sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Miniatura DC Nº 05 - Flash

Miniatura DC Nº 05 - Flash

De todos os Super-heróis velocistas do Universo Ficcional das histórias em quadrinhos, o Flash talvez seja o mais conhecido. Herói da DC Comics, o Flash possui uma longa história de batalhas que remontam à Era de Ouro dos Quadrinhos (1938 - 1956) quando eram publicadas as aventuras do 1º Flash (Jay Garrick), no Brasil chamado durante muito tempo de Joe Ciclone. A Coleção de Miniaturas da DC avança em terras Brazucas e traz como Nº 05 o homem mais rápido do mundo. A partir de agora veremos alguns detalhes dessa miniatura, bem como um pouco da heroica vida de um dos Super-heróis mais populares da 9ª Arte.

Miniatura DC Nº 05 - Flash

A miniatura apresenta-se, à semelhança das demais peças da coleção DC, com um bom acabamento. A pintura surpreende com um vermelho e um amarelo vibrantes que chamam a atenção na estante. A musculatura do herói não ficou tão evidente quanto em outros personagens da coleção já lançados por aqui, passando a ideia de um Flash mais franzino. Porém, isso pode ser explicado em função do velocista escarlate comumente aparecer em várias mídias com um corpo mais atlético e menos musculoso. Possivelmente seu metabolismo acelerado seja a causa do não desenvolvimento de músculos tão hipertrofiados, algo tão comum ao se retratrar outros heróis.

Miniatura DC Nº 05 - Flash

Outra questão a ser levantada é a postura adotada pelo herói (de braços cruzados). Particularmente essa posição não me incomodou, porém muitos comentaram que gostariam de vê-lo em sua atitude característica, ou seja, correndo. Em minha concepção a ideia que ficou foi a de alguém sem pressa, ou seja, que não importa o que aconteça, ele chegará antes de acontecer! Sem dúvida nenhuma uma miniatura obrigatória em qualquer coleção tendo em vista a importância do personagem.

Miniatura DC Nº 05 - Flash

A história do Flash, além de ser um tanto complexa, se confunde com os momentos mais marcantes das HQs de Super-heróis no Século XX. Durante a Era de Ouro Jay Garrick foi o 1º a usar a alcunha de "O Homem mais Rápido do Mundo". Garrick era um aluno universitário nos anos 30 e 40. Seus céleres poderes vieram a partir de um acidente em um laboratório envolvendo água radioativa. Os estranhos vapores advindos desta água seriam inalados por Jay e lhe confeririam seus famosos poderes. O Flash dos anos 40 foi um importante herói da DC, ajudando a fundar icônicas equipes na época tais como, Sociedade da Justiça e o Comando Invencível. Com o tempo ele seria um conselheiro importante para os Flashes que viriam depois dele.

Miniatura DC Nº 05 - Flash

Com o advento da Era de Prata dos Quadrinhos (meados dos anos 60) os leitores ficaram sabendo que o Flash dos anos 40 habitava na verdade uma Terra Paralela à nossa e, portanto suas aventuras haviam ocorrido em outro espaço-tempo. Isso, aliás foi o início das chamadas "Múltiplas Terras" da DC, um conceito que viria a ser desfeito apenas com a Saga "Crise nas Infinitas Terras" nos anos 80. "Crise..." é até hoje reconhecida por muitos como uma das melhores sagas de todos os tempos na DC Comics. O fato é que, com o renascimento dos Super-heróis na editora nos anos 60 pelas mãos de Julius Schwartz, o Flash precisava de novas aventuras e a saída foi a que expus acima: criar um Flash novo em nossa realidade. Assim, nascia o Flash da Era de Prata, Barry Allen. Os poderes de Allen vieram de uma maneira parecida que os de Garrick, ou seja, por meio da manipulação de certos compostos químicos. A diferença é que agora um raio atinge tais compostos que caem sobre Allen dando-lhe poderes de acessar o que viria a ser conhecida como "Força de Aceleração". Um campo de força existente ao redor da Terra e com o qual Allen consegue interagir e assim extrair sua velocidade.

Miniatura DC Nº 05 - Flash

Allen se tornaria um dos mais populares Flashes e consolidaria a reputação do personagem durante os anos 60 e 70. Casando-se com uma moça chamada Íris West, Allen assumiria a criação de um garoto chamado Wally West (sobrinho de Íris) e se apegaria muito a ele, e vice-versa. West ganharia poderes semelhantes ao seu tio (novamente um raio atingindo compostos químicos) e passaria a atuar ao lado de Barry usando o nome de Kid Flash. West, como Kid Flash, faria parte de um grupo de heróis adolescentes chamado "Turma Titã". O futuro, no entanto guardava acontecimentos sombrios para o Flash. Durante a saga "Crise nas Infinitas Terras" (comentada acima) Allen faria o sacrifício supremo ao dar sua vida para deter o vilão Anti-Monitor. Com o final da saga, todas as Terras seriam então fundidas, e assim, Jay Garrick passaria a fazer parte da nossa realidade. Wally West assumiria o manto de Flash e tentaria honrar o legado deixado pelo seu tio. Porém, a vida de West como Flash não seria menos difícil como veremos a seguir!

Miniatura DC Nº 05 - Flash

Além de proteger sua cidade natal Keystone City e lutar contra vilões do antigo Flash (Capitão Bumerangue, Mago do Tempo, Mestre dos Espelhos e o Trapaceiro), Wally West encararia um oponente incrivelmente mal e perigoso: O Flash Reverso. Jay Garrick (já aposentado) e sua esposa Joan, teriam profunda participação nessa fase, dando conselhos à Wally e orientando-o a ser um Super-herói cada vez melhor. Assim, Wally se casaria com uma jovem chamada Linda Park e teria dois filhos (gêmeos). A partir de confrontos com o Flash Reverso e após os eventos da Saga "Crise Infinita", Wally e sua família ficariam presos dentro da "Força de Aceleração" por um bom tempo. Durante essa fase, o Flash que atuou nas histórias em quadrinhos era na verdade Bart Allen, neto de Barry. Porém, Bart também se sacrificaria para salvar a cidade de "Keystone City". O mundo ficaria então sem um Flash senão fosse a chegada em nosso mundo da Legião dos Super-heróis (uma equipe do futuro do Universo DC). Os membros da Legião conseguiriam trazer de volta do campo de força de aceleração Wally, Linda e os gêmeos.

Miniatura DC Nº 05 - Flash

O Flash teria papel fundamental na história (Ponto de Ignição) que desembocaria no último Reboot da DC, visto por muitos como um evento caça-níquel e que não inovou em nada. Embora Ponto de Ignição tenha desencadeado o Reboot, a história em si é boa e foi muito bem retratada no recente filme animado Ponto de Ignição - Paradox, uma das melhores animações dos últimos tempos da DC e já comentada aqui no Blog.

O Flash tem seu lugar garantido em qualquer formação da Liga da Justiça que a retrate em sua essência. Sua participação como estrela de 1ª grandeza no Universo DC estará sempre assegurada, isso podemos ter certeza! Gde. Abc. à todos!!

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Miniatura Marvel Nº 33 - Homem de Gelo

Miniatura Marvel Nº 33 - Homem de Gelo

Com habilidades que, à princípio, podem parecer simples, o jovem mutante Bobby Drake (vulgo Homem de Gelo) parece possuir poderes sem precedentes que o colocam ao lado dos mutantes mais poderosos do Universo Marvel. Sua história se mistura à origem da equipe mutante mais famosa do mundo, os X-Men e, apesar dos seus altos e baixos, Drake sempre se mostrou um jovem "Boa-Praça" que lembra muito, em personalidade, outros heróis Marvel, como o Homem Aranha e o Tocha Humana. Nessa matéria veremos alguns detalhes de sua miniatura, a de Nº 33 da Coleção de Miniaturas Marvel, bem como alguns detalhes interessantes de sua vida.

Miniatura Marvel Nº 33 - Homem de Gelo

A cidade de São Paulo está entre algumas cidades Brasileiras em que a Coleção de Miniaturas Marvel saiu primeiro (abril de 2012). Atualmente estamos no Nº 41. Quando chegou na capital Paulista, a miniatura do Homem de Gelo não agradou tanto alguns colecionadores quanto outras que já haviam sido lançadas. A principal colocação dos fãs era a de que a peça possuía um estranho brilho que não chegava a convencer como sendo "gelo". Particularmente, devo discordar e concordar ao mesmo tempo. Discordo no quesito que a textura da pintura não emule o gelo. Em minha opinião creio que não seria possível tornar a peça mais parecida com gelo do que é. Porém, confesso que não sou especialista em pintura.

Miniatura Marvel Nº 33 - Homem de Gelo

No entanto, concordo que a peça realmente não é necessariamente a mais bonita e mais bem detalhada até o momento. Anatômicamente ela possui musculatura e ossatura bem definidas à exemplo de outras que já vimos aqui no Blog. Inclusive, alguns personagens que nem eram os mais esperados acabaram protagonizando peças sensacionais, como por exemplo, Kraven, Motoqueiro Fantasma, Homem Areia, Anjo, Venom dentre outros. No caso do Homem de Gelo talvez os fãs esperassem uma miniatura mais translúcida, algo que lembrasse o cristal ou gelo cristalizado. Quando fotografei a peça tendo como pano de fundo um glacial (como pode ser visto aqui) percebo que a composição do gelo talvez seja essa mesma. Algo mais compacto e não transparente.


Miniatura Marvel Nº 33 - Homem de Gelo

Robert (Bobby) Drake manifestou seus poderes mutantes ainda na adolescência ao defender uma garota e logo foi encontrado pelo Prof. Charles Xavier. Bobby recebeu então um convite para ir morar e estudar na recém-criada Escola para Jovens Superdotados de Xavier. Assim, ele seria, ao lado de Ciclope um dos primeiros alunos mutantes da famosa Instituição. Não tardaria para a 1ª formação dos X-Men estar pronta para o mundo tendo o Homem de Gelo como um integrante ao lado de seu líder, Ciclope, a tímida Garota Marvel (Jean Grey, que mais tarde se transformaria na Fênix), o Fera em seu visual original e o Anjo. É praticamente indissociável a imagem do Homem de Gelo dos X-Men originais. Ele porém, seguiria uma vida diferente logo depois, não fazendo mais parte da multi-étnica 2ª formação dos X-Men.

Miniatura Marvel Nº 33 - Homem de Gelo

Com dificuldade de se acertar na vida amorosa após um mal sucedido pré-romance com a mutante Polaris, Bobby ainda se decepcionaria com sua atuação como Super-herói, não conseguindo se alçar ao 1º escalão da comunidade Super-heróica mundial. Isso talvez o tenha motivado em uma determinada época a investir em sua carreira profissional de "Contador" e também em sua passagem por diversos Grupos de Super-heróis da Marvel tais como, Os Campeões, Novos Defensores, e participações no X-Factor e X-Men.

Miniatura Marvel Nº 33 - Homem de Gelo

Para mim é certo dizer que o Homem de Gelo ainda não teve seu momento de glória enquanto personagem ficcional. Em minha opinião todo Super-herói deveria ter, em algum momento de sua carreira, uma Minissérie escrita por algum gênio dos quadrinhos. Tipo, a história que ninguém deveria deixar de ter daquele determinado personagem. Assim, teríamos um referencial claro do potencial de todo herói ou vilão. Esse desejo fica mais forte, por exemplo, quando penso em heróis como Punho de Ferro, Anjo, Pantera Negra, Cavaleiro da Lua, Doutor Estranho, Visão dentre vários outros. Já vimos que ideias assim funcionam e trazem uma aura de respeito ao personagem. Haja visto até onde o Demolidor chegou depois de sua "Queda de Murdock" de Frank Miller. O Homem de Gelo seria alguém que ganharia nova dimensão se estrelasse algo assim.

Miniatura Marvel Nº 33 - Homem de Gelo

Bom... Sem dúvida nenhuma a Coleção de Miniaturas Marvel, ao lado de sua Coleção irmã da DC, vai bem aqui no Brasil. Embora não nos sejam revelados números ou desempenhos de vendas por parte da Eaglemoss, o fato da Loja Virtual iniciar a venda de diversos personagens, associado ao lançamento das Miniaturas Especiais Hulk e Vigia, além da expansão da coleção em diversas cidades brasileiras, são indícios do seu sucesso. Com a aproximação do mês de abril/2014 todos os assinantes aguardam ansiosos pela disponibilização do pacote de assinaturas referente ao 3º ano da coleção. Além disso, esperamos ansiosos por duas outras grandes novidades: a confirmação da Coleção Marvel acima do Nº 100 (já garantida anteriormente aqui no Brasil) e a continuidade do lançamento da Série Especial.

Miniatura Marvel Nº 33 - Homem de Gelo

Vamos torcer... Grande abraço à todos!!

sábado, 15 de fevereiro de 2014

O Hobbit - A Desolação de Smaug


Ainda que um pouco atrasado, não poderia deixar de comentar um dos maiores lançamentos do universo de ficção e fantasia do ano de 2013: O Hobbit - A Desolação de Smaug. Por diversos acontecimentos em minha vida no final do ano passado, só pude assisti-lo há pouco tempo e assim gostaria de, à semelhança do que fiz por ocasião do lançamento de "O Hobbit - Uma Jornada Inesperada", comentar esse também.


Assim como diversos universos de ficção e fantasia, o Mundo idealizado por J.R.R. Tolkien possui fãs ardorosos e exigentes. Dessa forma, podemos dizer que a aposta do diretor Peter Jackson em lançar "O Hobbit" em três filmes foi ousada. Diferente do "Senhor dos Anéis" que compunha uma obra em três partes, O Hobbit é na verdade um livro infanto-juvenil que Tolkien escreveu cerca de 20 anos antes de lançar sua obra definitiva e, embora um excelente livro, não possui a grandiosidade dos três livros da Trilogia do Anel. Sendo assim a chance de Jackson preencher os espaços vagos com situações ruins ou que não funcionassem era grande.


Se no 1º filme de 2012 (Uma Jornada Inesperada), Jackson ainda dava indícios de uma certa dificuldade em acertar o passo com a narrativa e enredo, em "A Desolação de Smaug" ele parece recuperar a batuta de uma narrativa dramática necessária para um filme sobre o Universo Tolkeniano. No início ainda detectamos uma certa dificuldade em estabelecer um ritmo adequado, porém tudo muda quando os anões penetram na Floresta Negra ao lado do pequeno Hobbit Bilbo Bolseiro (Martin Freeman). A partir dali cada personagem parece se apropriar de sua história.


O filme ganha força sobretudo a partir da descida dos anões em barris, fugindo da prisão dos Elfos da Floresta Negra. Embora esse seja um momento menos épico no livro, no filme Jackson o alonga e nos proporciona uma sequencia de luta incrível em que Elfos, Anões e Orcs se entrelaçam em uma batalha ao longo de uma grande corredeira. Interessante também é a caracterização da Cidade dos Homens na base da Montanha sob a qual encontra-se o Reino dos Anões e habitat do Bíblico Smaug, um Dragão de proporções enormes que há muito usurpou o Tesouro e o Reino dos anões trazendo morte à muitos anões e dor ao Reino dos Homens.

Bard

A figura de Bard, um homem que ajuda os anões a entrarem na Cidade dos Homens também ganha força dramática na interpretação de Luke Evans. Porém, para mim a parte central do filme e que realmente o alavanca como obra é a metade final que se passa no interior da Montanha de Smaug. Bilbo inicia um jogo de gato e rato ao acordar o dragão e definitivamente torna o espectador co-participante desse jogo. Smaug, que no livro possui papel menos expressivo no que diz respeito a dramaticidade, torna-se talvez o personagem principal do filme. E isso graças ao excelente Benedict Cumberbatch (o Vilao Khan de "Star Trek - Além da Escuridão"). Cumberbatch dubla e fornece a base corporal aos movimentos de Smaug, tal qual Andy Serkis fez com Golum na Trilogia do Anel. Smaug não apenas convence enquanto entidade do mal,  mas também cativa ao se maravilhar com a criaturinha ousada e esquisita que é um Hobbit.


A sequencia no interior da Montanha chama atenção ao dimensionar a grandeza dos salões, a solidão das câmaras esquecidas e acima de tudo ao mostrar o Tesouro dos Anões em ângulos incríveis. Tudo isso se deve também à tecnologia que Jackson fez questão de usar para a Trilogia "O Hobbit". Uma tecnologia que permite que o filme seja rodado em uma quantidade muito maior de "frames" por segundo, dando maior definição à imagem.

O interior da Montanha

Alguns fatos foram também adicionados ao filme, como por exemplo o início do despertar dos Espectros Servos de Sauron, bem como uma aparição do próprio Sauron. Gandalf também aparece, embora se envolva muito mais com o ressurgir de Sauron. Outros fatos, no entanto foram sublimados, como por exemplo a participação do Homem-Urso Beorn que no livro possui presença mais expressiva no início da história. Beorn possui uma boa caracterização no filme, embora por pouco tempo. Um Orlando Bloom mais velho interpreta um Legolas mais jovem, porém o faz de maneira competente. A atriz Evangiline Lily (a Kate do Seriado Lost) interpreta a Elfa Tauriel, uma nova personagem.


O Hobbit - A Desolação de Smaug restaura a franquia em minha opinião e acende a expectativa para o grande final, reservado para dezembro de 2014 com "Lá, e de Volta Outra Vez".

Bom amigos... Grande Abraço à todos!

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Coleção de Miniaturas DC - Lista de Personagens: Série Especial


Olá amigos... Depois de lançar aqui no Blog uma lista completa com os personagens da Coleção de Miniaturas DC de 1 à 120, é hora de apresentar os personagens que fizeram parte do segmento "Especial" (personagens de grandes proporções ou personagens normais em locações específicas) desta coleção. Embora ainda não tenhamos certeza do lançamento dessas peças em Terras Brasileiras, acredito que, a depender do desempenho das vendas das miniaturas do segmento normal (atualmente disponível para compra e assinatura na Loja Virtual da Eaglemoss Brasil), é possível que um dia cheguem por aqui! 


Batman Sobre o Telhado (Exclusivo para Assinantes), 1 - Darkseid, 2 - Apokalypse, 3 - Bane, 4 - Crocodilo, 5 - Anti-Monitor, 6 - Gorila Grodd, 7 - Batman na Moto, 8 - Salomão Grundy, 9 - Superman Centennial Park, 10 - Etrigan, O Demônio, 11 - Lobo, 12 - Jonah Hex.



13 - Kilowog, 14 - Trigon, 15 - Morcego-Humano, 16 - Bat-Mirim e Mister Mxyzptlk, 17 - Cara-de-Barro, 18 - Monstro do Pântano.

Como uma última peça desta Série Especial, a Eaglemoss ainda lançou o Nº 19: Giganta.


Em Janeiro de 2011 a Eaglemoss ainda lançou lá fora uma sequencia de peças relacionadas à História "O Dia Mais Claro a Noite Mais Densa" que fez sucesso ao reformular os conceitos do Universo do Lanterna Verde. Embora traga peças de estatura normal, eu as apresentarei nessa matéria por fazerem parte de um segmento à parte do chamado "Normal", sendo assim, "especial" de certa forma. Os personagens são familiares apenas àqueles com uma certa intimidade com a mitologia das Tropas dos Lanternas, que a partir da história mencionada acima, passou a se referir à diversos espectros de luz.


1 - Mão Negra, 2 - Atrócitus, 3 - Larfleeze, 4 - Santo Andarilho, 5 - Carol Ferris, 6 - Paralax (Hal Jordan), 7 - Índigo, 8 - Lanterna Branco, 9 - O Guardião Ganthet, 10 - Bleez, 11 - Deathstorm, 12 - Jade, 13 - Rapina, 14 - Columba, 15 - Lyssa Drak, 16 - Arisia.

Por último foi lançado uma última peça deste segmento com o personagem Nekron (abaixo).


Bom... Com essa matéria encerro a lista de personagens da Coleção DC de Miniaturas. 

Para facilitar o acesso às diversas listas de personagens das coleções de metal, tanto da DC quanto da Marvel, que fiz aqui no Blog, coloco abaixo uma sequencia de links para acesso: Seguem...

Marvel:

Série Normal: 1 à 100 e 101 à 200.

Série Especial: 1 à 10 e 11 à 20.

Série Mega-Especial: Apenas 07 peças.

Série Double-Pack: Apenas 04 peças.

DC

Série Normal: 1 à 120.

Ok amigos... Um grande abraço à todos.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Miniatura DC Nº 04 - Lanterna Verde

Miniatura DC Nº 04 - Lanterna Verde

Dotado de um anel de poder, Hal Jordan foi escolhido por um moribundo Lanterna Verde chamado Abin Sur para substitui-lo. Jordan encarnaria a versão mais conhecida do herói esmeralda dos quadrinhos e eternizaria sua participação na DC Comics integrando equipes como a Liga da Justiça e fazendo parcerias marcantes como aquela entre ele e o Arqueiro Verde nos anos 70. Sua miniatura (Nº 04 da Coleção de Miniaturas DC Comics) chegou há algum tempo em solo Brasileiro e pode ser conferida aqui nessa matéria, junto com importantes fatos da vida desse Super-herói que é o favorito de muitos "Nerds".

Miniatura DC Nº 04 - Lanterna Verde

Hal Jordan é o meu Lanterna Verde favorito! Sua miniatura foi esculpida em uma clássica posição de juramento. Quem conhece o personagem deve se lembrar das palavras que são proferidas em forma de juramento todas as vezes que um Lanterna Verde recarrega seu anel de poder junto à sua Bateria Energética. A própria Bateria Energética, presente na mão esquerda da miniatura valoriza a figura e completa bem o cenário de juramento apontado acima.

Miniatura DC Nº 04 - Lanterna Verde

O uniforme escolhido para a peça é o clássico. Sendo o mais usado por Hal Jordan na maioria das histórias. Para mim as melhores peças da coleção são aquelas que trazem os personagens em seus uniformes clássicos. Esse pequeno detalhe nos permite ter peças que reproduzem heróis e vilões em seus conceitos iniciais, ou seja, conceitos que nos fizeram admira-los. As feições do herói também ficaram bem definidas e corretas. Algo que nem sempre é visto, sobretudo nos heróis ou vilões que possuem face desnuda.

Miniatura DC Nº 04 - Lanterna Verde

Jordan era um jovem destemido, arrojado e um tanto quanto despreocupado antes de se tornar um Lanterna Verde, uma força policial intergalática liderada por pequenos e sábios seres chamados "Guardiões do Universo". A partir de seu planeta natal (Oa), Os Guardiões armaram seres corajosos e destemidos do Universo para serem Patrulheiros Espaciais ou, como viriam a ser conhecidos, integrantes da "Tropa dos Lanternas Verdes". A missão desses seres era simples e direta: defender o bem e lutar pela paz e justiça. Hal Jordan foi o homem designado para defender o Setor Espacial no qual a Terra se encontra, substituindo Abin Sur.

Miniatura DC Nº 04 - Lanterna Verde

A mitologia apresentada acima foi constituída nos anos 60 com a chegada da Era de Prata dos Quadrinhos. Após quase uma década de ostracismo (entre 1956 e 1963) os Quadrinhos ressurgiriam pelas mãos de Stan Lee na Marvel e de Julius Schwartz na DC nos anos 60. Hal Jordan foi concebido na efervescência dessa época. Seus poderes tem total relação com o espaço, tema comum e na moda à época. Já seu antecessor, o Lanterna Verde (Alan Scott) da Era de Ouro dos Quadrinhos (1938 - 1956), possuía poderes místicos, algo que era muito mais popular na Era dos Pulps.

Miniatura DC Nº 04 - Lanterna Verde

Vieram outros Lanternas Verdes depois de Hal Jordan que passaram a complementar suas aventuras. No entanto, Jordan se tornaria o mais conhecido entre os leitores de quadrinhos. Momentos marcantes podem ser relembrados em sua carreira, dentre eles sua eterna rivalidade com outro Lanterna Verde: Sinestro. Mentor de Jordan à época de seu treinamento na Tropa, Sinestro se desviaria do caminho do bem e seria banido do Universo pelos Guardiões do Universo. Ele retornaria, no entanto equipado com um Anel Amarelo e se tornaria a grande Nêmesis de Hal Jordan. No filme Lanterna Verde de 2011 da DC Comics Sinestro foi muito bem interpretado, em minha opinião, por Mark Strong.

Miniatura DC Nº 04 - Lanterna Verde

Outro momento importante da vida de Hal Jordan como Guerreiro Esmeralda foi sua parceria com Oliver Queen, o Arqueiro Verde, nos anos 70. Sob a batuta de Neal Adams e Denis O´Neal, Jordan viveria histórias muito mais "pé-no-chão", nas quais lutou a guerra do homem comum. Situações de abuso de drogas, intrigas familiares, violência doméstica e crimes comuns passaram a fazer parte do dia-a-dia do patrulheiro espacial. Ao lado do amigo Arqueiro, Jordan entrou em contato com um mundo que não era tão "preto e branco" como aquele que se acostumara no espaço sideral. A série sempre foi muito elogiada e ficou gravada como uma das grandes fases dos dois heróis esmeraldas.

Miniatura DC Nº 04 - Lanterna Verde

Com um roteiro um pouco mirabolante para o meu gosto, outro momento que muitos comentam foi a transformação de Hal Jordan no vilão "Paralax". Iniciada a partir da Morte do Superman, essa história teria várias reviravoltas que, em minha opinião, a deixaram um pouco viajante demais. De qualquer forma é uma fase presente em qualquer compêndio que se proponha a fazer uma apanhado da vida do Lanterna Hal Jordan.

Não posso deixar de lembrar uma das versões mais interessantes deste Lanterna Verde. A versão definitiva do herói para mim: sua participação na História (que depois virou animação) Liga da Justiça: A Nova Fronteira de Darwin Cooke e Dave Stewart. Hal Jordan está perfeitamente caracterizado ali. A forma como o apresentam é, para mim, a ideal. Vale a pena conferir!!

Bom amigos... Um Grande Abraço à todos!!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...