sábado, 21 de agosto de 2010

A Loja Mágica...

Quando se é garoto, dos 8 aos 12 anos, vivemos a melhor fase. Nessa época não precisamos nos preocupar com coisas muito difíceis e complexas como por exemplo... garotas. Na verdade nossa mente se ocupa com coisas diferentes, mas não menos importantes. Embora fosse difícil de acreditar eu era um garoto absolutamente normal nessa fase. Um pouco mais tímido e um tanto complexado em relação aos demais. Mas posso garantir... totalmente normal! Meu mundo era preenchido basicamente por três assuntos que necessitavam da minha diligente coordenação. Eram eles: TV, livros e .... histórias em quadrinhos. No primeiro tópico (TV) eu tinha uma agenda que necessitava, mensalmente, ser cumprida. Faziam parte desse universo determinados desenhos, os filmes de sábado à noite da "Primeira Exibição" (que posteriormente foi substituido por "Super-Cine") e o  Sìtio do Pica-pau Amarelo. No tópico dois (livros) eu começava a ler (por prazer) meus primeiros livros (não entram nesssa lista os da Série Vaga-Lume, tipo "O Caso da Borboleta Atíria" e "O Mistério do Cinco Estrelas", pois esses eu era obrigado  a ler pela escola). Dentre aqueles que eu comecei a ler por prazer encontram-se  os do Sidney Sheldon ("O Reverso da Medalha" por exemplo). No terceiro tópico enfim estavam os... GIBIS de Super-Heróis!!

Esses Sim!!
Há 30 anos atrás, na pequena cidade em que morava havia apenas uma loja que vendia gibis. A Loja do Herculano (A Loja Mágica) ao lado do Super Brasil (um supermercado da avenida principal). Nessa loja o Herculano vendia discos, fitas cassetes e meus queridos GIBIS de Super-Heróis!! Mensalmente eu recebia histórias mágicas contadas nas páginas de 4 títtulos. Eu ficava imaginando de onde vinham. Pensava em países ou cidades distantes, onde tais GIBIS eram produzidos. Dessa forma então o Herculano era para mim como um Embaixador (um representante) desses lugares. Era ele quem me proporcionava acesso àquela riqueza. Do dia 1º ao dia 7 eu esperava o título "Heróis da TV". Do dia 7 ao dia 14 se dava a angustiante espera pela "Super Aventuras Marvel". No meio do mês (de 14 a 21) era a vez de esperar pelo "Almanaque do Capitão América". Por fim, entre os dias 21 e 30 chegava "O Incrível Hulk".

Meus dois grande objetivos nessa época eram: 1º - Ser um Super-Herói também; o 2º - Construir minha enciclopédia de Super-Heróis. O 1º objetivo eu ainda não consegui concretizar, o 2º eu quase consegui quando garoto. Meu Tio Miguel havia me dado um pantógrafo (instrumento que permite ampliar ou reduzir um desenho pré-existente). Com esse pantógrafo eu pretendia cumprir o 2º objetivo. Ao longo de alguns anos, acho que semanalmente, eu escolhia um desenho de um determinado personagem, cortava uma cartolina em tamanho padrão (determinado por mim) e ampliava esse desenho. Após a ampliação eu coloria  o desenho com tinta para papel e escrevia ao lado, à máquina, a origem, principais poderes e campo de atuação do herói. A última fase do processo era pregar na parede de meu quarto essa cartolina, de maneira que eu tinha meu panteão particular de heróis......

Capitão América. Feito com meu pantógrafo.
O tempo levou para longe de mim minhas queridas cartolinas... Queria muito aquela enciclopédia, mas restou apenas um desenho!! Esse resistiu porque eu usei madeira e não cartolina. Coloquei ele aqui ao lado,  o "Capitão América". Alguns gibis também resistiram! Eu os guardo comigo agora. Mês passado aconteceu algo interessante. Estava visitando meus pais na cidade de minha infância. Eu e meu pai havíamos ido à feira de domingo. Entre batatas e verduras eu reconheci um dos feirantes: era o Herculano!! Por um momento nossos olhos se cruzaram e eu achei ter percebido uma centelha de reconhecimento da parte dele sobre quem eu era. Pareceu-me que, por um breve instante, ele sabia quem estava ali, aquele garoto dos gibis... Pareceu que ele estava enchergando de novo aquele menino de 10 anos... Mas não tive certeza... Foi muito rápido... Logo ele continuou erguendo e empilhando algumas caixas de alface. Meu pai achou estranho eu ter reconhecido e dito: "Olha PAI!! O Herculano!!!"

Um comentário:

  1. Que lindo!!!
    Como é bom ler o que escreves.
    Sinto emoção... e a força da emoção escapa às palavras.
    Te amo...Mamãe.

    ResponderExcluir