcs.

      Marcelo

      Excluir
  2. blz marcelo?

    apesar das histórias serem boas comprei a HQ só dela arte mesmo que por sinal é fantástica.
    sou pouco familiarizado com etrigan, só li mesmo o monstro do pântano do moore onde ele participa e também nos desenhos da liga.

    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gustavo!! Blz?

      Legal sua presença aqui novamente!! Valeu!!

      O Etrigan tem um papel muito obscuro no Universo DC. É um personagem com extremo potencial em minha opinião. Já pensou se ele aparece na série de TV do monstro do pântano que está sendo produzida!!? Será incrível.

      Valeu amigo!

      Marcelo

      Excluir
  3. Até que enfim, a obra de Kirby começa a ser lançada no Brasil, com o tratamento que merece!! Espero que lancem outras obras, como Os Desafiadores Do Desconhecido, Kamandi, Omac, Os Novos Deuses, A Legião Jovem, The Boys Commandos, entre outros. Sempre que eu vejo o Etrigan, eu me pergunto:Como seria um duelo entre ele e o Anti - Herói japonês Devilman, do Go Nagai?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Dyel!

      Estava bem ancioso por este material!! Os Novos Deuses seria incrível. Este é outro material que eu sonho ver por aqui!

      Esse anti-herói eu não conhecia. Valeu a dica!!

      Marcelo

      Excluir
  4. Olá! Gostei muito do texto, conheço o Etrigan pelas passagens em diversas fases da DC, mas esse material do Kirby não tive acesso ainda. Uma coisa que penso comigo há anos, é que soube que o artista saiu da Marvel indignado, que seus Novos Deuses eram personagens que iriam aparecer nas histórias do Thor e ele levou-os à Distinta Concorrente. Nesse tom de vingança, fico pensando se a criação de Etrigan não é uma resposta ao Demolidor (Daredevil). Pois ambos possuem as mesmas cores (a roupa inicial do herói cego) e enquanto um se veste como um demônio, o outro é realmente um..

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados