domingo, 19 de julho de 2015

Porque empresas como a Versátil Home Vídeo são tão importantes para o Cinema?


Olá amigos, qualquer fã de cinema, do mais leigo até o mais erudito acadêmico, deve ter notado a profunda e inexorável mudança que a 7ª Arte sofreu no que se refere ao seu acesso ao público. Destaco neste cenário o evento insidioso, mas permanente, que foi o desaparecimento das Vídeo Locadoras, locais por meio dos quais podíamos ter acesso a clássicos, ou mesmo a filmes que nos marcaram afetivamente no passado. O público viu nascer então o modelo de TV por demanda, em que se precisa de um televisor que se conecte à internet e, mesmo assim, fica-se sujeito ao acervo que determinado serviço disponibiliza ao assinante, limitando, portanto o acesso a determinado tipo de gênero ou obra de algum cineasta em específico. Correndo por fora, vimos o incrível mercado negro de "Downloads" de filmes despontar. Fruto da ausência de opções e de uma política de impostos injusta por parte do governo, tal opção cresceu, tomando o lugar de um comércio de filmes por download que poderia se dar dentro da legalidade, com saúde e sustentabilidade. Nesse sentido, verdadeiras pérolas cinematográficas foram ficando esquecidas em função do difícil acesso. E mesmo quando se tem tal acesso, via download, suas versões estão comprometidas. Assim, todo um incrível "Universo" cinematográfico do passado começou a se apagar, ficando restrito apenas aos círculos acadêmicos ou então ao incansável fã.




Diante desta lacuna, a Versátil Home Vídeo vem, já há alguns anos, trazendo novamente à luz obras que pareciam cada vez mais distantes. Mais recentemente, a empresa teve a brilhante ideia de compilar, em Boxes temáticos, filmes que representam muito bem determinado gênero ou obra de cineastas consagrados. Um trabalho que tem resgatado a memória do cinema e que, surpreendentemente, põe em foco filmes que, apesar de sua distância no tempo,  ainda estão plenamente relevantes em nosso contexto social, político e econômico atual. Trazendo cenários de inquietações, dramas, medos e alegrias ainda calcadas no imaginário de nossa sociedade.




Comecei a acompanhar mais de perto tais lançamentos a partir do 2º semestre de 2014, por isso apresento aqui alguns que conheci a partir deste período. Hollywood contra Hitler sintetiza o esforço norte americano no sentido de desconstruir a máquina de propaganda Nazista, com clássicos filmados ainda sob a sombra do nacional nacionalismo de Hitler. Tais filmes trazem um painel de uma época em que a coragem de povos inteiros foi posta a prova.



Em comemoração ao centenário do início da 1ª Guerra Mundial ocorrido em agosto de 2014, o Pack "A Primeira Guerra no Cinema" resgata a insanidade deste evento com clássicos filmes sobre o tema.



Aqui, no entanto a empresa deu o "pulo do gato", em minha opinião. O lançamento de Filme Noir vol. 1 abriu as portas para o resgate do cinema de gênero. A excelente ideia de trazer encartes com as artes dos cartazes originais dos filmes junto com o Box, capturou definitivamente o imaginário do cinéfilo colecionador. Aquele fã que precisa penetrar mais a fundo no filme, buscando informações técnicas, filosóficas e artísticas ao redor da obra. Assim, Filme Noir vol. 1 foi sem dúvida o "ponta pé" para uma trilha de sucesso, uma vez que já estamos no 3º Box da série!



O filme Noir tratado com respeito em toda sua linguagem marginal, por vezes enigmática e cheia de matizes.



Seguindo o mesmo ótimo acabamento das caixas dos filmes Noir, a série Obras Primas do Terror (já também no Nº 3), resgata filmes clássicos do gênero, mantendo as artes dos cartazes de cada filme, agora integrados dentro do próprio Box.







Ainda neste formato, vibrei particularmente com o lançamento de dois Packs: Clássicos Sci-fi e Cinema Faroeste. Meus dois gêneros favoritos!





Outra grande ideia foi o lançamento de caixas trazendo a essência de determinados MITOS que já habitaram amplamente o universo literário e cinematográfico: as caixas Zumbis e Vampiros no Cinema.





Por fim, não posso deixar de destacar a inciativa de trazer a síntese da obra de determinado cineasta ou mesmo escritor transposta para o cinema, algo que pode ser visto em: Lovecraft no Cinema, o Cinema de Hitchcock e a Série "A Arte de...".





Vale lembrar ainda o excelente cuidado na escolha, edição e tradução dos filmes pelo curador da Versátil Fernando Brito.

Bem amigos... Como todos sabem, o presente Blog não possui vínculo com quaisquer empresas, algo que sempre prezei com vistas a manter minha total liberdade para escrever sobre os mais variados aspectos do cinema, literatura, música e quadrinhos. Assim, reafirmo que matérias como esta possuem como única razão meu fascínio como fã, neste caso, de cinema.

O respeito e o resgate de determinada manifestação de arte ensina, agrega, norteia e ilumina as novas gerações. Esta é a resposta para a pergunta do título.

9 comentários:

  1. Muito bom mesmo esse resgaté, Marcelo. Lembrando tambem que tem o cine samurai, que já está no terceiro box e os 47 ronis, sobre o mesmo tema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Nordman!

      Obrigado pelo comentário e presença aqui no Blog.

      Você tem razão. A Versátil vem dando muita atenção também ao cinema japonês. Bem lembrado!

      Um grande abraço!

      Marcelo.

      Excluir
  2. Marcelo, e como fica a qualidade dos filmes, sendfo que são 2 por dvd ? Existe muita compressão ? E as cópias são retiradas de matrizes boas ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bond! Blz?

      Então... O resultado do trabalho da Versátil tem me surpreendido muito positivamente. O cuidado com as legendas, tradução, imagem e edição estão um primor. E olha que sou muito chato com isso. No passado me aventurei várias vezes em comprar DVDs de obras clássica, mas ficava com muita raiva ao perceber o descaso com que determinada empresa tratava o consumidor. Como se entendessem que, se era um filme antigo, não havia necessidade de se dedicar a ele na hora de lança-lo.

      As coisas cópias são retiradas de matrizes a dedo pelo Fernando Brito. Digo isso porque fui a três debates recentes da Versátil aqui na Livraria Cultura do Conjunto Nacional em São Paulo. Um deles era sobre o BOX Cinema Sci-fi, outro sobre o Box Zumbis no cinema e o terceiro sobre Lovecraft no Cinema.

      Durante estes debates o Fernando comentou um pouco sobre seu trabalho em selecionar a versão para cada filme a ser lançado. Levando-se em conta não apenas a versão, mas a qualidade final da imagem e edição.

      Confesso que, apesar dos dois filmes por DVD, não encontro nenhum problema.

      Grande abraço!

      Marcelo.

      Excluir
  3. Ótima direção de arte e excelente iniciativa da Versártil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade!! Com certeza!

      Grande abraço!!

      Marcelo.

      Excluir
  4. Marcelo! No meu caso só tenho que agradecer a você por ter divulgado a Versátil Home Video, cuja existência eu desconhecia totalmente. Sensacionais os boxes de Terror e, o que mais me chamou a atenção, Lovecraft no cinema. Muito importante essa iniciativa porque, como você bem escreveu, os clássicos mais rebuscados só podem ser encontrados na indústria dos downloads via internet, onde a qualidade nem sempre é boa, apesar dos esforços dos fãs. Vamos torcer para que mais boxes venham por aí! Já vou procurar alguns que você destacou. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcelo...

      Que bom saber que contribui com essa dica. Confesso que quando conheci a Versátil um Mundo cinematográfico (pelo qual eu já era apaixonado) voltou a se descortinar diante de mim.

      O Boxes temáticos são incríveis e até que enfim termos uma empresa que traduz os Extras e tem um cuidado com a versão do filme, legendas e qualidade da imagem.

      Podemos ir trocando algumas figurinhas sobre esse que é outro grande hobby que tenho: A 7ª Arte de Qualidade.

      Abcs!

      Marcelo.

      Excluir